NFL

Três heróis e três vilões da semana 2 da NFL

Lamar Jackson, quarterback do Baltimore Ravens

Fala pessoal! Nesta segunda-feira (16) estreamos uma nova coluna para escolher três heróis e três vilões da semana da NFL. Como sabemos que essa não é a ideia mais original da história e que ainda temos quarterbacks doutrinando todas as semanas nesta liga anti-defesa muito permissiva com os ataques, vamos sempre tentar fugir do óbvio.

Quando não der para fazer isso, vamos compensar um óbvio com um não-óbvio como menção honrosa. Deu para entender? Não???? Vamos dar mais um exemplo: contra o Miami Dolphins em 2019 é difícil que escolhamos um herói, por exemplo.

Então vamos nessa.

Heróis da semana #2 da NFL

Por Miguel Amado

  • Darius Slay

O Detroit Lions está passando por uma reformulação, como falamos na nossa prévia. Normal que um time que tem Matt Patricia como head coach pense na defesa com mais carinho. Já o ataque quer depender menos de heroísmos de Matt Stafford. Hoje o cenário foi esse: jogo 13 a 10 contra os superiores Chargers, Philip Rivers avançou 72 jardas com seu ataque e tentou Keenan Allen. Mas Darius Slay pulou na rota, pegou a bola e decidiu a partida.

O mais engraçado é que Slay foi doutrinado a partida toda. A declaração de Keenan Allen diz tudo: “Eu sinto que estava fazendo uma clínica e no final, na última jogada, ele (Slay) faz a jogada”. Herói é quem aparece na hora certa para decidir.

  • Patrick Mahomes

Escolher o atual MVP e provável MVP de 2019 é óbvio. Então vamos rápido para passar para o não-óbvio. Os Chiefs estavam 10 a 0 atrás no placar no fim do primeiro quarto. Foi o primeiro primeiro quarto (sim, difícil de entender) sem pontos que Mahomes teve na carreira. Para compensar ele teve 4 passes para TD e 278 jardas no segundo quarto. SÓ NO SEGUNDO QUARTO. O resto do jogo foi 0 a 0. Mahomes já tinha feito sua parte.

  • Lamar Jackson

Não vou considerar este tão óbvio porque até 20 dias atrás não sabíamos se Lamar Jackson teria capacidade passar de forma consistente. Bom, ele sabe, como suas 272 jardas, 2 TDs, 0 INTs e rating de 104,8 provam. E ele ainda corre, como todos sabíamos, somando absurdas 120 jardas carregadas em 16 tentativas. Os Ravens estão 2-0, hiper-empolgados com seu futuro e comemorando o fato que os Steelers e Bengals estão 0-2 e os Browns já tem uma nuvem de desconfiança por cima.

E um não-óbvio: Eddy Pineiro

Não precisa repetir como os Bears sairam dos playoffs na temporada passada. Só precisa dizer que o kicker dos Bears precisa ter sal grosso até na cueca tamanha a zica e peso de chutar para a equipe. E Pineiro provou que ele ainda assim consegue chutar: seu time entregou a liderança no placar logo antes e precisava de um chute de 53 jardas para vencer. A altitude de Denver com certeza ajudou, mas isso não tira nem 3% do mérito de Pineiro, heroi dos Bears que ficaram por um triz de começar 0-2.

Vilões da semana #2 da NFL

Por Bruno Bataglin

  • John DeFilippo e Doug Marrone

Gardner Minshew, escolha de sexta rodada dos Jaguars e titular depois da lesão de Nick Foles, converteu uma quarta para 10 com os pés no drive decisivo do jogo. Antes tinha completado passes de 12 e 14 jardas. Depois improvisou em jogada e deu um chuveirinho para DJ Chark para deixar o jogo 13 a 12. Um extra point empatava. Os Jaguars foram para dois e segundo Doug Marrone isso estava decidido quando a campanha ainda se desenrolava.

Marrone afirmou que a jogada podia ser passe ou corrida, dependendo da marcação. Se ela fosse homem a homem, a jogada era um draw para Fournette. Foi isso que foi e a jogada não resultou.

Essa decisão de ir para dois pontos é muito simples: se der certo, o treinador é corajoso. Se der errado, burro. Eu defendo que uma jogada dessas tem que ir para quem está quente, assim como no basquete. Minshew estava quente, Fournette teve 15 carregadas para 47 jardas. O QB teve seis carregadas para 56 jardas. Fournette não é Ezekiel Elliott, Saquon Barkley ou Marshawn Lynch. E é isso.

  • Árbitros de Los Angeles Rams x New Orleans Saints

O New Orleans Saints foi vítima de mais uma injustiça. E em um jogo contra o Los Angeles Rams. O defensive end Cameron Jordan retornou um fumble 87 jardas para touchdown no final do segundo quarto do jogo deste domingo, mas os árbitros inicialmente consideraram o lance como um passe incompleto de Jared Goff e acabaram apitando, encerrando a jogada.

Os Saints desafiaram a jogada e os replays mostraram que Goff sofreu o fumble, quando a bola foi derrubada pelo QB após contato com o defensive end Trey Hendrickson. Contudo, o TD foi anulado pela gafe. E o jogo seguiu e terminou com vitória dos Rams por 27 a 9.

Olha, eu sou torcedor dos Saints e nem é por isso, mas tá difícil, viu?

  • Kirk Cousins

Mais uma atuação digna de ser esquecida de Kirk Cousins. O quarterback do Minnesota Vikings teve enormes dificuldades durante a derrota por 21 a 16 para o Green Bay Packers, no Lambeau Field, e deve ter deixado a franquia de Minneapolis ainda mais arrependida de ter dado aquele contrato.

Cousins completou apenas 43,8% de seus passes (14 de 32) para 230 jardas, um touchdown e duas interceptações. A segunda delas foi horrenda. Perdendo por cinco pontos com 5min17s remanescentes e com uma primeira descida na linha de oito jardas, Cousins forçou um lançamento para Stefon Diggs no canto da end zone, que foi interceptado pela defesa dos Packers.

Ele também cometeu dois fumbles e perdeu um deles. Domingo mais desastroso que o do Miami Dolphins. OK, nem tanto assim…

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top