NFL

Times da NFL violaram leis federais sobre analgésicos prescritos

(Crédito: Twitter/reprodução)

As equipes da NFL frequentemente violaram as leis federais que governam como eles deveriam armazenar, controlar e distribuir analgésicos prescritos, de acordo com documentos obtidos pelo ‘Washington Post’.

Os documentos judiciais são parte de um processo federal em andamento apresentado por mais de 1.800 jogadores da NFL e incluem depoimentos de médicos e treinadores das franquias da liga.

Os jogadores que estão processando a liga afirmam que sofrem problemas de saúde de longo prazo como resultado das práticas de distribuição imprópria e enganosa por equipes da NFL, de acordo com os documentos.

Brian McCarthy, porta-voz da NFL, disse que as alegações contidas no arquivo do tribunal “são sem mérito e a liga e seus times continuarão a se defender vigorosamente dessas alegações”.

“Todo médico que depôs até agora. . . testemunhou que violaram uma ou mais” leis e regulamentos federais sobre drogas “enquanto trabalhavam como médicos das equipes”, declarou o tribunal.

Anthony Yates, médico do Pittsburgh Steelers e ex-presidente da Sociedade de Médicos da NFL, testemunhou em uma declaração que: “a maioria das equipes, a partir de 2010, tinham treinadores controlando e lidando com medicamentos e substâncias controladas quando não deveriam (estar fazendo isso)”, de acordo com o relato de ‘Washington Post’.

Bud Carpenter, treinador de longa data do Buffalo Bills, “admitiu sob juramento que ele testemunhou médicos as equipes dando aos jogadores injeções e medicamentos se lhes dizer que droga eles estavam recebendo ou os efeitos colaterais. . . ele testemunhou ainda que médicos forneceram medicamentos prescritos em lugares diferentes do que eles eram permitidos para fazer isso, violando assim leis estaduais e federais”, afirma o ‘Washington Post’.

Existem diretrizes claras sobre como médicos devem armazenar, transportar e distribuir analgésicos prescritos, que são considerados substâncias controladas. Mas os documentos sugerem que há uma “postura arrogante” em relação à essas diretrizes.

Em agosto de 2009, por exemplo, Paul Sparling, treinador do Cincinnati Bengals, escreveu um e-mail: “Você pode me mandar uma cópia do seu DEA? Eu preciso disso para os meus documentos para quando os ‘contadores de pílulas’ da NFL vierem para ver se as coisas estão certas. Não se preocupe, eu sou muito bom em apagar os rastros”.

Um estudo encomendado pela ‘ESPN, que entrevistou 644 jogadores aposentados, revelou que eles fazem uso indevido dos medicamentos prescritos e com uma taxa quatro vezes maior do que a população. Isso sugere que isso ocorre porque os jogadores abusaram de drogas quando eram jogadores da NFL.

Além disso, o estudo revelou que 52% dos jogadores entrevistados utilizavam medicamentos no dia do jogo. Desse número, 71% fez uma utilização indevida e, para piorar, 15% deste número revelou que fez uso abusivo de medicamentos nos últimos 30 dias. Quem também usava analgésicos nos dias de jogos era três vezes mais propenso a abusar de drogas após o término de sua carreira.

Vários jogadores também afirmaram que treinadores deram medicamentos prescritos para dor. Sob a lei, só apenas um médico com autoridade para escrever prescrições pode distribuir substâncias controladas.

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top