NFL

Três heróis e três vilões da semana 7 da NFL

Aaron Rodgers, quarterback do Green Bay Packers

(Crédito: Twitter/reprodução)

Olá mais uma vez, amigos fãs do Quinto Quarto! Chegamos ao final de mais um domingo da temporada regular de 2019 da National Football League. E, como em todas as segundas-feiras a partir desta temporada, estamos trazendo os heróis e vilões do final de semana na bola oval.

Aqui, alçamos três monstros sagrados do futebol americano ao Monte Olimpo. E, também, difamamos três jogadores que tiveram atuações péssimas e merecem passar vergonha nesta coluna.

Sempre gostamos de lembrar que, quando possível, vamos trazer nomes menos óbvios do que os que sempre destroem.

Mas, nesta semana, vamos ter alguns óbvios porque não podemos tapar o sol com a peneira.

Sem mais enrolação, três heróis e três vilões da semana 7. Preparados?

HERÓIS DA SEMANA #7 DA NFL

Por Bruno Bataglin

  • Aaron Rodgers

O quarterback do Green Bay Packers entrou em combustão neste domingo. Na vitória fácil por 42 a 24 sobre o Oakland Raiders, o camisa 12 completou 25 passes de 31 para 429 jardas e cinco touchdowns, saindo com um passer rating perfeito de 158.3.

Foi o primeiro passer rating impecável da carreira de Rodgers.

Rodgers teve uma partida completa e até anotou um TD corrido, totalizando seis TD em uma única partida, uma marca digna de registro histórico.

O principal aliado de Rodgers no jogo (e que merece ter seu nome mencionado nesta coluna) foi o wide receiver Marquez Valdes-Scantling, que fez duas recepções para 133 jardas e um TD. Sim, isso mesmo: uma média de 66,5 jardas por recepção em apenas duas bolas agarradas.

  • Ataque do Minnesota Vikings (Kirk Cousins, Dalvin Cook e Stefon Diggs)

E o ataque comandado por Kirk Cousins vai muito bem, obrigado. Inclusive com o quarterback calando os críticos pela segunda semana consecutiva durante a vitória por 42 a 30 sobre o Detroit Lions.

Cousins teve sua segunda partida seguida com quatro conexões para TD e saiu de campo com tais números totais: 24 passes certos de 34 para 337 jardas e quatro TDs, com excepcional passer rating de 141.4.

Sim, deguste cada linha acima porque duas semanas seguidas elogiando Cousins é uma raridade.

Mas por que você não colocou apenas Cousins como herói? Porque o ataque teve outras duas estrelas.

O running back Dalvin Cook correu 25 vezes para 142 jardas e dois touchdowns, além de fazer uma recepção para sete jardas, e o wide receiver Stefon Diggs somou sete recepções para 142 jardas. Eles até combinaram de somar 142 jardas juntinhos. Uma gracinha, não é mesmo?

  • Chase Edmonds

Eis um nome difícil de aparecer por aqui. Mas o Quinto Quarto tem esse trabalho de escavar e encontrar astros menos óbvios. O running back reserva do Arizona Cardinals foi peça importante na vitória por 27 a 21 sobre o New York Giants.

O camisa 29, que está em sua segunda temporada na NFL, correu 27 vezes para 126 jardas e três touchdowns, além de fazer duas recepções para 24 jardas.

Ele foi o responsável por 21 dos 27 pontos dos Cards, sendo o destaque do ataque liderado pelo quarterback calouro Kyler Murray e pelo head coach Kliff Kingsbury, e roubou a cena.

Edmonds, foi um prazer tê-lo aqui.

E uma menção honrosa:

  • Sean Payton

Sean Payton merecia demais até ser um dos três heróis essa semana. Mas uma menção honrosa já faz jus ao que o técnico do New Orleans Saints vem fazendo.

Chicago Bears. Fora de casa. Ataque sem Drew Brees, Alvin Kamara e Jared Cook. Derrota na certa? NADA DISSO.

O head coach dos Saints preparou seu time de forma impecável e dominou os Bears nos dois lados da bola, ajudando a franquia da Louisiana a vencer por 36 a 25. Payton limitou Chicago a 252 jardas ofensivas, sendo pífias 17 jardas terrestres. E, no ataque, ele fez a forte defesa da organização de Illinois parecer de papelão.

Foram 424 jardas no ataque para os Saints, sendo 151 conquistadas pelo chão (ressalto que Kamara não jogou). Quase 38 minutos de posse de bola contra menos de 23 minutos dos Bears.

O running back Latavius Murray, que teria sido um dos heróis se outros não tivesse brilhado mais, correu 27 vezes para 119 jardas e dois touchdowns, além de fazer cinco recepções para 31 jardas.

VILÕES DA SEMANA #7 DA NFL

Por Miguel Amado

  • Dan Quinn

Quinn é um especialista em defesas, sendo o coordenador defensivo dos Seahawks no auge da Legion of Boom (depois da saída de Gus Bradley) e por isso ele conseguiu o trabalho em Atlanta. Como head coach ele era brilhante até chegar no maldito 28 a 3. Avança dois anos, nesta offseason Quinn assumiu as chamadas da defesa e esperava-se que a unidade fosse subir de nível.

A defesa é a pior em pontos cedidos e a sexta pior em jardas por jogo. Ontem levou 37 pontos dos Rams sendo que nem Goff e muito menos Gurley foram incríveis. Claro, teve erro de special teams, fumbles etc. Tudo bem, não é culpa 100% da defesa. Mas é muito culpa de Quinn. Se ele terminar a temporada empregado pelos Falcons ficarei surpreso.

  • Mitch Trubisky

Pobre Mitch. Ele não tem culpa que os Bears preferiram seu braço e o que ele poderia trazer para Chicago em relação a Deshaun Watson e Patricl Mahomes. Mas esse peso ele sempre vai ter que carregar e muito das vaias de ontem do Soldier Field decorrem desse fato. Todo mundo jogou mal, mas Trubisky especialmente. Esquece o placar de 36 a 25 porque teve TD de garbage time, um onside kick certo, mais um TD e ainda um onside kick que quase deu certo.

O time tinha 10 pontos até isso e sete deles vieram em um retorno de Cordarrelle Patterson. O ataque terrestre teve 17 jardas. Mas Mitch… ah Mitch.. e se os Bears tivessem escolhido Watson? É o que todos pensavam no Soldier Field.

  • O time inteiro dos Chargers

Hoje estou mais analisando o plano geral, admito. Por isso preciso colocar os Chargers como equipe aqui. Depois de perder para o terceiro QB dos Steelers, a equipe foi enfrentar os Titans que acabaram de colocar no banco sua segunda escolha geral de 2015 para iniciar com Ryan Tannehill.

Ai os Chargers tomam fake punt com passe do punter Brett Kern e Tannehill soma 312 jardas, errando apenas seis passes dos 29 tentados (um deles interceptado). O ataque terrestre que têm dois bons running backs em Austin Ekeler e Melvin Gordon soma 39 jardas totais. E claro que tinha que ter um lance Chargers. No último minuto, na linha de goal, Gordon tenta entrar para virar o placar e sofre um fumble. Parabéns Chargers.

Comments
To Top