NHL

Draft e free agency remodelam a NHL

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Infelizmente, os dias mais divertidos do ano na NHL já se passaram. O draft, em Philadelphia, foi repleto de especulações, trocas e com a inserção de ótimos prospects nos times da NHL. Na free agency, oficialmente aberta às 13h do dia 1ª de julho, vimos mais de $500 milhões de dólares serem distribuídos entre os jogadores apenas no primeiro dia. Incluindo toda a offseason da NHL, ou seja, desde o momento que os jogos terminaram, como cada um dos times se comportaram? O Quinto Quarto analisa caso a caso para você, fã de hockey, começando com os 10 primeiros times em ordem alfabética.

Anaheim Ducks

A grande aquisição da free agency foi dos Ducks. Ryan Kesler, principal jogador no mercado, foi trocado de Vancouver para Anaheim em troca de Nick Bonino, Lucas Sbisa e a 24ª escolha geral do draft de 2014. Bom negócio para ambas as equipes. Anaheim fica ainda mais forte por adicionar um excelente center na sua tão necessitada segunda linha, o que os fortalece para confrontos contra Los Angeles e Chicago, que foram longe nos playoffs principalmente por sua força no meio do gelo. No draft, com a 10ª escolha geral adquirida dos Senators, eles selecionaram o enorme Nick Ritchie, que era cotado para ser selecionado em uma posição mais alta. Na free agency, assinaram Jason LaBarbera, goleiro que ajudará os rookies que estão assumindo o controle, e Clayton Stoner, defensor que pode jogar caso algum dos top 6 se lesionem. Sem assinarem um bom winger para jogar ao lado de Kesler, a aposta fica no jovem Emerson Etem. Ainda têm que assinar Jakob Silfverberg, Devante Smith-Pelly e Sami Vatanen, todos RFA.

Draft: Bom

Offseason: Bom

Arizona Coyotes

É estranho listar os times da NHL em ordem alfabética e ver os Coyotes logo após de Anaheim. Agora o Arizona Coyotes, o time de Glendale teve uma offseason pacata para uma equipe que precisa de bastante ajuda no ataque. No draft, fizeram ótimas escolhas começando com Brendan Perlini na 12ª posição geral. Outras seleções notáveis são Ryan MacInnis, escolhido na 43ª geral, e Anton Karlsson, escolhido na 87ª escolha geral. Ambos eram cotados para serem selecionados no final da 1ª rodada, começo da 2ª rodada, mas foram caindo até serem escolhidos pelos Coyotes. Na offseason, perderam Radim Vrbata, forward que mais pontuou na última temporada junto de Mikkel Boedker, para Vancouver e não o substituíram. Precisam de mais peças se quiserem competir na forte divisão do Pacífico.

Draft: Ótimo

Offseason: Ruim

Boston Bruins

Com as mãos atadas por problemas do teto salarial, os Bruins não fizeram praticamente nada desde que a temporada se encerrou. Querendo renovar com Jarome Iginla, Boston não conseguiu mantê-lo por falta de espaço no cap, e nem conseguiram substitui-lo com outro free agent. A única aquisição dos Bs até agora foi o goleiro Jeremy Smith. Ninguém mais, ninguém menos, sendo que perderam Shawn Thornton e Andrej Mezsaros. No draft, mantiveram suas escolhas e, com a 25ª geral, selecionaram o bom David Pastrnak, que ajudará a falta de talento nas wings. Ryan Donato, selecionado na 2ª rodada, tem bom potencial, e pode ser um roubo na 56ª seleção. Ainda têm que assinar Reilly Smith, Torey Krug e Matt Bartkowski, todos RFA.

Draft: Bom

Offseason: Ruim

Buffalo Sabres

Em um processo de reconstrução, os Sabres foram bastante ativos, principalmente no draft. Já com muitos talentos jovens, ele draftaram nove vezes durante as sete rodadas, escolhendo o fantástico Sam Reinhart com a 2ª escolha geral e o promissor Brendan Lemieux com a primeira escolha da 2ª rodada. Christian Ehrhoff e Ville Leino tiveram seus contratos rescindidos para abrir espaço para Matt Moulson, Brian Gionta e Andrej Mezsaros, que, com seus salários combinados, custam $13.25M por temporada ao time dos Sabres. Estratégia clara para atingir o mínimo da folha salarial exigido pela NHL. O plano é óbvio: ter a pior temporada possível da NHL para ter uma das duas primeiras escolhas do draft de 2015, que terá dois jogadores com capacidade de serem tão bons quanto Crosby e Ovechkin, que são Connor McDavid e Jack Eichel. Ainda tem que assinar Tyler Ennis e Chad Ruhwedel, ambos RFA.

Draft: Ótimo

Offseason: Mediano

Calgary Flames

Também se reconstruindo, os Flames foram motivo de notícias pelos seus altos e baixos. No draft, conseguiram o excelente Sam Bennett, cotado para ir na primeira posição geral, apenas com a quarta escolha geral. Escolheram o melhor jogador disponível, e fizeram o certo. Na free agency, assinam o ótimo Jonas Hiller para um contrato que vale $9M por duas temporadas. Excelente negócio. Hiller vai finalmente arrumar a bagunça que é a situação no gol de Calgary. Depois, assinam Mason Raymond para um contrato que vale $9.5M por três temporadas. Duvidoso e arriscado. Mas o melhor eu guardei para o final: assinam Deryk Engelland para um contrato que vale $8.7M por três temporadas. Engelland é um enforcer que joga tanto como defenseman como forward, e não, isso NÃO é bom, e que marcou seis, SEIS gols, no máximo em uma temporada. Eu coço minha cabeça e penso: “O que diabos eles tem na cabeça?”. Ainda tem que assinar Joe Colborne e Lance Bouma, ambos RFA.

