NFL

Steve Smith avisa que jogo de domingo é provavelmente seu último na NFL

Steve Smith Sr., wide receiver do Baltimore Ravens

(Crédito: Twitter/reprodução)

Já em tom de despedida, o wide receiver Steve Smith Sr. não escondeu a emoção nesta quarta-feira (28) e anunciou que provavelmente vai disputar seu último jogo na National Football League neste domingo (1), contra o Cincinnati Bengals.

O recebedor do Baltimore Ravens, que está disputando atualmente sua 16ª temporada na liga, encerrou sua entrevista coletiva com os olhos marejados. Ele falou que está “89 por cento certo” de que vai pendurar as chuteiras (a porcentagem é uma alusão ao número de sua camisa).

“O futebol americano me deu mais do que, provavelmente, eu poderia dar a ele de volta. Mas para 2016, 2017 e além, este é provavelmente meu último jogo”, declarou.

Questionado mais sobre seu futuro no esporte, o wideout foi enfático: “estou tentando chegar ao domingo sem chorar como uma criancinha”.

Atualmente com 37 anos de idade, ele vai se aposentar como um de 11 jogadores da história da liga com mais de 1.000 recepções e 14.000 jardas recebidas.

Cinco vezes selecionado ao Pro Bowl em sua carreira, Steve Smith ficou conhecido como um jogador muito competitivo e com estilo marcante, tendo uma língua bastante afiada, inclusive. Prova dessas peculiaridades é que ele falou sobre aposentadoria nesta quarta usando uma fantasia de Darth Vader em sua coletiva.

O camisa 89 reconheceu que se afastar do esporte que tanto ama será muito difícil e o tom do discurso nesta quarta foi de um jogador que está feliz de colocar um ponto final em uma carreira inesquecível na NFL.

“Haverá luto. Haverá muitas emoções. Além disso, há muitas outras coisas em que posso me segurar e que não é possível tirarem de mim. Quer você queira ou não, você vai seguir adiante. Isso é parte da vida”, frisou.

Steve Smith chegou a anunciar sua aposentadoria antes da temporada 2015, mas ele decidiu retornar em 2016 para mais um ano na liga, depois de se recuperar de uma ruptura no tendão de Aquiles sofrida no meio do campeonato do ano passado.

O wide receiver é um de apenas dois atletas na história da NFL a superar as 13 mil jardas recebidas e 4 mil jardas de retorno, ao lado do Hall of Famer Tim Brown. Smith, atualmente, é o 12º na história da liga em recepções (1.028), o sétimo em jardas recebidas (14.697) e o 25º em recepções para touchdown (81).

“Ele é, definitivamente, único e é uma raça rara. Sempre que você tem a chance de jogar com um cara que realmente é uma lenda neste esporte, você se considera sortudo”, falou o quarterback Joe Flacco, dos Ravens, que revelou ter conversado com Steve Smith sobre seu futuro, mas recusou a especular sobre a decisão do companheiro.

Os companheiros esperam que ele retorne para mais um ano, mas isso não parece provável.

“Eu gostaria que ele voltasse para mais um ano, mas eu não acho que isso vai acontecer”, afirmou o safety Lardarius Webb.

Selecionado na terceira rodada do draft de 2001 (74ª escolha geral) pelo Carolina Panthers, Steve Smith passou 13 temporadas na organização da Carolina do Norte antes de ser dispensado em março de 2014, em uma decisão de cunho salarial, e fechar posteriormente com os Ravens.

O wide receiver é o líder da história dos Panthers em recepções (836), jardas recebidas (12.197) e touchdowns (67).

O técnico Ron Rivera, do Carolina Panthers, fez seus comentários após a divulgação da notícia.

“Oh, uau, isso é incrível. Ele teve outro bom ano, especialmente voltando da lesão no joelho sofrida na temporada passada. Ele é um jogador dinâmico e ardente que joga todas as jogadas como deve ser. Essa é, provavelmente, a coisa mais importante sobre ele que me lembro, quão duro ele jogava, o quanto queria ganhar. Ainda há 11% (de chance de ele continuar). Você nunca sabe. Mas ele conquistou esse direito”, observou o head coach.

Rivera, que se refere ao wide receiver como um futuro membro do Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF), ainda disse que Smith deveria se aposentar com a camisa dos Panthers.

“Isso depende de Steve. Acho que ele deveria, contudo. Pense em todos os anos em que ele jogou aqui. Mas cabe a ele (decidir)”, afirmou o treinador.

O divórcio com os Panthers, quando ele foi dispensado após a temporada 2013, foi complicado e o wideout expressou sua raiva em relação à franquia, especialmente relacionada ao general manager Dave Gettleman. Porém, há a chance de ele deixar a mágoa de lado e assinar um contrato de um dia para pendurar as chuteiras como membro da franquia.

Um dia depois que Smith foi dispensado pelos Panthers, ele assinou um contrato de três anos, US$ 10,5 milhões, com os Ravens. E, em três temporadas na franquia de Maryland, ele recebeu 192 passes para 2.500 jardas e 14 TDs.

“Não foi nada além de uma honra, um privilégio e uma alegria (contar com ele). Eu acho que os grandes tornam todos ao lado dele melhores, e Steve faz isso em seu caminho. Os anos que eu realmente valorizo em minha carreira como treinador são os que fui o técnico dele”, falou John Harbaugh, comandante do Baltimore Ravens.

Apesar do tom de adeus, Smith ainda sente que pode jogar mais. Ele admitiu que caiu um pouco de ritmo nos últimos tempos, mas observou que os adversários ainda se planejam de forma especial para enfrentá-lo.

A emoção, contudo, não ficou de lado e a nostalgia transpareceu. O wide receiver, inclusive, se segurou para não chorar ao falar de uma mensagem de texto que ele recebeu do ex-companheiro de equipe Justin Forsett.

“O que é difícil para mim é que estou arrumando minha casa aqui em Baltimore e colocando minha carreira em caixas. É complicado. É emocionante”, finalizou.

Confira a resposta sobre a porcentagem de chance de ele parar no domingo:

“Steve, will this be your last NFL game?” ☝️#PlayLikeARaven #RavensFlock #SSmithWPMOYChallenge

Um vídeo publicado por Baltimore Ravens (@ravens) em

Comments
To Top