NHL

Prévia do draft da NHL de 2015

(Foto: Reprodução/Facebook)

(Foto: Reprodução/Facebook)

Chegou o dia, fã de hockey! O draft de 2015 da NHL finalmente chegou, e junto com ele, meu Mock Draft. A classe deste ano promete ser a melhor desta década, possivelmente tão boa quanto a de 2003, que produziu grandes estrelas em posições tardias (Ryan Getzlaf em 19º, Ryan Kesler em 23º). Importante notar que o mock foi feito com o posicionamento anunciado pela NHL no dia 25. Quaisquer trocas que ocorrerem no dia com certeza mudarão o rumo das escolhas, mas não tenho controle sobre isso. É possível que Arizona troque a 3ª geral, que alguns times subam, outros desçam…impossível prever. Aproveitem o draft, melhor dia do ano para mim, Lucas Hanashiro. E até a free agency!

1- Edmonton Oilers – Connor McDavid (C)

A primeira escolha do draft deste ano é a mais fácil de se fazer. Connor McDavid é o melhor prospect disponível, o melhor elegível a um draft desde Sidney Crosby. Será a peça principal da franquia dos Oilers pelos próximos 20 anos e é uma mera questão de tempo até que o jovem canadense se torne um dos melhores jogadores do mundo. Sua combinação de QI de hockey, velocidade, habilidade com o disco e visão são muito acima da média.

2- Buffalo Sabres – Jack Eichel (C)

Eichel não é apenas um prêmio de consolação para os Sabres. O americano é um talento muito similar a McDavid e seria o primeiro selecionado do draft caso Connor não estivesse na classe. Um center completo, Eichel é grande e tem o cérebro de um gênio. Capaz de marcar gols de todos os cantos do gelo, é também um excelente playmaker e torna os jogadores ao seu redor melhores. Assim como McDavid, será a peça principal dos Sabres por 20 anos.

3- Arizona Coyotes – Dylan Strome (C)

Depois de McDavid e Eichel, as escolhas ficam mais incertas, já que ambos se diferenciam muito do restante do draft. Mas não subestimemos os outros prospects. Dylan Strome é um center que tem mais de 1.90m de altura e que somou 129 pontos em 68 jogos na sua temporada na OHL. A combinação de tamanho e habilidade não é fácil de achar e Strome pode ser o center que Arizona tanto precisa. Já com talentos na defesa (Ekman-Larsson, Gormley, Murphy) e nas wings (Domi, Perlini, Duclair), os Coyotes precisam de um center. Strome é o melhor disponível.

4- Toronto Maple Leafs – Noah Hanifin (D)

A necessidade dos Leafs por um center é evidente, mas com os três melhores do draft já selecionados, Toronto tem que selecionar o melhor jogador restante e este é Noah Hanifin. O defensor de Boston é um dos melhores patinadores de toda a classe, podendo atravessar o rinque inteiro com a posse do disco em um piscar de olhos. Projetado como um offensive defenseman, Hanifin tem tudo comandar a defesa ao lado de Morgan Rielly. Mas caso os Coyotes passem em Strome, Toronto estará esperando o center de braços abertos.

5- Carolina Hurricanes – Mitch Marner (C/RW)

Uma verdadeira arma ofensiva, Marner é capaz de produzir pontos e situações de gol no ataque como poucos. Com uma visão de gelo acima da média, o canadense é o tipo de jogador que está em todos os lugares, rápido e ágil quando tem a posse do disco. Uma das questões que o envolvem é o seu tamanho, com apenas 1.80m. Sua estatura não é a ideal para um center, o que provavelmente forçará os Canes a transforma-lo em um winger. Joga-lo com um dos Staals com certeza não será problema para Marner.

