NFL

Visita do Philadelphia Eagles à Casa Branca é cancelada oficialmente

Chris Long, defensive end do Philadelphia Eagles, e o safety Malcolm Jenkins

(Crédito: Twitter/reprodução)

O Philadelphia Eagles não vai comparecer à Casa Branca para a tradicional cerimônia destinada ao atual campeão do Super Bowl, segundo um comunicado emitido por Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, na noite desta segunda-feira (4).

A decisão se dá um dia antes de o evento ser realizado.

A nota oficial afirma que os atuais campeões do Super Bowl discordam “com seu presidente porque ele insiste que eles orgulhosamente fiquem em pé para o Hino Nacional, com a mão no coração, em homenagem aos grandes homens e mulheres de nossas Forças Armadas e do povo do nosso país”.

Os Eagles planejavam enviar uma delegação menor à Casa Branca, mas “os 1.000 torcedores que planejavam participar do evento mereciam mais”, como nota o comunicado.

Donald Trump afirmou que, em vez disso, haverá um “tipo diferente de cerimônia – uma que homenageará nosso grande país, prestará tributo aos heróis que lutam para protegê-lo, e em alto som e orgulhosamente tocará o Hino Nacional”.

Doug Pederson, técnico principal dos Eagles, havia confirmado no dia 22 de maio que o time visitaria a Casa Branca.

Houve conversas contínuas dentro dos Eagles nas semanas que antecederam a visita agendada, em uma tentativa de mapear um itinerário com o qual o time se sentisse confortável.

Jeffrey Lurie, proprietário dos Eagles, não queria colocar seus jogadores em uma situação complicada e, eventualmente, havia decidido enviar um contingente menor, com menos de 10 jogadores, incluindo o quarterback Nick Foles, MVP do Super Bowl LII, de acordo com Mike Garafolo, da ‘NFL Network’. Outros atletas teriam um dia opcional nas instalações do time.

Também foi sugerido que toda a organização Eagles viajasse para Washington D.C. como uma viagem de equipe, durante a qual alguns membros da franquia visitariam a Casa Branca e outros trabalhariam na comunidade, reuniriam-se com legisladores ou visitariam a cidade.

O safety Malcolm Jenkins, o defensive end Chris Long e o wide receiver Torrey Smith, este último ex-jogador dos Eagles e atualmente no Carolina Panthers, já haviam declarado que não compareceriam à cerimônia.

O quarterback Carson Wentz falou quando a visita foi anunciada que planejava comparecer, frisando que não via o evento como uma “coisa política”, mesmo que alguns de seus companheiros de time enxergassem assim.

No Spring League Meeting, há duas semanas, a NFL aprovou uma nova política de hino para a 2018 que exige que jogadores e membros das comissões técnicas dos times fiquem em pé durante a execução do hino dos EUA antes dos jogos da NFL, mas dá a opção de os jogadores permanecerem no vestiário caso não queiram ficar em pé durante o The Star-Spangled Banner.

Jenkins e Long ficaram entre os atletas que expressaram descontentamento com a nova política.

Comments
NFL, NBA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: [email protected]
Copyright © 2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18


Jogue com responsabilidade


To Top