NHL

Kings reagem no final, vencem por 5 a 4 e fazem 2 a 0 na série

Crédito: Instagram/ Reprodução

Crédito: Instagram/ Reprodução

O Kings conseguiram voltar novamente de desvantagem no placar para vencer a segunda na série e abrir 2 a 0.

O jogo começou extremamente equilibrado, com dois times cautelosos, mas mesmo assim não deixando de jogar. O jogo foi equilibrado tantos em tiros ao gol (10 a 9 para os Rangers) quanto em número de faltas, uma para cada time, e nenhuma aproveitada. O primeiro gol saiu na metade do período, quando Ryan McDonagh conseguiu furar a barreira de Jonathan Quick com um tiro de perto da zona neutra. O equilíbrio continuou, mas novamente o tiro de longa distância desequilibrou: Ryan McDonagh atirou contra Quick, que dessa vez defendeu, mas Mats Zuccarello aproveitou o rebote

O Kings não se abalaram com o déficit no placar, e aos dois minutos do segundo período marcou com Jarret Stoll após péssimo erro de transição dos Rangers. O momentum do jogo ficou todo para o time da casa, mas os Rangers também não ficaram atrás, o resultado do time foi um jogo movimentado, com os goleiros aparecendo muito bem. Na metade do segundo tempo Martin St. Louis aproveitou o power play para os Rangers para voltar a ter vantagem de dois gols. Os Kings não ficaram atrás, e retribuíram na mesma moeda três minutos depois, com gol de Willie Mitchell, também em jogada de power play. Novamente os Kings pensavam em igualar o placar, mas apenas 10 segundos depois, o balde de agua fria: Quick tentou devolver um puck que passava atrás de sua rede, mas se atrapalhou e Mats Zucarello aproveitou para passar para Derick Brassard colocar os Rangers de novo com dois de vantagem

Ao ter entrado no terceiro período com a mesma diferença de dois gols do início do período, se esperava que o Kings voltassem com menos intensidade para o derradeiro tempo. Foi exatamente o oposto que aconteceu. O time da casa voltou com enorme intensidade para o rinque. Os Rangers começaram a se acuar e tentar segurar o resultado, mas nem mesmo o mais inspirado Lundqvist conseguiu evitar o empate. Logo aos dois minutos do período, o Kings deixou a diferença em apenas um gol com gol de Dwight King que aproveitou rebote do tiro de Matt Greene. O autor do gol foi alvo de reclamação do goleiro dos Rangers, que, segundo ele, o encostou para ter vantagem no lance, algo proibido pela regra. O juízes não podem revisar esse tipo de jogada, e o gol foi validado. A blitz californiana continuou, e cinco minutos depois o time da casa empatou o jogo, em gol de Marian Gaborik, que só saiu após três grandes defesas de Lundqvist. Os Rangers não existiam no jogo, e a partida era de um só time. Mas o time de Nova York ajeitou ao menos sua defesa, e levou o jogo para a prorrogação.

A prorrogação continuou o que o fim do terceiro período apresentava, dominação dos Kings. Os Rangers tiveram duas penalidades a seu favor, porém era pífio nas tentativas de criar jogadas, e Los Angeles era mais perigoso short-handed do que Nova York com um a mais. Los Angeles por sua vez dominava como no terceiro período, mas não criava tantas jogadas incisivas como antes ,o nervosismo começava a pesar, Dwight King chegou a perder um gol cara a cara com o goalie. Dessa forma o empate persistiu durante a primeira prorrogação. Na segunda o jogo parecia que iria se arrastar para uma terceira prorrogação, até que Willie Mitchell acertou lindo wrist shot, que contou com desvio de Dustin Brown, para acabar com o jogo e dar uma liderança de 2 a 0 para o Los Angeles Kings na série

O próximo jogo será no Madison Square Garden, em Nova York, na próxima segunda-feira (9) as 21hrs, horário de Brasília

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top