6- New Jersey Devils – Matthew Barzal (C)

Repletos de excelentes defensores (Merrill, Larsson, Severson), New Jersey necessita bastante de forwards. Mais especificamente, de centers. Barzal é um jogador que não possui muito tamanho, mas joga muito bem na posição e tem ótimos instintos ofensivos. Foi o melhor jogador canadense no Ivan Hlinka (Mundial sub-18) disparado, provando que sabe desempenhar em palcos importantes. Esta é mais uma escolha que eu acho que os Devils farão, e não a que eu necessariamente concordo, apesar de Barzal ser um baita prospect.

7- Philadelphia Flyers– Pavel Zacha (C/LW)

Zacha é um forward que se encaixa muito bem nos Flyers. Tem tamanho, é capaz de atuar em duas posições e sabe jogar físico, possui aquele lado sujo do jogo. Teve problemas de lesão e suspensões nesta última temporada, mas isso não diminui o talento do tcheco. Já representou seu país em diversas competições e tem experiência em jogar contra adultos. Zacha pode não jogar imediatamente nos Flyers, mas ele se torna automaticamente o melhor prospect ofensivo da organização.

8- Columbus Blue Jackets – Ivan Provorov (D)

Provorov é um defensor completo, que faz de tudo e tem o potencial de se tornar o principal jogador da defesa dos Jackets com Ryan Murray. Sabe patinar, produz ofensivamente e joga contra os principais jogadores do time adversário, capaz de anular e solidificar a zona defensiva com seu jogo. Columbus precisa de ajuda na defesa e não será surpresa se Provorov começar a temporada já na NHL.

9- San Jose Sharks – Mikko Rantanen (RW)

Rantanen é um power forward que já está pronto para jogar na NHL. Tem tamanho, habilidade ofensiva para marcar gols, ótimo posicionamento e um jogo completo, incluindo na zona defensiva. Para os Sharks, Rantanen cai como uma luva. Não é segredo para ninguém que eles estão tentando reconstruir seu elenco, e Rantanen seria uma peça chave para a franquia seguindo em frente. Jogando em uma divisão dura como Pacifico, Rantanen é o tipo de jogador capaz de competir com jogadores de LA e Anaheim.

10- Colorado Avalanche – Zach Werenski (D)

Um problema que AINDA persiste em Colorado é a defesa. E achar defensores que jogam no par principal, capazes de logar mais de 20 minutos por jogo é bastante difícil. Na free agency, não se acha. Tem que se desenvolver pelo draft. Werenski está um passo atrás de Hanifin e Provorov, mas isso não o torna um prospect mediano, pelo contrário. Ele tem justamente o potencial de se tornar um top 2 d-man se bem desenvolvido, isto é, jogando mais alguns anos por Michigan e depois fazendo a transição para as ligas profissionais, a AHL e depois NHL. Seria um projeto excelente para o sistema de Colorado.

11- Florida Panthers – Lawson Crouse (LW)

Crouse tem potencial o suficiente para ser selecionado no top 10. Com mais de 1,90m e pesando quase 100kg, o left winger é o protótipo de power forward que todo time procura. Um dos melhores líderes disponíveis, Crouse tem um jogo completo em todo o gelo, sabe jogar físico e tanto no PP como PK. Com apenas 17 anos, participou do Mundial sub-20 pelo Canadá e teve uma performance acima do esperado. Se ele ainda estiver disponível depois do top 10, sua seleção é óbvia e fácil.

12- Dallas Stars – Timo Meier (RW)

Meier é uma grande arma ofensiva e os Stars estão valorizando esse tipo de jogador. Atrás de Nichushkin, a equipe carece um winger talentoso e capaz de assumir uma posição no top 6 da equipe. Apesar de ter o tamanho e peso necessário para ingressar na NHL, Meier precisa de um pouco de desenvolvimento e dificilmente estará no lineup dos Stars em outubro.

13- Los Angeles Kings – Kyle Connor (C/LW)

Connor, na 12ª posição, é o melhor jogador disponível. O MVP da USHL da temporada passada é um jogador versátil, podendo jogar tanto como center quanto na left wing. Um bom jogador no ataque e na defesa, ele pode se tornar um sólido 2ª linha e preenche uma necessidade importante nos Kings: prospects na posição de forward.

