NFL

Três heróis e três vilões da semana 6 da NFL

Russell Wilson, quarterback do Seattle Seahawks

(Crédito: Instagram/reprodução)

Olá, amigos do Quinto Quarto! Cá estamos nós após o sexto domingo da temporada regular 2019 da National Football League. Sim, já estamos chegando ao final da semana 6 (como passa rápido!) e vamos trazer mais uma vez os três heróis e três vilões do final de semana de NFL.

Nesta coluna semanal, que tem a importância que o New Orleans Saints tem para o Papa Francisco, vamos elevar três homens ao pináculo do futebol americano. E vamos despejar palavras penhasco abaixo em outros três.

(OK, essa construção de ideia foi muito complexa. Mas acho que valeu a tentativa…)

Gostamos sempre de destacar que vamos tentar algumas escolhas não tão clichê, deixando de lado, quando for possível, os nomes que destroem semana após semana. E que, também, damos espaço eventualmente às menções honrosas.

Três heróis e três vilões da semana 6. Preparem o coração!

HERÓIS DA SEMANA #6 DA NFL

Por Bruno Bataglin

  • Russell Wilson

Se a NFL me desse o poder de escolher o MVP da temporada, eu escolheria Russell Wilson. Pelo que ele vem fazendo até agora nas primeiras seis semanas, merece MUITO. O quarterback do Seattle Seahawks teve mais uma atuação brilhante na vitória por 32 a 28 sobre o Cleveland Browns, fora de casa.

O camisa 3 acertou 23 passes de 33 para 295 jardas e dois touchdowns, saindo de campo com um passer rating ótimo de 117.6, e ainda correu nove vezes para 31 jardas e um TD.

Até agora na temporada 2019? São 72,5% dos passes completados (137 de 189) para 1.704 jardas e 14 touchdowns, com nenhuma interceptação lançada. O rating de 124.7 é o maior de sua carreira por enquanto. Dangeruss ainda correu para 151 jardas e três TDs.

É muito ‘culpa’ dele os Seahawks estarem com campanha 5-1.

  • Stefon Diggs

O que?? Um wide receiver de Kirk Cousins jogando bola? Sim, minha gente! Captain Kirk voltou a aparecer, mas não a ponto de poder gritar “You Like That!”. O signal caller do Minnesota Vikings acertou 22 passes de 29 para 333 jardas, quatro TDs e uma interceptação na vitória por 38 a 20 sobre o Philadelphia Eagles.

Mas, Bruno, o nome que está acima é Stefon Diggs! Sim, Cousins ainda não merece entrar nos heróis. Ele ainda tá no cantinho do castigo do QQ pq, mesmo quando joga muito bem, ele ainda lança uma interceptação. Ok, essa interceptação foi culpa de Diggs.

Mas não importa. O wide receiver de Minnesota foi o alvo preferido de Cousins e fez sete recepções para 167 jardas e três TDs. Ele marcou TDs na primeira metade do jogo em recepções de 51 e 62 jardas, de quebra se tornando o primeiro WR dos Vikings desde Randy Moss, no ano 2000, a fazer duas recepções para TDs de 50 ou mais jardas na mesma partida.

  • Robert Saleh

Um vibrador. Calma, mentes poluídas, não é isso não! Robert Saleh é que foi um vibrador nesse domingo, comemorando efusivamente cada jogada defensiva monstruosa do San Francisco 49ers sobre o Los Angeles Rams na vitória dos Niners por 20 a 7.

E o coordenador defensivo dos Niners teve seus motivos. Além de limitar um dos bons ataques da NFL a sete pontos (ainda que os Rams estejam muito aquém nesta temporada), ele segurou os Rams a mais do que isso.

Foram pífias 48 jardas de passe, 10 first downs e 157 jardas totais. O jogo terrestre do L.A. Rams produziu 109 jardas, mas não foi nada para comemorar. Jared Goff acertou apenas 13 passes de 24 para 78 jardas e sofreu quatro sacks para uma perda de 30 jardas.

