NFL

Três heróis e três vilões da semana 10 da NFL

Lamar Jackson, quarterback do Baltimore Ravens

Olá, caros amigos do Quinto Quarto! Estamos na área novamente para selecionar três heróis e três vilões ao final do décimo final de semana de futebol americano na temporada 2019 da National Football League.

A semana 10 está terminando nesta segunda, com o duelo entre San Francisco 49ers e Seattle Seahawks, e tivemos um domingo bastante movimentado e com boas zebras.

Como já é regra, Bruno Bataglin escolhe três homens e os coloca no lugar mais alto do pódio da bola oval (ao menos nesta semana). E Miguel Amado é o responsável por destruir outros três e humilhá-los após péssimos trabalhos no domingão.

Sempre lembramos que damos espaço para menções honrosas eventualmente e nesta semana é este o caso.

PS: sinta-se livre para discordar, concordar e nos xingar (mas com carinho) através do nosso Instagram, Twitter ou via sinal de fumaça. O importante é o seu feedback.

Chega de conversa fiada e vamos aos três heróis e os três vilões da semana 10. Corações preparados?

HERÓIS DA SEMANA #10 DA NFL

Por Bruno Bataglin

  • Lamar Jackson

Uma atuação perfeita. Sim, absolutamente perfeita. Foi o que o quarterback do Baltimore Ravens teve durante a vitória por 49 a 13 sobre o Cincinnati Bengals.

Jackson acertou 15 passes de 17 para 223 jardas e três touchdowns, além de correr sete vezes para 65 jardas e um TD (absolutamente sensacional de 47 jardas). E o camisa 8 se tornou apenas o segundo jogador da história da NFL a ter dois passer rating perfeitos de 158.3 em mais de um jogo na mesma temporada.

O único jogador que já havia conseguido isso foi o quarterback Ben Roethlisberger, do Pittsburgh Steelers, que teve dois em 2007.

O TD corrido de 47 jardas foi a corrida mais longa por um QB desde que Cam Newton, do Carolina Panthers, fez uma de 62 jardas no dia 10 de dezembro de 2017. E foi a maior corrida para TD por qualquer jogador dos Ravens desde um de 51 jardas de Ray Rice em 2012.

Enfim, Jackson foi impecável neste domingão. E dá-lhe força nos debates para MVP.

  • Dan Quinn

Seu time entra em campo com campanha pífia de 1-7 e vai enfrentar o seu maior rival, na casa dele, com o oponente com uma campanha de 7-1 (completamente contrária). Seu emprego está em jogo. E o que você faz? Consegue a maior zebra da temporada até agora.

Dan Quinn, head coach do Atlanta Falcons, com certeza ganhou uma sobrevida neste domingo ao superar o New Orleans Saints, em pleno Mercedes-Benz Superdome, pelo placar de 26 a 9. Sim, apenas nove pontos cedidos para o poderoso Saints. E isso com uma das piores defesas da NFL nesta temporada.

Foi a primeira vez que os Saints não anotaram um TD em casa desde que Drew Brees chegou a Nova Orleans em 2006.

Enfim, Quinn, depois de semanas sendo destroçado, desta vez você mandou MUITO bem.

  • Minkah Fitzpatrick

O Pittsburgh Steelers deve estar dando graças a Deus de ter adquirido esse monstro para sua secundária em troca com o Miami Dolphins.

Na vitória por 17 a 12 sobre o Los Angeles Chargers, Fitzpatrick retornou um fumble para touchdown de 43 jardas no segundo quarto e, nos segundos finais, interceptou o quarterback Jared Goff para selar uma vitória apertada.

Desde que chegou aos Steelers, Fitzpatrick já soma cinco interceptações em sete jogos e vem mostrando que é um dos donos dessa secundária defensiva da franquia da Pensilvânia.

E duas menções honrosas:

  • Dalvin Cook

Olha, só não coloquei Dalvin Cook entre os três de fato porque esses de cima realmente mereceram nesta semana. Mas seria uma heresia não mencionar o running back do Minnesota Vikings aqui.

Na vitória da equipe sobre o Dallas Cowboys por 28 a 24, no Sunday Night Football, Cook foi a principal arma ofensiva do quarterback Kirk Cousins e correu 26 vezes para 97 jardas e um touchdown. Ele também ajudou muito no jogo aéreo e fez sete recepções para 86 jardas, saindo de campo com 183 jardas na noite.

  • Aaron Jones

Olha ele de novo por aqui. O running back do Green Bay Packers teve mais uma atuação muito boa durante a vitória por 24 a 16 sobre o Carolina Panthers e foi o responsável por 21 pontos da franquia de Wisconsin.

O camisa 33 correu 13 vezes para 93 jardas (uma média ótima de 7,2 jardas por carregada) e três touchdowns.

Jones já entrou aqui na semana 8 como um dos três heróis e agora vem como menção honrosa. Vale como um prêmio também.

VILÕES DA SEMANA #10 DA NFL

Por Miguel Amado

  • Sean McVay

Eu vejo os Rams de forma muito simples. Se você quer jogar a bomba no colo de Jared Goff, joga. Mas tem Todd Gurley com 51, 41, 44 e 73 jardas. Você não pode ser tão simplista e achar que o quarterback que nesta altura do ano em 2018 estava duelando com Patrick Mahomes em um jogo 54 a 51 agora virou um lixo. Sim, ele não é Dan Marino, mas ele não é horroroso também.

Então temos que olhar para outro lado. A queda do penhasco dos Rams está totalmente ligado à linha ofensiva, que passou de uma das melhores para a segunda pior da liga para o Pro Football Focus. Goff sofreu 4 sacks e pouco teve tranquilidade. Gurley teve campanhas boas e na seguinte desaparecia.

Ou seja, se sabemos que a OL é ruim, que Gurley pode ter um problema crônico no joelho e que Goff não está confiante, algo precisa ser feito. O vilão é Sean McVay. Até dói escrever isso

  • Special teams do Kansas City Chiefs

Chiefs 31, Titans 27, time de especialistas entra em campo para os Chiefs para chutar o field goal de 47 jardas que deixaria a distância em oito pontos com 1:27. O snap vem cedo demais, Dustin Colquitt pega a bola e joga longe. Intentional Grounding em uma quarta descida, os Titans ainda ganham esse presente. Eles avançam e fazem o TD, com a conversão. Titans 35, Chiefs 32.

Mas ter Patrick Mahomes é bom porque ele avança 28 jardas com dois passes. Especialistas entram para o field goal. Bloqueado. Mas não é bloqueado de um jeito que você diz: nossa, excelente jogada dos Titans. É bloqueado de um jeito que você diz: tinha alguém protegendo o chute? Essa foi uma entregada à moda antiga.

  • Defesa do New York Giants

Sam Darnold estava sofrendo com estresse pós-traumático. Depois de levar uma surra dos Patriots, ele foi lá e perdeu para os Dolphins. Mas eis que chegam os amigões dos Giants para os Jets fazerem 34 pontos.

Sim, teve o strip sack de Jamal Adams, mas como a defesa leva dois touchdowns nas duas primeiras campanhas dos Jets? Quando a defesa parecia ter se situado, DeAndre Baker faz uma interferência que pune em 33 jardas. Na jogada seguinte, TD de Le’Veon Bell, 31 a 27 Jets. Mais um field goal depois encerrou a conta. Defesa dos Giants, meus parabéns.

Comments
To Top