14- Boston Bruins – Travis Konecny (C/RW)

Konecny é o tipo de jogador que agrada os Bruins. Apesar de não ser dos mais altos, tem um jogo físico acima do esperado e sabe ser um líder, ou seja, tem boa personalidade e força de vontade para melhorar seu jogo. Jogar em duas posições é sempre um atrativo para um equipe como Boston, que procura flexibilidade, em todos os sentidos.

15- Calgary Flames – Jakub Zboril (D)

A necessidade mais evidente no prospect pool de Calgary é na defesa. É difícil apontar qual o melhor disponível após os três do top 10, mas Jakub Zboril é um defensor que tem tudo em seu jogo. Além de atuar muito bem em sua zona, tem um ótimo tiro da linha azul, visão e um primeiro passe que faz a transição da defesa para a zona neutra parecer fácil. Ainda joga físico, não tendo medo de punir seu adversário. Um baita defensor na 15ª posição.

16- Edmonton Oilers (PIT) – Thomas Chabot (D)

A seleção de McDavid torna tudo mais fácil para os Oilers, inclusive permitem que o time selecione um jogador que pode ajudar muito a defesa da equipe. Chabot tem grande potencial, possuindo um jogo muito equilibrado e capaz de ser moldado em um top 2. Joga em todas as situações e é bastante móvel, patinando bem para um jogador de 1.85m.

17- Winnipeg Jets – Colin White (C)

Winnipeg fez escolhas de ataque nos últimos drafts. Nic Ehlers, Mark Scheifele e Nic Petan são forwards que podem produzir muitos pontos, e Colin White chega para equilibrar a posição de center na equipe, tendo um jogo mais redondo na zona defensiva. Isso não quer dizer que seu potencial ofensivo é pequeno, pelo contrário. White teve 54 pontos em 54 jogos na última temporada da USHL, números muito respeitáveis.

18- Ottawa Senators – Nick Merkley (C/RW)

A opção óbvia para Ottawa é selecionar um defensor, mas com Chabot e Zboril já selecionados, a opção vira o BPA (Best Player Available). Merkley é um jogador que, apesar do tamanho, tem ótimos instintos ofensivos. Jogando em um grande time de Kelowna, somou 70 assistências em 72 jogos, provando ser um playmaker de primeira na sua classe. OTT já tem vários centers de qualidade. Merkley se torna o melhor winger do sistema deles.

19- Detroit Red Wings – Yevgeny Svechnikov (LW/RW)

A escolha de Detroit é sempre legal de se prestar atenção porque é sempre uma certeza: eles selecionarão um ótimo prospect. Svechnikov é um dos wingers mais talentosos do draft. Com quase 1.90m, ele tem um ótimo senso de hockey e joga um estilo agressivo, sem medo de ir para as zonas sujas e se impor no gelo. Típico jogador que faz de tudo para jogar ao máximo de seu potencial, fazendo tudo o que o técnico pede. É uma combinação perfeita com Detroit.

20- Minnesota Wild – Joel Eriksson EK (C)

EK continua o desenvolvimento dos Wild de centers europeus, como fizeram com Koivu e Granlund. O jovem de 17 anos tem um jogo maduro após jogar na SEL na temporada passada e tendo um excelente mundial sub-18 pela Suécia. Com altura e peso, EK está próximo de chegar à NHL, mas precisa maturar seu jogo ofensivo para se tornar um center completo.

21- Buffalo Sabres (NYI) – Paul Bittner (LW)

Com Eichel e Reinhart no sistema, a necessidade de Buffalo passa para as wings. Bittner é um gigante, com mais de 1.95m de altura, e tem boas mãos para um jogador da sua altura. Sabe patinar e usar o seu tamanho ao seu favor, jogando físico e se aproveitando da zona suja do gelo, além de não ter medo de ir para o gol e fazer o trabalho de screen na frente do goleiro. Um ótimo complemento para os Sabres.

