NFL

Sete respostas que desejo conferir na segunda metade da temporada 2020 da NFL

A primeira metade da temporada 2020 da National Football League já foi para o vinagre (como passa rápido, Jesus!) e cá estamos firmes e fortes. Porém, várias perguntas inquietantes na NFL seguem rondando as nossas mentes ‘futebolamericanolísticas’. Curtiu o neologismo?

Abra sua conta no Futuur e faça suas previsões

Então, eu, Bruno Bataglin, também conhecido como editor de NFL do Quinto Quarto, resolvi preparar este artigo rápido. Aqui, vou levantar sete perguntas que permanecem me deixando reflexivo durante o banho e me fazendo virar na cama em noites mal dormidas (foi só para dar uma dramatizada mesmo…).

As próximas oito semanas vão trazer as respostas a tais questionamentos, certamente. E, ainda que alguns deles eu já possa ter noção de qual será a resposta, vale a pena debatermos.

Vamos lá?

Na NFC South, em qual Tampa Bay Buccaneers e em qual New Orleans Saints devo confiar?

Eu olho para a classificação de momento na divisão NFC South e vejo New Orleans Saints liderando com 6-2 e o Tampa Bay Buccaneers em segundo com 6-3. Atlanta Falcons e Carolina Panthers já estão bem atrás com 3-6.

Os Saints ATROPELARAM os Bucs no último Sunday Night Football e varreram o maior concorrente da divisão. Mas aí eu fiquei com a dúvida: eu devo confiar que os Saints serão como foram nesse último final de semana ou o verdadeiro é aquele da defesa aérea horrorosa que estava sofrendo para ganhar vários jogos?

E os Bucs de verdade são aqueles que amassaram o Green Bay Packers na semana 6 ou os que perderam duas para os Saints e uma para o Chicago Bears?

A NFC South está intrigante. Os Saints agora têm a faca e o queijo na mão, mas em qual versão desses dois rivais podemos acreditar? É o que eu quero saber até o começo de janeiro e também nos playoffs.

Confira nosso Dois Homens em Conflito, que começa com um ligeiro ódio com os Saints…

O Pittsburgh Steelers seguirá sendo confiável dessa maneira? Até onde eles podem chegar?

Eu escrevi na última edição nossa coluna semanal ‘O que fez o Quinto Quarto sorrir e o que quebrou as nossas pernas’ que acho o Pittsburgh Steelers extremamente confiável. Aí você pode me encher o saco e dizer: “que time 8-0 que não é?”. Esse raciocínio só é parcialmente correto.

A gente cansa de ver times na NFL com boas campanhas, mas que não convencem. Vide o Chicago Bears que estava com 5-1 até o meio de outubro. E, agora, já está 5-4. Mas os Steelers não.

Ao lado do Kansas City Chiefs, os comandados de Mike Tomlin são os donos da Conferência Americana (AFC) neste momento. Mesmo quando se complicam em jogos teoricamente fáceis, como foi contra o Dallas Cowboys, eles encontram uma maneira de vencer. Isso faz a diferença, sobretudo na pós-temporada.

Se a Conferência Nacional (NFC) não tem um grande time se destacando absurdamente, os Steelers estão se destacando absurdamente na AFC. Primeiro início 8-0 da história da franquia da Pensilvânia e sentado na janelinha para tirar a AFC North das mãos do Baltimore Ravens.

E a tabela restante favorece: Bengals (duas vezes), Jaguars, Ravens, Washington, Bills, Colts e Browns. Se terminar com campanha de 14-2 ou 15-1, eu não ficarei surpreso. Esses Steelers são REAIS.

Será que o New York Jets não vence nem umazinha?

No último Monday Night Football, pareceu que a vitória estava perto. Mas os Jets jogaram como nunca e perderam como sempre. Até pareceu uma leve ‘trollada’ do New England Patriots, que buscaram uma bela virada no quarto final.

Mas será que os Jets de Adam Gase vão mesmo terminar 0-16? Não vai nem sair aquela vitoriazinha de honra?

Vamos ver o restante da tabela: Chargers (fora), Raiders, Seahawks (fora), Rams (fora), Browns e Patriots (fora).

Bem, se não sair contra Chargers ou Raiders, vai ser difícil. Mas de um time que possui um ataque com média de 13,4 pontos por partida, a pior da NFL, não podemos duvidar de nada. Na dúvida, podem começar a preparar os sacos de papelão para colocar na cabeça, torcedores nova-iorquinos.

Quem será o time menos pior da NFC East?

