NHL

Sobre as férias dos jogadores da NHL e suas preparações para a pré-temporada

Férias é o período mais feliz do ano dos seres humanos. Para os jogadores de hockey, então, que ficam de outubro a junho patinando no gelo e levando porrada de pessoas maiores que eles, é um período quase que sagrado.  Em julho, o verão norte americano, os profissionais se desconciliam de seus respectivos times e podem aproveitar o tempo até setembro, quando os training camps se iniciam, da maneira que bem entenderem. Há quem treine, há quem viaje, quem aproveite o tempo com a família e quem fique sentado na poltrona de casa com uma lata de cerveja na mão. A escolha é do jogador e o seu time não tem influência sobre essa decisão.

A temporada da NHL é extremamente desgastante, principalmente pelo calendário de viagens que exige muitas horas em aviões e camas de hotéis que não são tão boas quanto a do lar. Ou seja, no verão, os jogadores devem treinar seu físico em academias, rinques de gelo para estarem prontos para os longos meses de trabalho que virão pela frente, certo? Ou deveriam descansar porque este é o único período do ano que poderão fazê-lo com tranquilidade? A resposta é simples: um pouco dos dois.

Lesões durante a temporada são inevitáveis. Você nunca sabe quando um jogador vai te acertar com uma cotovelada na cabeça. Mas lesões na pré-temporada são um novo fator que anda preocupando os general managers das franquias da NHL. O motivo da postagem desta semana ser sobre a preparação dos jogadores no verão é a seguinte: Sidney Crosby, Evgeni Malkin, Claude Giroux, Pavel Datsyuk, Drew Doughty, Jonathan Drouin, Tyler Bozak e alguns outros já estão lesionados e não participam do training camp de seus respectivos times como planejado.

Cada lesão é uma lesão. Há fatalidades nos jogadores listados acima, como Datsyuk, que levou um check duro contra as bordas no jogo de pré-temporada contra os Penguins. Drouin caiu de forma esquisita em cima de seu braço em um treino e quebrou o dedão de sua mão. Já os outros, são lesões majoritariamente musculares.

O equilíbrio no verão, neste caso, é mais do que fundamental. A ética de cada jogador de hockey está sendo levada cada vez mais a sério pelos gerentes dos times, que estão tomando medidas para que eles tenham um treino apropriado na offseason. Ilya Bryzgalov foi chamado para o training camp de Minnesota após a fratura que Josh Harding sofreu em seu pé. O russo, ao falar com a mídia em Minny, disse que não entrava em um rinque de gelo havia quatro meses. Opção do jogador. Agora, pode apostar que os free agents, que ainda brigam por um contrato na liga, patinaram e se exercitaram talvez até mais do que deveriam. Chegam ao training camp pilhados, prontos para contato. Mas já na metade da temporada regular, sofrem de fadiga muscular e se lesionam, porque começaram o ano antes do que deveriam.

Cada vez mais estamos vendo jogadores se exercitarem no verão com seus times. Passam um tempo em suas cidades natais e depois vão para as instalações de suas equipes treinarem com especialistas. A crítica aqui não é para Crosby e Malkin, porque ambos sabem o que estão fazendo para se prepararem para a temporada que chega. Mas também não se pode ignorar suas lesões.

A questão é: os jogadores irão se exercitar de um jeito ou de outro no verão.  Se eles fazem isso sozinhos, com ou sem um treinador ao seu lado, depende de cada um. Mas vejamos o Los Angeles Kings,  atual campeão da Stanley Cup. Cada jogador pôde aproveitar seu dia com o gigante troféu, mas mesmo assim os jogadores treinaram, inclusive, juntos. Muitos são amigos e dividem o mesmo rinque de patinação. Outro fator importante é o tempo que o elenco como um todo está junto. Daryl Sutter está entrando em sua quarta temporada como técnico da equipe e já conhece muito bem todos os seus principais jogadores, assim como os jogadores conhecem seu técnico e o sistema a ser jogado. A rotina de pré-temporada para LA é a mesma há quatro anos.

Já Pittsburgh entra em um regime completamente novo. No final da temporada passada, trocaram de General Manager e técnico. No training camp, Mike Johnston, novo comandante do banco de Pittsburgh, terá muito trabalho para implementar o sistema de jogo que acha mais eficiente em um time que não teve muito contato ainda. Os jogadores farão de tudo para começar a temporada jogando da maneira que Johnston acha melhor, mas só terão seis jogos de pré-temporada para testar. E nesses seis jogos, Crosby e Malkin, seus principais jogadores, não estarão disponíveis para participar na maioria deles. Quem você acha que começará o ano melhor: Los Angeles ou Pittsburgh?

A preocupação dos times com os jogadores é bastante compreensível. Não será surpresa se, a partir do ano que vem, as instituições controlem mais a pré-temporada dos jogadores, o que pode incluir as férias. Não estou dizendo que eles vão ditar regras e proibições, mas pelo menos a parte de exercitação muscular será um foco maior. A NHL simplesmente não pode aceitar começar a temporada sem estrelas como Crosby, Giroux e Doughty, sem nenhuma partida jogada.

Comments
To Top