NFL

Semana 4 NFL – O que fez o Quinto Quarto sorrir e o que quebrou as nossas pernas

Josh Allen, quarterback do Buffalo Bills, contra o Las Vegas Raiders na semana 4 NFL

Nesta temporada, iniciamos com nossa coluna “O que fez o Quinto Quarto sorrir/o que quebrou as nossas pernas”. Antes, ela estava inserida no nosso tradicional Scramble de cada semana (da semana 1 até a semana 3 foi assim). Agora, a partir da semana 4 NFL, vamos separá-la por motivos de… QUEREMOS QUE VOCÊS NOS LEIAM COM CARINHO!

Aqui, vamos destacar alguns pontos que curtimos e outros que não curtimos nada nesta semana 4 NFL. Bruno Bataglin, nosso editor de NFL e um fofo, é o responsável pelos aspectos legais. E Miguel Amado, nosso apresentador do QQ Expresso e um ranzinza por natureza, fica com os ‘deu ruim’ da vez.

Enfim, vamos para alguns destaques do QQ para a semana 4 NFL…

Semana 4 NFL – O que fez o Quinto Quarto sorrir

por Bruno Bataglin

Estou apaixonado por Buffalo Bills e Seattle Seahawks

Mais especificamente, estou por Josh Allen e Russell Wilson. A começar pelo Buffalo Bills, a evolução de Allen é incrível e foi bem tratada por Jim Trotter, colunista do site oficial da NFL. A maturidade dele é visível. Ele está mais equilibrado, tomando melhores decisões e suas estatísticas nos quatro primeiros jogos da temporada mostram isso.

Depois da vitória por 30 a 23 sobre o Las Vegas Raiders, o camisa 17 chegou a 1.326 jardas aéreas, com 12 conexões para touchdown e uma interceptação. São quase 71% de passes completados até agora. Só para efeito de comparação, em 16 jogos em 2019, foram 58,8% de passes completados para 3.089 jardas, 20 touchdowns e nove interceptações. Mudança brutal.

Já os Seahawks têm um dono chamado Russell Wilson. Principal candidato a MVP da liga até agora, o camisa 3 acertou 75% dos lançamentos para 1.285 jardas, 16 TDs e duas interceptações. E Dangeruss jogando assim não é uma novidade como é Allen. Mas nos deixa muito satisfeitos.

É sobretudo por causa deles que Bills e Seahawks estão com 4-0.

Baker Mayfield não é mais o Dado Dolabella da NFL

Outra coisa que vem me deixando bem contente neste primeiro quarto de temporada regular é ver a evolução de Baker Mayfield. Não, o quarterback titular do Cleveland Browns não pode ainda ser colocado na mesma prateleira de outros QBs melhores em 2020 como os dois que mencionei acima. Mas não é disso que estou falando.

Antes, eu vinha um jogador ‘mimado’, que só queria estar nos holofotes e falar groselha. Agora, vejo um camisa 6 mais centrado. E foi isso que ele mostrou na vitória imponente por 49 a 38 sobre o Dallas Cowboys: foram 19 passes certos de 30 para 165 jardas e dois touchdowns. Nada de turnovers e passer rating de 100.0.

Mayfield, se fechar o bico e jogar bola, ele tem muito a oferecer aos Browns. Ainda acho que o melhor dele está por vir. E um início de temporada 2020 com 62,6% de passes completados para 729 jardas, sete TDs e duas interceptações pode não ser de encher os olhos, mas não é ruim. Além disso, a postura dele em campo me parece outra.

Em resumo: ele não é mais o Dado Dolabella da National Football League.

É sempre legal ver Tom Brady tendo alguns lampejos do velho Brady

Acabado? Já tá velho? Só falta torcer para o Santos na Vila Belmiro e dizer que tem saudade dos tempos de Pelé, Coutinho, Pepe e Dorval? Tom Brady ainda tem lampejos do QB que era quando mais jovem. Não são tão frequentes, mas ainda existem. A vitória sobre o Los Angeles Chargers, nesta semana 4 NFL, foi uma delas.

“Ah, mas Brady lançou uma pick-six, ajudou seu time a sair perdendo por 24 a 7 para os Chargers, mimimi…”. Mas ele retomou as rédeas da partida depois do início desastroso e deixou o Tampa Bay Buccaneers com 3-1. Relembrou o camisa 12 que os torcedores dos Patriots tanto sentem falta e que trouxe seis anéis à franquia de Foxborough.

Que tal 30 passes certos de 46 para 369 jardas, cinco touchdowns e a interceptação mencionada acima? Passer rating de 117.0. E 1.122 jardas aéreas e 11 conexões para TD (com quatro INTs) em quatro partidas até agora?

Bem, não tem o que falar. Se continuar jogando assim, esses Bucs vão ser fortes concorrentes a brigarem com o New Orleans Saints Saints até o final pela ponta da NFC South.

Semana 4 NFL – O que quebrou as nossas pernas

por Miguel Amado

Mais lesões graves…

Nick Chubb era meu carregador de piano no fantasy, minha escolha de primeira rodada, minha luz, meu raio, estrela e luar. Manhã de sol, meu…

Enfim,  logo no primeiro quarto esse cara aí, que representa tudo para mim, saiu com uma lesão no joelho. Austin Ekeler também lesionou seu joelho e panturrilha, OJ Howard deve ficar fora da temporada com uma lesão no Tendão de Aquiles, Ezekiel Ansah viu seu braço ir para o espaço, Cam Newton tem COVID-19 e por aí vai vai.

Se tem um time que curte abrir dois dígitos e perder é o Detroit Lions

Só um time na história da NFL perdeu seis jogos seguidos depois de abrir pelo menos dez pontos de vantagem. Contra os Saints o time logo de cara vencia por 14 a 0 e conseguiu levar 35 pontos sem fazer um mísero field goal. Matt Patricia está 10-25-1 no comando dos Lions. Nem sei mais o que dizer.

209 milhões de dólares para ser 0-4

15,5 milhões para JJ Watt, 14,1 milhões para Laremy Tunsil, 12 milhões para Whitney Mercilus, 11,1 milhões para David Johnson, 10,1 milhões para Will Fuller, 9,8 milhões para o coitado do Deshaun Watson, 9,3 milhões para Bradley Roby, 8,75 milhões para o center Nick Martin, 8 milhões para Brandin Cooks e posso continuar até amanhã com os salários e impactos na folha do Houston Texans.

Tudo isso para 0 vitórias e 4 derrotas. Nas três primeiras partidas tinha o que falar: pegar Ravens, Chiefs e Steelers não é fácil. Mas os Vikings, também 0-3, agora são mais um time que bateram os Texans, com boa partida de Kirk Cousins. Bill O’Brien tem um trabalho no momento da publicação deste post.

Comments
To Top