NHL

A era de John Gibson começou em Anaheim

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Uma série da segunda rodada dos playoffs que prometia um grande equilíbrio antes de começar era a entre Anaheim Ducks e Los Angeles Kings. Dominante na primeira rodada ao bater o Dallas Stars por 4-2, os Ducks acreditavam que poderiam solucionar o grande problema que teriam em Jonathan Quick e contar finalmente com boas atuações de seus goleiros Frederik Andersen e Jonas Hiller, inconstantes no começo da pós temporada. Mas não foi bem assim que o duelo começou.

Tendo o mando de gelo ao seu favor, Anaheim começou a série da pior maneira possível, perdendo os dois primeiros jogos em casa por 3-2 e 3-1. O suíço Hiller começou ambas as partidas, tendo atuações nada além de razoáveis. Frederik Andersen recebeu o chamado no jogo 3, mas saiu machucado na metade do terceiro período. Hiller assumiu o jogo e manteve a liderança dos Ducks no placar, o que resultou em uma vitória fundamental para Anaheim. Mas com Andersen machucado e Hiller longe de sua melhor fase, Bruce Boudreau teria uma decisão difícil para fazer no jogo 4 da série.

Eis que uma ligação para Norfolk, cidade da filial de Anaheim na AHL, decidiu quem seria o titular do time na próxima partida. John Gibson foi selecionado na 39ª posição do draft de 2011 pelos Ducks, e desde então vem tendo uma carreira fantástica. Pela seleção norte americana, Gibson ganhou ouro no Campeonato Mundial de Juniores, o prêmio de melhor goleiro e MVP do torneio. Meses depois, foi convocado para o time que disputaria o Campeonato Mundial, que envolve jogadores de todas as idades e da NHL, e levou o bronze começando como titular em 5 dos 10 jogos do time, incluindo as quartas, semis e decisão do 3º lugar, tendo atuações e números excelentes em todas as partidas.

Em seu clube da OHL, liga junior canadense, suas estatísticas são tão impressionantes quanto pela seleção dos EUA. O destaque vai para as atuações nos playoffs. Em 2012-13, teve .946% de defesas e uma média de 2.17 gols contra por partida em 10 jogos. Com números e atuações tão boas, você deve se perguntar: por que diabos ele não foi selecionado em uma posição mais alta no draft? Minha resposta: porque todos os outros times que selecionaram antes não sabiam o que estavam fazendo ao passar uma futura estrela da NHL. Créditos para Anaheim que conseguiu roubar Gibson na segunda rodada.

O jovem americano estreou na NHL no dia 7 de abril deste ano, contra o Vancouver Canucks. E logo em sua primeira partida teve um shutout, defendendo todos os 18 tiros que vieram em sua direção. Depois, vieram vitórias contra San Jose e Colorado, ambos times de playoffs. Com a pós temporada se aproximando, Gibson foi mandado para a AHL para poder continuar jogando e evoluindo, mas com a clara mensagem de que caso algo desse errado em Anaheim, ele receberia o chamado. E foi o que aconteceu.

Liderando o seu time para o aquecimento no jogo 4 contra os Kings, no Staples Center, Gibson fazia a sua estreia nos playoffs. Com certeza uma das estreias mais difíceis da história da NHL, contra um time que foi campeão na temporada retrasada, havia acabado de vencer uma série em que perdia por 3-0 e com o líder de pontos na pós temporada, Anze Kopitar. A pressão e responsabilidades eram enormes. Caso Anaheim voltasse a perder, eles teriam a árdua missão de virar uma série em que perderiam por 3-1. Mesmo com tanta coisa em jogo, Boudreau confiou no jovem de apenas 20 anos, e a aposta correspondeu às expectativas.

Gibson teve um shutout de 28 defesas, se juntando ao hall da fama Tiny Thompson como os únicos goleiros a não sofrerem gols em suas estreias na temporada regular e playoffs da NHL. Com a série empatada em 2-2, Gibson também começou o jogo 5 no Honda Center, e teve mais uma atuação calma, segura e confiante. Mesmo permitindo três gols, o americano parou 39 tiros de Los Angeles e conseguiu a vitória por 4-3 na partida mais movimentada da série até então, com os Kings pressionando muito nos minutos finais. Ele pode não levar os Ducks para a Stanley Cup nesse ano, e nem deve se esperar que ele o faça, mas o que o garoto anda fazendo é de impressionar todos os fãs de hóquei.

Como diz a página da NHL, a era Gibson começou em Anaheim. Com Jonas Hiller se tornando um free agent ao fim desta temporada, o bom senso indica que os Ducks começarão a próxima temporada com John Gibson e Frederik Andersen como sua dupla de goleiros. A franquia de Anaheim provou que sabe draftar, e saberemos logo se também sabe desenvolver os seus prospects da maneira correta. Todos sabem que o melhor a se fazer é deixar os jogadores jovens na AHL por um tempo, para que eles obtenham a experiência necessária para atuar na NHL. Neste caso, tempo não é necessário. Gibson está pronto para assumir a responsabilidade do trabalho mais difícil na liga: o de goleiro titular.

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top