NFL

Trent Richardson não irá desistir de sua carreira na NFL; veja manchetes

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Dispensado pelo Baltimore Ravens, Trent Richardson não irá desistir de sua carreira na NFL: em pouco mais de um ano, o running back foi contratado e dispensado pelo Oakland Raiders e o Baltimore Ravens. Entretanto, o atleta não desistiu de ser o jogador que esperavam quando foi selecionado como terceira escolha geral no draft de 2012. “Eu queria estar em campo. Não vou desistir. Não vou deixar isso me desencorajar”, disse Richardson.

Vale lembrar que, para sua permanência na NFL, ele, seus parentes e amigos já gastaram juntos cerca de US$ 2 milhões. “Para eu continuar lutando, as pessoas têm que entender que não vou desistir”, disse o running back.

– Mike McCarthy, técnico do Green Bay Packers, não pretende parar de chamar as jogadas: na última temporada, McCarthy renunciou à função de chamar as jogadas dos Packers, mas decidiu reassumir a tarefa e mais, não pretende abrir mão deste trabalho tão cedo. “Nunca farei isso de novo”, disse McCarthy para o ‘USA Today’. “Eu tive que fazer o que era melhor para o time. É sobre o que eu penso durante a noite”, acrescentou o técnico.

– Governador de Virginia anuncia negociações para novo estádio do Washington Redskins: Terry McAuliffe, governador do estado da Virginia, mostrou publicamente seu apoio à saída dos Redskins de Maryland. Tanto que o político revelou, de acordo com o ‘Washington Post’, que tem trabalhado para conseguir um novo estádio para a franquia em seu estado. “Eu sei que eles estão em Maryland agora. Mas a maioria portadores de ingressos da temporada estão Virgínia, todos os jogadores vivem em Virginia, temos todas as suas instalações [de treino]”, reforçou McAuliffe.

– Brett Favre considera ser reserva de Tony Romo no Dallas Cowboys: nesta offseason, o quarterback dos Cowboys passou por uma cirurgia na clavícula e, apesar de já estar treinando, tem quem tope assumir seu posto de signal caller titular caso os Cowboys precisem, e esse alguém é ninguém menos que Brett Favre. Prestes a formalizar sua entrada no Hall da Fama da NFL, o ex-quarterback lendário do Green Bay Packers disse que fica atiçado a entrar em campo. “O único problema é que não posso ser atingido. Eles podem prometer que não vou ser atingido?”, brincou o astro aposentado.

– Andy Reid foi o principal fator que convenceu Nick Foles a entrar para o Kansas City Chiefs: apesar de fortes boatos de que o quarterback iria para o Dallas Cowboys, Foles assinou com os Chiefs nesta quinta-feira. Andy Reid, técnico da franquia, foi o principal fator que convenceu o quarterback a fechar com a franquia de Kansas City. “Eu disse para o meu agente, ‘esse é o cara para quem eu quero jogar’”, disse Foles para a ‘ESPN’ americana.

– General manager do Detroit Lions afirma que manutenção de Jim Caldwell como técnico não depende de ida aos playoffs: Bob Quinn, responsável por decidir de o técnico continua na franquia, disse para o ‘Detroit Free Pass’ que o número de vitórias e derrotas não é o único fator que interferirá na permanência de Quinn no time. “Como ele lida com a equipe? Como ele lida com a adversidade?”, exemplificou o general manager. “Podemos fazer esses caras ficarem mais rápidos e prepará-los para jogar? Tudo vai para ele; não é apenas uma coisa”.

– Pep Hamilton, coordenador ofensivo do Cleveland Browns, tem grandes expectativas para Robert Griffin III: contratado pela franquia nesta offseason, o quarterback tem surpreendido com seu desempenho no training camp. “Nós vamos descobrir sobre a sua capacidade de reconhecer olhares de uma defesa com a qual ele não é tão familiarizado uma vez que jogarmos uma partida na próxima semana”, disse Hamilton nesta quinta-feira, referindo-se à pré-temporada.

– Ronald Leary, na NFL desde 2012, “sabe que é um titular”: rumo à sua quinta temporada pelo Dallas Cowboys, franquia que o draftou em 2012, Leary tem confiança de que tem material para ser do elenco principal da franquia. “Eu terei certeza que estarei pronto para o que vier no meu caminho”, garantiu o guard em entrevista ao ‘Fort Worth Star-Telegram’.

– Kansas City Chiefs assinam contrato com Jeron Johnson: sem renovar com Eric Berry, que vem se mantendo for a do training camp dos Chiefs, a franquia decidiu contratar um novo safety. De acordo com informações apuradas por Ian Rapoport, o Kansas City Chiefs assinou nesta sexta-feira com Jeron Johnson, ex-safety do Seattle Seahawks.

– Montee Ball, ex-running back do Denver Broncos, é sentenciado a 60 dias de prisão: como parte de sua pena por violência doméstica, acusação enfrentada por Ball desde o último mês de fevereiro, o ex-atleta deve passar dois meses preso. Acusado por duas mulheres de agressão, uma delas sua ex-namorada, Montee Ball ainda foi preso no último mês de abril por furar com a fiança.

– Christian Hackenberg, quarterback do New York Jets, tenta “ouvir o que está se passando com Fitzpatrick”: após seis meses de novela, Ryan Fitzpatrick renovou por mais um ano com a franquia nova-iorquina e, no training camp da franquia, vem sendo bastante vigiado por Hackenberg, seu colega de posição. Atento, o signal caller reserva procura sempre ouvir as conversas de Fitzpatrick com Chan Gailey, coordenador ofensivo dos Jets. “É incrível para ser capaz de sentar lá e assistir Fitz trabalhar porque é tão natural para ele”, disse o quarterback.

– John Harbaugh não está preocupado com John Urschel conciliando a franquia com novo curso universitário: no Baltimore Ravens desde 2014, o center está treinando nos Ravens e fazendo doutorado em matemática no MIT, mas parece estar dando conta do recado. “Ele sabe que essa é a sua profissão neste momento na vida. Ele é 100 por cento comprometido com o seu futebol, e eu diria que ele é 100 por cento comprometido com a sua matemática. Como dissemos, a vida não é um gráfico de pizza”, disse o técnico John Harbaugh.

– Demariyus Thomas, wide receiver do Denver Broncos, quer mostrar em 2016 “seu verdadeiro talento”: na franquia desde 2010, quando foi draftado pelos Broncos, o receiver acredita que tem muito a melhorar, ainda que tenha feito parte do título do Super Bowl 50. “Fomos bem sucedidos como uma equipe no ano passado, tão bem sucedido como uma equipe pode ser, porque vencemos um campeonato. Então, você sempre se sente bem por ser uma parte de um título. Mas, pessoalmente , acho que deixei um monte de jogadas e eu sei que posso ser melhor do que isso”, disse Thomas.

Comments
To Top