Aqui temos um páreo duro. A NFL Least (que apelido genial, não me conformo) é uma piada. O líder é o Philadelphia Eagles com 3-4-1. Mas todos abaixo ainda podem sonhar: Washington Football Team (2-6), Dallas Cowboys (2-7) e New York Giants (2-7).

Sim, ENTRANDO NA SEMANA 10 temos times como DUAS VITÓRIAS E SETE DERROTAS podendo sonhar com o TÍTULO DE DIVISÃO. Ainda vejo os Eagles como favoritos, mas vai saber.

Como diria o professor Girafales: “que vergonha, que vergonha!”.

O Seattle Seahawks dará jeito nessa defesa horrorosa?

O ataque do Seattle Seahawks é uma verdadeira máquina, sendo o melhor da liga com 34,3 pontos marcados por partida até agora, além do terceiro melhor em jardas, com 415 por jogo. MAS A DEFESA…

Terceira pior da NFL em pontos (32,2 cedidos por partida) e a pior DISPARADO em jardas (455,8 por jogo). Para efeito de comparação, a segunda pior em jardas é a do Jacksonville Jaguars, com média de 418,1 cedidas por duelo. Os Seahawks cedem quase 40 a mais do que a segunda pior e quase dois pontos a mais do que os Jags, também donos da segunda pior defesa em pontos (30,9 sofridos por jogo).

Isso para uma franquia que já teve Legion of Boom e que sempre foi conhecida por defesas parrudas. Não precisa ir muito longe: em 2018, foi a 11ª melhor defesa em pontos sofridos (21,7 por jogo).

O time está 6-2 por causa de Russell Wilson e seu ataque. E Wilson, principal candidato a MVP até semanas atrás, está esfriando um pouco na disputa porque tem cometido turnovers (foram duas interceptações e dois fumbles perdidos na derrota por 44 a 34 para o Buffalo Bills). Mas também, o coitado sempre tem que correr atrás no placar. Não há QB que aguente.

Quer uma prova cabal do que é jogar sempre atrás do placar? Basta pegar essa mesma partida contra os Bills como exemplo: foram 41 passes contra apenas 17 corridas. Um ataque desequilibrado assim fica manjado. Mas é o que acontece quando você tem que buscar a virada sempre…

O Miami Dolphins realmente pode sonhar com playoffs? E com o título da AFC East?

A AFC East desde o ano 115 a.C. era sempre a mesma: Patriots, New England, New England Patriots e Pats se revezaram como campeões de divisão. Neste ano, contudo, temos Buffalo Bills com 7-2 na ponta e Miami Dolphins com 5-3. Bizarro para quem acompanha a NFL há menos tempo.

Mas fato é que os Dolphins vêm jogando muito bem (eu elogiei o trabalho de Brian Flores na nossa coluna pós-semana 9) e podem, sim, sonhar com voos mais altos.

A começar pela defesa, que é a quarta melhor em pontos sofridos (20,1 por jogo). E o ataque é o nono melhor da liga ao lado de um tal de Tampa Bay Buccaneers de Tom Brady, ambos com 27,8 pontos anotados por compromisso.

Tua Tagovailoa está mostrando que pode ser o QB que os Dolphins esperam há décadas e agora há o mínimo de organização dentro da franquia.

Os Dolphins podem sim sonhar com o título da divisão. Na pior das hipóteses, um wild card sai. Se continua jogando assim, eu tenho certeza que sai.

A AFC South está aberta, mas até quando Philip Rivers seguirá dando tiros no próprio pé?

Falando em divisões bem indefinidas, temos a AFC South como uma boa representante. O Tennessee Titans é o líder com 6-2, mas o Indianapolis Colts está na cola, com 5-3. Porém, qual é o principal problema dos Colts? A capacidade de Philip Rivers de fazer m#[email protected]

O time é muito inconstante em grande parte porque Rivers é inconstante. Você abre o dicionário na página do verbete “Inconstância” e lá está a foto do camisa 17 dos Colts.

No último jogo, contra o Baltimore Ravens, Indianapolis chegou sair na frente com 7 a 0, depois de tomar o empate fez 10 a 7, mas aí Rivers começa a errar passes e lança uma interceptação que se transforma no TD da virada dos Ravens. Depois disso, são campanhas sem pontos: punt, duas de turnover on downs e a do final de jogo que não rendeu nada.

Os números de Rivers mostram como ele é um QB irregular: 67,9% de passes completados para 2.087 jardas, dez touchdowns e sete interceptações.

Assim, não vai dar para os Colts…

Comments
To Top