NHL

A promissora e cobiçada classe do Draft de 2015

 

Poucos mais de um mês depois do draft de 2014 da NHL, em Philadelphia, o assunto da coluna desta semana já é sobre a próxima geração de prospects a terem seus nomes chamados no palco do draft. Afinal, nunca é cedo demais para se falar das próximas estrelas da liga, especialmente uma classe que promete ser a mais forte dos últimos anos.

Connor McDavid e Jack Eichel, dois garotos de 17 anos, já despontam como os claros favoritos a serem escolhidos nas duas primeiras posições. Há quem diga que, se ambos pudessem participar das edições dos últimos três anos, qualquer um dos dois seriam escolhidos em primeiro lugar à frente dos outros prospects. Yakupov ou McDavid? McDavid. MacKinnon ou McDavid? McDavid. Ekblad ou McDavid? McDavid. Todos os holofotes estão no canadense, que promete ser o próximo Crosby, mas Eichel, o americano, não está nem um pouco longe. Jack também teria sido escolhido à frente das três primeiras escolhas anteriores.

A qualidade de ambos é tão grande que a atenção para o World Juniors Championship deste ano, disputado em Toronto e Montreal, terá uma audiência especial dos fãs de hockey norte americanos. E isso vale para tanto os canadenses quanto os estadunidenses. McDavid e Eichel estão marcados para liderarem suas respectivas seleções no torneio. E suas exibições podem definir quem terá seu nome chamado primeiro no draft do ano que vem.

Mas o que diabos ambos têm que os fazem ser tão especiais assim? Tudo. Eles são completos. QI de hockey, visão, tiro, passe, velocidade, jogo defensivo, tamanho. São os famosos jogadores generacionais, que aparecem uma vez a cada 10 anos, como Crosby. É impressionante assistir McDavid passar como quer por defensores adversários, e Eichel voando sobre o gelo e marcando gols em altíssima velocidade. Os times que seleciona-los terão dois franchise players.

McDavid esteve no training camp de verão da seleção canadense, enquanto Eichel esteve no da seleção norte americana. Em jogos amistosos disputados contra outras seleções, os dois centers mostraram mais maturidade e jogo completo do que seus companheiros de time, que são, inclusive, mais velhos. Contra a República Tcheca, McDavid jogou em todas as situações, no power play e penalty kill, incluindo 5 on 3. Como brinde, marcou esse gol espetacular:

Eichel, por sua vez, foi uma máquina de pontos. Em jogos contra a Suécia e Finlândia, ele marcou um total de oito pontos. As situações são as mesmas de McDavid. Power play, penalty kill e bastante 5 on 5.

Com o começo da temporada, Mc David defenderá pela terceira temporada seguida o Erie Otters, da OHL. Já Eichel se comprometeu à Boston University. Ambos já jogaram o World Championship do ano passado, e é esperado que tenham papéis ainda mais importantes neste ano.

Mas o draft de 2015 não é só sobre Connor e Jack. Uma excelente safra de prospects estará disponível para os times na primeira rodada, até na segunda. Matt Barzal, Pavel Zacha, Dylan Strome, Travis Konecny e Noah Hanifin prometem ser excelentes escolhas do top 10, que ainda está muito cedo para ser projetado. Se eu quebrei a cabeça para fazer o mock do draft deste ano, imagine fazer o do próximo ano agora.

Grande parte desses jovens estão competindo no Torneio Ivan Hlinka, também conhecido como o Sub 18 das oito principais seleções do mundo. O favorito, Canadá, já venceu suas duas primeiras partidas, contando com ótimas atuações de Matt Barzal e Mitch Stephens, que juntos têm seis pontos em duas partidas.

McDavid e Eichel não participam do torneio, mesmo tendo 17 anos, por já fazerem parte da seleção Sub 20 de seus respectivos países. Ou seja, já estão um nível acima dos outros.

A corrida para ser a primeira escolha geral do draft de 2015 já começou. Não só pela primeira, mas pelo top 10 de uma excelente geração também.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top