NFL

Três heróis e três vilões da semana 5 da NFL

Deshaun Watson, quarterback do Houston Texans

(Crédito: Twitter/reprodução)

E lá vamos nós a um conteúdo que já é tão aguardado quanto as Olimpíadas, mas que chega a toda semana (para sorte de vocês). OK, a gente gosta de exagerar. O Quinto Quarto novamente chega com a nossa coluna especial com três heróis e três vilões do domingo de semana 5 da National Football League.

Estamos chegando ao final da quinta semana da temporada 2019 da nossa amada NFL e, neste texto semanal,  temos o intuito de elevar ao palco mais nobre os três maiores nomes da bola oval neste último final de semana e, por que não, difamar gratuitamente os que mandaram mal.

Não, não somos tão maus assim. E também não somos bonzinhos.

É sempre válido destacar que vamos trazer algumas escolhas não tão óbvias, deixando de lado sempre que der os astros da liga que mandam bem toda vez. E que, também, damos espaço eventualmente às menções honrosas.

Chega de enrolação. Vamos novamente a esse prêmio do QQ que está para o futebol americano o que as Índias estavam para Vasco da Gama.

HERÓIS DA SEMANA #5 DA NFL

Por Bruno Bataglin

  • Deshaun Watson e Will Fuller

Na humilhação do Houston Texans sobre o Atlanta Falcons, essa dupla foi do barulho. Grandes responsáveis pela vitória por 53 a 32 no NRG Stadium, o quarterback e o wide receiver dos Texans lideraram um ataque que produziu nada menos do que 592 jardas totais.

Watson fez uma partida magistral, acertando 28 passes de 33 para 426 jardas e cinco touchdowns, saindo de campo com passer rating perfeito de 158.3. Ele se tornou o primeiro jogador da história da NFL a passar para, pelo menos, 400 jardas e cinco TDs com cinco ou menos passes incompletos em um único jogo.

E Will Fuller V foi o principal alvo de Watson, fechando a partida com absurdas 14 recepções para 217 jardas e três TDs. Suas 14 bolas agarradas e três TDs o deixaram empatado com Andre Johnson na maior quantidade em um jogo na história da franquia texana.

Que dupla!

  • Aaron Jones

Alguém avisou o Dallas Cowboys que um tal de Green Bay Packers estava chegando ao AT&T Stadium? E, na vitória dos representantes de Wisconsin por 34 a 24, o principal nome ofensivo de Green Bay foi Aaron Jones.

O running back correu 19 vezes para 107 jardas e quatro touchdowns, além de ter feito sete recepções para 75 jardas, totalizando 182 jardas no confronto. Ou seja, das 335 jardas dos Packers no duelo, ele fez mais da metade.

Jones, que se tornou o primeiro RB na história a correr para quatro TDs em um único jogo contra os Cowboys (e ainda igualou um recorde dos Packers neste quesito), fez os defensores de Dallas parecerem de papel. Incluindo o brilhante linebacker Leighton Vander Esch, que foi superado diversas vezes pela potência e capacidade de fugir de tackles do camisa 33 dos Packers.

Ele foi o melhor amigo de Aaron Rodgers no domingo.

  • Teddy Bridgewater e Michael Thomas

E quem diria que, depois da lesão de Drew Brees, o New Orleans Saints estaria com 3-0 e, portanto, com 4-1 na temporada até agora? Nem eu, torcedor confesso dos Saints, imaginava um cenário tão favorável. E a vitória por 31 a 24 sobre o Tampa Bay Buccaneers foi muito por conta desses dois nomes acima.

Teddy Bridgewater e Michael Thomas deram um show à parte no Mercedes-Benz Superdome e comandaram as ações ofensivas da franquia da Louisiana.

Bridgewater pareceu mais confortável do que nunca lançando bolas longas, como há tempos não víamos, e acertou 26 lançamentos de 34 para 314 jardas, quatro touchdowns e uma interceptação. Seus quatro passes para TD igualaram a maior marca de sua carreira e seu passer rating foi de ótimos 131.3.

E o principal alvo de ‘Breesdgewater’ (ok, forcei nessa) foi Michael Thomas. Sempre ele. O camisa 13 fez 11 recepções para 182 jardas e dois TDs na tarde deste domingo.

Os Saints estão em boas mãos.

E uma menção honrosa:

  • Defesa do Indianapolis Colts

Os Chiefs perderam para o Indianapolis Colts, em casa, no Sunday Night Football. Se você não assistiu ao último jogo deste domingo, é possível que não acredite nesta frase. E, mesmo que tenha assistido, é provável que ainda esteja custando a acreditar.

E, no triunfo dos Colts por 19 a 13, um dos grandes destaques foi a defesa da franquia de Indianápolis. Bem, basta ver que segurou um ataque comandado por Patrick Mahomes a míseros 13 pontos, incluindo apenas três na metade final de jogo.

O sistema defensivo de Indianapolis limitou os Chiefs a 324 jardas totais (pouco para um ataque com essa explosão) e pífias 36 jardas terrestres.

Foram quatro sacks em cima de Mahomes, incluindo um de Justin Houston (ex-Chiefs), e uma atuação muito consistente de maneira geral. Sim, os Colts tiveram méritos de serem efetivos no jogo terrestre, mas para mim foi a defesa que segurou as pontas.

VILÕES DA SEMANA #5 DA NFL

Por Miguel Amado

  • Pass rush do Atlanta Falcons

Deshaun Watson é um quarterback móvel. E mesmo assim ele apanha mais que o Santos quando enfrenta o Barcelona. Ele chegou na semana 5 com 18 sacks sofridos, quarta pior marca da NFL. E os Texans terem uma linha ofensiva ruim é algo que já dura anos.

Muito bem, chegamos no domingão, Houston viaja até Atlanta e Watson tem os pockets mais limpos que viu na vida. Zero sacks e o tempo perfeito para lançar para seu alvo em profundidade, Will Fuller. Como o pass rush de Atlanta não encosta em Watson? Sério, olha a primeira campanha deles neste vídeo.

  • Cairo Santos

Dói no coração fazer isso, mas temos que ser justos com o mundo da NFL. O próprio Cairo admitiu o péssimo dia: “Nunca tive um dia como este. Pulei por alguns times nos últimos anos e nunca tive uma performance assim”. Ele errou quatro field goals, sendo que um de 33 jardas, quando o jogo estava 7 a 7 no último quarto, foi bloqueado. Os outros erros foram de 50, 53 e 36 jardas.

  • Philip Rivers

Os Chargers com certeza são um dos times mais decepcionantes desta temporada e o último capítulo desta desgraça que se desenha foi receber os Broncos, 0-4 na temporada, e ver esse time abrir 17 a 0 e ir com esse placar para o intervalo. O jogo terminou 20 a 13. A defesa foi péssima no primeiro quarto, mas Rivers não ficou atrás com um péssimo passe interceptado quando o jogo já estava 14 a 0. Mas o pior foi quando o jogo estava 17 a 0, a defesa consegue um turnover já na red zone rival e Rivers em um passe lamentável é interceptado na end zone.

Mereceu e muito ser colocado aqui.

Comments
To Top