NFL

Três heróis e três vilões do domingo de semana 15 da NFL

Ezekiel Eliott, running back do Dallas Cowboys

Está chegando ao fim a antepenúltima semana da temporada regular de 2019 da National Football League. Sim, é triste. Mas, ao mesmo tempo, os playoffs se aproximam. E, como já é tradicional, chegou a hora de selecionaremos três heróis e três vilões do domingo de semana 15.

Semana após semana, elegemos três monstros que deixaram nossos queixos caídos e três zé manés que nos deram vontade de quebrar a televisão.

Bruno Bataglin, nosso editor de NFL, é o responsável por escolher os três heróis (e eventualmente alguma menção honrosa). Por outro lado, Miguel Amado, apresentador do nosso podcast Quinto Quarto Expresso/pau para toda obra, é o destruidor de reputações e o cara dos três vilões.

PS: sinta-se livre para discordar, concordar e nos xingar (mas com carinho) através do nosso Instagram, Twitter ou via sinal de fumaça. O importante é o seu feedback.

Bem, sem mais enrolação, vamos aos três heróis e três vilões da semana 15.

HERÓIS DO DOMINGO DE SEMANA #15

Por Bruno Bataglin

  • Ezekiel Elliott (e Tony Pollard, para não sermos injustos)

Se tem um cara que pesou bastante na vitória importantíssima do Dallas Cowboys sobre o Los Angeles Rams por 44 a 21, este foi Ezekiel Elliott.

O camisa 21 correu 24 vezes para 117 jardas e dois touchdowns, acrescentando ainda três recepções para 43 jardas, o que deu um total de 160 jardas a partir da linha de scrimmage. Foi uma atuação fenomenal da arma número 1 do quarterback Dak Prescott.

Também não podemos nos esquecer de Tony Pollard, que complementou as atividades no backfield da franquia texana com 12 carregadas para 131 jardas e um TD, além de duas recepções para 12 jardas.

  • Chris Carson

Fundamental na vitória do Seattle Seahawks sobre o Carolina Panthers por 30 a 24, o running back correu 24 vezes para 133 jardas e dois touchdowns, acrescentando ainda uma recepção para quatro jardas.

Carson ajudou bastante a vida de Russell Wilson, que também teve uma boa apresentação, acertando 20 passes de 26 para 286 jardas e dois TDs.

Contudo, desta vez vou escolher Carson porque não é todo dia que um running back tem uma média de 5,5 jardas por carregada com a sua quantidade de toques na bola.

  • Julio Jones

Em uma das maiores zebras da rodada, o grande nome foi Julio Jones. No triunfo do Atlanta Falcons de virada por 29 a 22 sobre o San Francisco 49ers, fora de casa, o camisa 11 somou 13 recepções para 134 jardas e dois touchdowns.

Foi ele o responsável pela recepção para o TD da virada de Atlanta, quase no estouro do cronômetro.

Jones é um dos maiores WRs da história da NFL e, desta maneira, ele também merece sua participação nos heróis, mesmo em uma temporada perdida para os Falcons.

E uma menção honrosa:

  • Kenyan Drake

Em condições normais, o running back do Arizona Cardinals estaria entre os três heróis e seria o primeiro da lista. Mas, como esse jogo não valeu quase nada em termos de classificação, resolvemos rebaixá-lo para uma menção honrosa.

Mas sua atuação foi digna de Oscar.

Drake correu 22 vezes para 137 jardas e quatro touchdowns, além de uma recepção para nove jardas. E foi ele o nome da vez na vitória dos Cards sobre o Cleveland Browns por 38 a 24.

Para seu azar, Drake, esse jogo aqui tinha importância quase zero em termos de classificação. Mas, se quiser se considerar um vencedor moral nesta semana, sinta-se à vontade.

VILÕES DO DOMINGO DE SEMANA #15

Por Miguel Amado

  • Todd Gurley

Já falamos mal da linha ofensiva, de Jared Goff, dos raios de sol de Los Angeles, da grama natural, chega uma hora que fica difícil escapar. No mesmo jogo que Ezekiel Elliott – ia falar Elliott Smith – e Tony Pollard, Todd Gurley teve 11 carregadas para 20 jardas. Pior que ele teve dois TDs, um corrido e outro aéreo, mas está claro que sua explosão não está ali, até quando ele voltou a ter algo similar a um ritmo nos últimos jogos. Não só ontem, mas no ano inteiro, a queda do ataque dos Rams pode ser contada pela queda de Gurley.

  • Andy Dalton

Um dia depois de Joe Burrow vencer o Heisman Trophy, Andy Dalton entregou o que os fãs dos Bengals que imploram por um novo quarterback queriam. Quatro interceptações, um rating de 39,2 e quase a certeza que ele terá que procurar um novo lugar se quiser ser titular no ano que vem. Ainda se tem dúvidas se Cincinnati vai de QB com sua provável primeira escolha, mas Dalton quis e muito ajudar nessa decisão.

  • Freddie Kitchens

Temos que aproveitar as últimas semanas de Kitchens nesta seção. Nick Chubb teve 127 jardas. Quando isso acontece com um running back é normal ver pelo menos 22 corridas. Chubb teve 17. Depois de ter conquistado cinco jardas em uma terceira para 1 no primeiro drive da campanha, Chubb não viu a bola por seis jogadas, a última delas uma interceptação de Baker Mayfield. Isso é só um aperitivo do que os torcedores dos Browns sofreram no ano inteiro.

E o mais curioso: não é que ele não toca na bola o suficiente, já que lidera a liga em carregadas, mas isso se deve muito mais a uma sequência de grande produção no meio da temporada – quando o time jogou melhor. O que irrita é o timing de suas carregadas e como o fato que como o time tem duas divas de WRs e um louco como QB, eles precisam ser incluídos. Enfim, culpa do treinador que nunca soube tirar o melhor de seus jogadores, inclusive o running back.

Comments
To Top