NFL

Tom Brady tem apelação de caso Deflategate negada por corte federal

(Crédito: Twitter/reprodução)

(Crédito: Twitter/reprodução)

A Corte de Apelações do Segundo Circuito dos Estados Unidos negou a apelação do quarterback Tom Brady relacionada à suspensão de quatro jogos por causa de seu suposto envolvimento no caso Deflategate. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (13).

A corte havia mantido a suspensão em decisão por 2 a 1 realizada no dia 25 de abril, decidindo que o comissário Roger Goodell aplicou a penalização de forma justa, sob as diretrizes do acordo coletivo de trabalho, e que Tom Brady foi tratado de forma justa.

Com a decisão desta quarta, a última chance de o quarterback do New England Patriots tentar anular a suspensão imposta pela National Football League será acionando a Suprema Corte dos Estados Unidos, o que pode ser feito dentro de 90 dias. Ainda não se sabe se o time de advogados de Brady vai recorrer à Suprema Corte e também se a corte máxima do país vai aceitar ouvir o caso.

Gabe Feldman, diretor do Programa de Direito Esportivo de Tulane, afirmou que as chances de a Suprema Corte decidir ouvir o caso seriam muito pequenas.

Se Brady entrar com um pedido na Suprema Corte, seu time de advogados pode primeiramente pedir à corte do Segundo Circuito que conceda uma suspensão de sua decisão. Se o Segundo Circuito não conceder o pedido, os advogados de Tom Brady então poderiam pedir essa suspensão por parte da Suprema Corte. Se ela concedesse a solicitação ou então decidisse ouvir novamente o caso, é praticamente certo que o quarterback poderia atuar em toda a temporada 2016, devido ao cronograma da Suprema Corte.

Porém, se a Suprema Corte se negasse a ouvir a apelação, o camisa 12 seria forçado a cumprir a suspensão.

Logo após a decisão desta quarta, a NFLPA, associação que representa os atletas da liga, divulgou um comunicado.

“Estamos desapontados com a decisão negando uma nova audiência, já que houve violações claras de nosso acordo coletivo de trabalho por parte da NFL e o comissário Roger Goodell. Apesar do resultado de hoje, o histórico deste escritório da Liga quando se trata de questões de disciplina para jogadores é ruim para o nosso negócio e ruim para o nosso esporte. Temos um sistema quebrado que deve ser corrigido”, falou a NFL Players Association. “Vamos rever todas as nossas opções com cuidado em nome de Brady e de todos os jogadores da NFL”, completou.

A NFL se negou a comentar sobre a decisão da Justiça nesta quarta.

Tom Brady pegou uma suspensão de quatro jogos, imposta pela NFL, em maio de 2015, depois que uma investigação promovida pela liga foi conduzida pelo investigador Ted Wells e concluiu que era “mais provável do que não” que Brady estava “consciente de forma geral” da ação de funcionários dos Patriots de murcharem bolas antes da final da Conferência Americana (AFC) da temporada 2014, quando a franquia de Foxborough derrotou o Indianapolis Colts no dia 18 de janeiro de 2015.

A suspensão foi inicialmente anulada pelo juiz distrital Richard Berman, em setembro do ano passado, uma semana antes do primeiro jogo dos Patriots na temporada regular de 2015. Um painel de apelação reverteu a decisão de Berman em abril.

Em maio, o time legal de Tom Brady pediu uma nova audiência com o painel completo dos juízes da Corte do Segundo Circuito ou uma nova audiência en banc na tentativa de que os juízes revertessem a decisão de 2 a 1.

Os Patriots, um grupo de 21 cientistas, a AFL-CIO (Federação Americana do Trabalho) e um conceituado advogado trabalhista entraram cada um com uma solicitação de amigo da corte em apoio à petição de Brady para uma nova audiência.

Se Tom Brady buscar mais um recurso e tiver um adiamento concedido, há boas chances de o quarterback estar em campo na abertura do New England Patriots na temporada 2016 contra o Arizona Cardinals, fora de casa, no dia 11 de setembro.

Caso Brady tenha mesmo que cumprir a suspensão de quatro partidas, ele perderia os confrontos contra Arizona Cardinals, Miami Dolphins, Houston Texans e Buffalo Bills, e estaria elegível para retornar contra o Cleveland Browns, no dia 9 de outubro.

Vale lembrar que Tom Brady assinou uma extensão de contrato de dois anos nesta offseason que fez seu salário para 2016 cair de US$ 9 milhões para US$ 1 milhão, o que pode permitir que o signal caller salve US$ 2 milhões de salário perdido caso tenha mesmo que cumprir a suspensão.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

NFL, NBA MMA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: contact@quintoquartobr.com
Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright © 2015 The Mag Theme. Theme by MVP Themes, powered by Wordpress.

To Top