22- Washington Capitals – Oliver Kylington (D)

Os Capitals são uma franquia que não tem medo de arriscar em suas escolhas de 1ª rodada de draft, como provaram quando escolheram Evgeny Kuznetsov em 2010. Kylington é o maior ? de draft, tendo o potencial de se tornar um offensive defenceman de primeiro calibre da NHL, mas sua temporada foi bastante abaixo do esperado. Começou voando, se machucou, e terminou caindo em muitos rankings de especialistas. Fato é que ele é um dos melhores patinadores do draft e seu jogo defensivo pode ser melhorado e desenvolvido por Washington. Aposta arriscada, mas que pode ter uma grande recompensa.

23- Vancouver Canucks – Jérémy Roy (D)

Os Canucks precisam bastante de um defensor que se tornará um top 4 no futuro, e Roy trás justamente isso em sua bagagem. Um defensor extremamente móvel e com ótimos instintos ofensivos, sabe passar muito bem o disco e ser o quarterback de um power play. Tem um tamanho decente de quase 1.83m, sabe defender e atirar para o gol. Justamente o pacote que Vancouver precisa.

24- Toronto Maple Leafs (NSH) – Jansen Harkins (C)

Mesmo com Strome ou Marner, Toronto é carente na posição de center. Harkins é o melhor disponível a essa altura, um ótimo two-way forward que tem boa visão do gelo e mobilidade. Um playmaker nato e habilidoso, se encaixa bem no sistema dos Leafs e se bem desenvolvido, estará na NHL em 3, 4 anos.

25- Winnipeg Jets (BUF de STL) – Brock Boeser (RW)

Boeser é um right winger que é durão e difícil de se jogar contra. Gosta de se impor no gelo, sabe jogar físico e marcar gols. Teve 35 gols, 68 pontos em 57 jogos pela USHL, excelentes números que podem impulsiona-lo para o top 20 do draft. Se cair para 25, Winnipeg o seleciona com um sorriso no rosto.

26- Montreal Canadiens – Denis Gurianov (RW)

O russo é um winger bastante habilidoso que tem tamanho e pode se tornar um grande power forward. Já com 1.93m, está próximo de jogar na NHL. Tem um tiro excelente, forte, e sabe jogar muito bem nas zonas sujas do gelo.

27- Anaheim Ducks – Gabriel Carlsson (D)

O sueco é um defensor dos grandes (1.95m) que contrasta com os defensores que os Ducks atualmente possuem: grande, físico e que são focados na defesa. Carlsson é um prospect já bem desenvolvido, tendo jogado os últimos anos na SEL, e teria a transição imediata para a América do Norte. Jogando na AHL por alguns anos, difícil imaginar que ele não chegue na NHL logo depois de completar 20 anos.

28- Tampa Bay Lightning (NYR) – Daniel Sprong (RW)

Uma arma ofensiva criativa e com um tiro invejável, Sprong é um forward que sabe produzir na zona ofensiva. Este é o seu problema, no entanto: suas armas defensivas deixam a desejar. Porém, Sprong já marcou 39 gols em sua última temporada e seus números devem só crescer. Se o seu talento conseguirá fazer a transição para a NHL, é uma questão que só será respondia em 5 anos.

29- Philadelphia Flyers (TBL) – Brandon Carlo (D)

Carlo é um defensor grande, com potencial para se tornar mais do que um d-man que é limitado à sua zona defensiva. Com certa mobilidade, tem um bom tiro da blue line e é capaz de passar o disco bem. Tudo isso, no entanto, é teoria. Sua verdadeira habilidade é na zona defensiva e parar os principais forwards do time adversário.

30- Arizona Coyotes (CHI) – Jake DeBrusk (RW)

DeBrusk teve um grande final de temporada WHL, somando 81 pontos em 72 jogos. É um forward habilidoso, com um bom senso de hockey e caráter. Trabalha duro e faz o necessário para se tornar um jogador completo.

1 Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top