Draft: Bom

Offseason: Mediano / Ruim

Carolina Hurricanes

Bastante conservadores, os Canes mantiveram suas escolhas no draft e não assinaram um grande nome na free agency. Com a sétima escolha geral, selecionaram o segundo melhor defensor disponível no draft em Haydn Fleury, o que ajudará bastante o setor do time no futuro. Na free agency, suas maiores aquisições foram Brad Malone e Jay McClement. E é isso ai. A aposta dos Canes indo para a temporada é que os irmãos Staal recuperem a forma de estrelas e que Jeff Skinner marque mais de 30 gols.

Draft: Bom

Offseason: Ruim

Chicago Blackhawks

Assim como os Bruins, os Hawks entraram na offseason com as mãos atadas pela difícil situação com o teto salarial. O principal assunto que agitou Chicago se deu por conta das renovações de contrato de Jonathan Toews e Patrick Kane, que serão free agents na próxima temporada. O pedido inicial de ambos teria sido de absurdos $12M POR TEMPORADA, muito acima de qualquer outro salário na liga. Os dois lados ainda estão negociando e devem chegar a um acordo até dezembro. No draft, a principal seleção de Chicago foi Nick Schmaltz, após fazerem uma troca com San Jose para subirem até a 20ª posição geral para escolher o center. Na free agency, assinaram Brad Richard para um contrato de um ano, valendo $2M. Chicago estava no páreo por Ryan Kesler, mas o preço estava alto demais. Optaram por ir na opção mais barata e também mais fraca em Richards. Mesmo com poucas mudanças, Chicago entra como a segunda força do oeste, atrás apenas dos campeões Los Angeles Kings.

Draft: Mediano

Offseason: Mediano

Colorado Avalanche

O principal objetivo de Colorado ao entrar na pós temporada era assinar o center Paul Stastny, mas o americano decidiu seguir outro caminho. Com um buraco a ser preenchido no roster, Joe Sakic assinou o veterano Jarome Iginla para um contrato de três anos, valendo $16.5M. Iggy é capaz de marcar 30 gols e jogará provavelmente ao lado de Nathan MacKinnon, que poderá assumir a posição de center da 2ª linha deixada por Stastny. No final, perder o americano não foi uma tragédia para os Avs. Uma troca com Montreal mandou o winger PA Parenteau para os Habs em troca de Danny Briere, que é excelente nos playoffs e ajudará os jovens da franquia. No draft, foram conservadores ao manterem suas escolhas. Na 23ª posição geral, selecionaram o bom center Conner Bleackley, que será…um bom center, nada além disso. Ainda tem que resolver a situação com Ryan O’Reilly, que é um RFA e assinaria um contrato de longo termo com Colorado. O que parece é que os Avs não estão dispostos a se comprometer por muito tempo e muito dinheiro com o canadense, o que seria um erro dos grandes. Tyson Barrie e Stefan Elliott também são RFA a espera de contratos.

Draft: Mediano

Offseason: Mediano

Columbus Blue Jackets

Columbus entrou na offseason tentando trocar RJ Umberger, que havia pedido para ser trocado, mas poucos times estavam interessados ou dispostos a pagar o preço requerido. Até que os Flyers ofereceram Scott Hartnell, e a troca foi feita imediatamente. Por que diabos Philly trocou Hartnell por Umberger, ninguém sabe. Mas Columbus ganhou a troca com muito louvor, conseguindo um winger melhor, mais físico e capaz de jogar na 1ª linha. No draft, não trocaram suas escolhas e selecionaram o mágico Sonny Milano na 16ª posição. Boa escolha que pode compensar muito no futuro. Na 77ª posição, draftaram Blake Siebenaler, que pode se desenvolver em um bom defensor. Na free agency, só assinaram Brian Gibbons, ex Penguins, e deixaram oito jogadores mudar de equipe, mas sem deixar buracos no lineup. O próximo passo é assinar Ryan Johansen, líder de pontos da equipe na temporada passada, que é um RFA. A última notícia que se tem é de quem ambos os lados estão longe de chegar a um acordo. Columbus quer um contrato de dois anos, enquanto Johansen quer mais termo com bastante dinheiro garantido. Com os jovens progredindo, Columbus melhorará ainda mais nessa temporada.

Draft: Mediano

Offseason: Boa

Dallas Stars

Na fortíssima conferência oeste, os Stars se mexeram da maneira que podiam e fizeram boas aquisições. Agressivos no páreo por Jason Spezza, Dallas conseguiu o center de Ottawa por Alex Chiasson, Alex Guptill, Nicholas Paul e uma escolha de 2ª rodada do draft de 2015. Com Seguin e Spezza como seus principais centers e Eakin e Horcoff na 3ª e 4ª linha, os Stars estão se preparando muito bem para enfrentar de igual para igual os Hawks, Avs e Blues. Ales Hemsky teve um ótimo final de temporada em Ottawa, e os Stars, precisando de um winger para jogar com Spezza, contrataram o tcheco por 3 anos, com o valor de $4M por temporada. Se os Stars chegaram nos playoffs pelo Wild Card na última temporada, prometem ir além com o bom lineup que estão montando. No draft, selecionaram Julius Honka na 14ª posição geral, defensor com ótimas habilidades ofensivas que pode se tornar o próximo Erik Karlsson. A comparação parece ser exagerada, mas ninguém esperava que Karlsson se tornasse o jogador que é hoje quando o sueco foi draftado na 15ª posição geral do draft de 2008. Ainda têm que assinar Cody Eakin, Antoine Roussel e Brenden Dillon, todos RFA.

Draft: Mediano

Offseason: Ótimo

1 Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top