A OL dos Rams foi muito culpada por isso e adianto que meu amigo Miguel Amado vai listá-la nos vilões. Mas Saleh extraiu o máximo de seus defensores e os deixou pilhados a cada vibração como essa abaixo.

É a careca reluzente mais charmosa da NFL. Pelo menos nesta semana.

E duas menções honrosas:

  • Kyler Murray

Este poderia ter perfeitamente entrado direto nos três heróis, mas os três acima foram difíceis de tirar do posto. O quarterback calouro do Arizona Cardinals fez seu primeiro jogo realmente de gente grande durante a vitória apertada por 34 a 33 sobre o Atlanta Falcons.

Ele acertou 27 passes de 37 para 340 jardas e três touchdowns, saindo de campo com passer rating de 128.2. Murray ainda correu 11 vezes para 32 jardas.

O pupilo de Kliff Kingsbury, selecionado com a primeira escolha do draft de 2019, parece estar amadurecendo bem na NFL.

  • Lamar Jackson

A fragilidade do adversário ajudou. Mas isso não nos impediu de listar Lamar Jackson aqui. O quarterback titular do Baltimore Ravens jogou muito na vitória por 23 a 17 sobre o Cincinnati Bengals.

OK, ele acertou 21 passes de 33 para 236 jardas e não conectou para touchdowns. Mas ele também não sofreu interceptações e ainda correu absurdas 19 vezes para 152 jardas e um touchdown.

Com o desempenho, o camisa 8 dos Ravens se tornou o primeiro QB na era Super Bowl a passar para, pelo menos, 200 jardas e correr para 150 em uma partida. Feito impressionante para um signal caller que vem se provando mesmo completo.

VILÕES DA SEMANA #6 DA NFL

Por Miguel Amado

  • Jameis Winston

Os jogos da NFL em Londres muitas vezes não são justos com o público inglês nem com os jogadores. A longa viagem, especialmente para times da Costa Oeste, a quantidade de eventos promocionais, o gramado e estádio fora do padrão, tudo isso pode impactar na qualidade da partida. E coisas bizarras acontecem, como Sir Blake Bortles, que joga melhor na terra da Rainha do que jogava (snif) em Jacksonville.

Mas Jameis Winston ofereceu todo seu repertório. Foram 400 jardas completamente vazias, um mísero passe para TD, CINCO INTERCEPTAÇÕES e ainda um fumble perdido. Os Bucs perderam por muito mais do que o placar mostra e insistir no QB é um erro já há um bom tempo.

  • OL do Los Angeles Rams

Claro que Jared Goff não pode passar apenas para 78 jardas. Mas quem viu a partida entre Rams e 49ers notou uma coisa: a linha ofensiva do time teve um dos jogos mais horrendos da era Sean McVay e o negócio já estava bem feio. Goff não teve tranquilidade, sofreu quatro sacks e poderia ser muito pior.

O jogo corrido também não foi para a frente e não dá para culpar outra unidade: antes do intervalo o time teve uma terceira para o gol e uma quarta para o gol na linha de um e nada. Depois, no último quarto, quarta descida para uma jarda e mesma coisa. Péssimo.

  • Defesa do Kansas City Chiefs

Para continuar na destruição de unidades, Colts e agora os Texans foram perfeitos na execução de um plano de jogo para parar Patrick Mahomes: deixar ele fora de campo. O quarterback dos Chiefs ficou apenas 20 minutos em campo e 78 segundos no último quarto. Isso porque o ataque terrestre dos Texans se cansou de somar jardas.

Carlos Hyde teve 116 jardas e o jogo pelo chão somou 192, sendo especialmente eficiente no último quarto. Assim vai ficar difícil para os Chiefs, especialmente quando chegar os playoffs.

E uma menção honrosa:

  • Marcus Mariota

Quando você vai para o banco e Ryan Tannehill entra, o negócio está feio. Mariota teve sua primeira interceptação e viu seus Titans saírem zerados contra um time que estava 1-4. O Bruno no podcast chama ele de atleta da etapa mundial de surfe. É bom ver como ele se sai com uma prancha.

Comments
To Top