NFL

Suspensão de quatro jogos aplicada a Tom Brady é mantida pela NFL

(Crédito: Instagram/reprodução)

(Crédito: Instagram/reprodução)

Depois de muita demora, a National Football League anunciou na tarde desta terça-feira (28) o resultado da apelação de Tom Brady e a suspensão de quatro jogos dada ao quarterback do New England Patriots, após seu suposto envolvimento com o escândalo Deflategate, foi mantida. A punição foi aplicada por violação à política de integridade do esporte.

A decisão de manter a penalização foi do comissário da liga Roger Goodell, que foi o responsável por ouvir a apelação do camisa 12 da franquia de Foxborough. Ao anunciar a manutenção da pena, Goodell citou novas evidências de que Brady obstruiu a investigação por ter destruído de celular perto da data da apelação. Baseado no relatório da investigação promovida pela NFL e nas evidências presentes na audiência de apelação, o comissário concluiu que Brady estava ciente e ajudou de certa forma os funcionários a murchar as bolas para abaixo do nível de pressão permitido nas regras da liga.

Tom Brady vai perder os primeiros quatro compromissos dos Patriots na temporada, contra Pittsburgh Steelers, Buffalo Bills, Jacksonville Jaguars e Dallas Cowboys, e poderá voltar a defender a equipe no dia 18 de outubro, quando o time enfrenta o Indianapolis Colts, na semana 6 da temporada regular. Apesar da pena, Brady está liberado para participar do training camp e dos jogos de pré-temporada dos Pats.

Quem deve substituir Brady como líder de ataque dos Patriots deve ser o quarterback Jimmy Garoppolo, que atuou com reserva direto de Tom no ano passado.

A apelação de Brady foi ouvida no dia 23 de junho, depois de a pena ser anunciada no mês de maio, baseada em investigação comandada por Ted Wells, contratado pela NFL para avaliar o caso de deflação das bolas durante a final da Conferência Americana (AFC) da temporada passada, quando o New England Patriots derrotou o Indianapolis Colts por 45 a 7 e acabou conquistando vaga para disputar o Super Bowl XLIX.

No relatório de Wells, o investigador não chegou à conclusão de que Tom Brady modificou as bolas, mas Wells afirmou que o quarterback estava “ao menos geralmente ciente” do envolvimento do staff dos Patriots em murchar as bolas.

Jeffrey Kessler, advogado que participou de outros casos emblemáticos na NFL, liderou a defesa de Brady e, após a apelação, ele mostrou-se otimista em relação às chances de mudar a suspensão inicial, mas as expectativas do profissional não se confirmaram.

Depois do escândalo Deflategate, o New England Patriots também foi punido, mas o proprietário Robert Kraft decidiu não apelar das punições à franquia e aceitou as determinações da liga, que aplicou uma multa de US$ 1 milhão e retirou uma escolha de primeira rodada do draft de 2016 e uma de quarta rodada do draft de 2017.

Veja uma parte do comunicado emitido pela NFL:

“Com base no relatório Wells e nas provas apresentadas na audiência, o comissário Goodell concluiu na sua decisão que Brady estava ciente e tomou medidas para apoiar as ações de outros funcionários da equipe para deixar a bola com pressão inferior ao dos níveis exigidos pelas regas d NFL”

Linha do tempo do caso “Deflategate”:

18 janeiro de 2015: relatórios da NFL apontam que os Patriots podem ter usado bolas murchas no jogo contra os Colts na final de conferência.

20 de janeiro de 2015: NFL descobre que 11 das 12 bolas usadas no jogo estavam com uma pressão inadequada, no caso, menos do que o necessário (entre 12,5 e 13,5 pounds).

22 janeiro de 2015: o técnico dos Patrios, Bill Belicheck nega conhecimento de bolas murchas no jogo. Brady também afirma que nunca quebraria as regras do jogo.

23 janeiro de 2015: NFL anuncia que Ted Wells foi nomeado para investigar o caso

26 de janeiro de 2015: o proprietário da franquia, Robert Kraft, nega veementemente irregularidades cometidas pela equipe, e expressa o desejo de desculpas se a equipe fosse punida

06 de maio de 2015: Ted Wells divulga o relatório dizendo que “é mais provável do que não que Jim McNally (o atendente Funcionários Vestiário para os Patriots) e John Jastremski (um assistente equipamentos para os Patriots) participaram de um esforço deliberado para reduzir a pressão das bolas do jogo, após as bolas serem examinadas pelo árbitro ”

11 de maio de 2015: a NFL anunciou que Tom Brady foi suspenso, sem multa, por quatro partidas por violar a política da liga sobre a integridade do jogo. A franquia foi punida com uma multa de um milhão de dólares e a perda da primeira escolha do draft de 2016 e da quarta, do draft de 2017.

14 de maio de 2015: os Patriots emitem uma resposta ao relatório de Ted Wells. Veja alguns trechos:

“As conclusões do relatório de Wells são, na melhor das hipóteses, incompletas, incorretas e falta contexto”.

“Não há nenhuma evidência de que Tom Brady prefere bolas de futebol com pressão inferior a 12,5 psi e nenhuma evidência de ele fez”.

14 maio de 2015: NFLPA (Associação dos jogadores) entrou com um recurso em nome de Brady

19 maio de 2015: o proprietário dos Patriots, Robert Kraft, anunciou que a e          quipe não ia apelar contra a sua punição

28 de maio de 2015: a apelação para a suspensão de Brady é marcada para iniciar no dia 23 de junho

02 de junho de 2015: o comissário Roger Goodell informa que não irá abster-se de ouvir a apelação

23 de junho de 2015: o apelo de Tom Brady acaba na manhã da terça-feira depois de 10 horas de depoimentos

28 de julho de 2015: o comissário Roger Goodell mantém a punição de Brady e durante o processo descobre que o QB havia destruído seu celular para tentar reter provas

Comments
To Top