NFL

A volta de Nick Foles e a injustiça feita com Gardner Minshew

Gardner Minshew, quarterback do Jacksonville Jaguars

Sai Gardner Minshew e entra Nick Foles.

Essa linha acima conta muito do que ocorreu nesta terça-feira (5), quando o técnico Doug Marrone, do Jacksonville Jaguars, anunciou que Foles voltará a ser titular da equipe e o calouro Minshew retorna ao banco de reservas.

Quando você contrata um quarterback sob contrato de quatro anos, com valor US$ 88 milhões (US$ 50,125 milhões garantidos), e ele fratura a clavícula no primeiro jogo com a camisa do seu time, é certo que ele voltará assim que estiver saudável. As coisas funcionam basicamente assim na NFL.

Mas, neste caso em específico, não deveria ser assim. Pelo menos não desta forma.

Sei que vou polemizar neste texto, muitos vão discordar absurdamente de mim, e tal. Contudo, eu estou justamente aqui para dar minha opinião e gerar uma certa reflexão. Um debate. Prefiro que discordem veementemente de mim do que passem por esse texto como se fosse uma bula de remédio.

Vale lembrar, inclusive, que tenho uma espécie de ‘fetiche’ de escrever sobre quarterbacks dos Jaguars.

Dois Homens em Conflito #4: passamos a limpo a semana 9 e atacamos de novo os seguidores

Primeiro vou argumentar a favor de Foles. Vamos começar pelo contrário.

Segundo o ESPN Stats & Information, Foles tem a maior porcentagem de vitórias de qualquer quarterback titular em novembro e adiante (incluindo playoffs) desde 2016. Ele soma 10 vitórias e duas derrotas (83,3% de aproveitamento), o que é melhor do que Tom Brady (27-7, 79,4%) e Andrew Luck (13-4, 76,5%). E é óbvio que ele atuou em menos jogos do que Brady e Luck.

Contudo, Foles teve sucesso absurdo na pós-temporada e até comandou os Eagles no Super Bowl LII, quando a franquia faturou o primeiro Super Bowl de sua história. De quebra, Foles foi eleito o MVP da decisão.

OK, Foles é isso, é aquilo. Decisivo, clutch, um QB que está para playoffs como Evair estava para cobranças de pênalti. Blablablá.

Mas, neste cenário, eu defendo Minshew.

Calouro selecionado na sexta rodada do draft de 2019, com a 178ª escolha geral, Minshew foi jogado na fogueira logo na semana 1. Depois que Foles se lesionou na derrota por 40 a 26 sobre o forte Kansas City Chiefs de Patrick Mahomes, esse bigodudo entrou lá com seu swing e teve uma atuação muito boa.

Foram 22 passes completados de 25 para 275 jardas, dois touchdowns e uma interceptação. Passer rating ótimo de 122.5. E eu sei que a secundária dos Chiefs é uma mãe contra o jogo aéreo. Mas era O PRIMEIRO JOGO de Minshew de um QB SELECIONADO NA SEXTA RODADA como titular logo em seu primeiro ano na NFL.

Então, vieram oito jogos como titular. Quatro vitórias e quatro derrotas.

Os quatro triunfos foram sobre alguns times frágeis: Tennessee Titans, Denver Broncos, Cincinnati Bengals e New York Jets.

As quatro derrotas para equipes fortes: Houston Texans (duas vezes), Carolina Panthers e New Orleans Saints.

E, inclusive, uma dessas derrotas foi neste último domingo, em Londres, na pior atuação de Minshew na NFL. Foram quatro turnovers no total (duas interceptações e dois fumbles) e apenas 27 passes certos de 47 para 309 jardas no revés por 26 a 3.

Mas, em termos gerais, o desempenho do camisa 15 na NFL foi muito acima do esperado.

Foram 61,2% de passes precisos para 2.285 jardas, 13 touchdowns e quatro interceptações. O rating? Um não espetacular, mas decente 92.8.

E o que eu defendo é: exceto contra Saints (um dos dois melhores times da NFC nesta temporada) e este último contra os Texans, Minshew foi razoavelmente bem em todos os jogos.

Alguns altos, alguns baixos, mas jogos consistentes.

Teve aquele de três fumbles contra os Panthers, mas ele conseguiu manter o time competindo e lançou para dois TDs naquela mesma derrota por 34 a 27.

Com uma das tabelas mais fáceis entre os quatro times da divisão AFC South, dava para os Jaguars deixarem Minshew terem mais alguns testes de fogo. Ele está entrosado e mostrou que tem capacidade.

Em vez disso, Foles volta e já assume como titular. A decisão de Doug Marrone me parece muito mais pelo contrato de Foles e pela certeza de que ele joga bem na reta final do que qualquer outra coisa.

Mas e se Foles voltar perdendo e jogando mal. Se isso acontecer, o que vai ser? Volta com Minshew e o joga na fogueira de novo?

Para mim, foi uma injustiça com este monstro do bigode e óculos aviador.

Comments
To Top