NFL

Sean Payton ‘devorou’ Netflix e sorvete em sua “caverna” para superar derrota para Rams

Sean Payton, técnico do New Orleans Saints

(Crédito: Twitter/reprodução)

O técnico Sean Payton, do New Orleans Saints, finalmente se reuniu com a imprensa nesta quarta-feira (30) para sua coletiva de imprensa obrigatória de encerramento de temporada. Relutantemente, o comandante da franquia da Louisiana saiu de sua “caverna”, como ele mesmo disse.

“Quanto tempo faz agora, uma semana e meia? Parece que é mais do que isso. Eu diria honestamente que depois do jogo, por dois ou três dias, assim como pessoas normais, eu sentei e provavelmente não saí do meu quarto, comi sorvete da Jeni e assisti Netflix por três dias seguidos”, afirmou o head coach.

Payton falou que a raiva provavelmente durou cerca de 24 horas depois da famigerada não-marcação de faltas que eliminou os Saints na final da Conferência Nacional (NFC). Após isso, a reação dele foi basicamente de decepção.

O head coach dos Saints deu créditos a Al Riveron, chefe de arbitragem da National Football League, por ter sido “fantástico” e “brutalmente honesto” logo após a derrota na prorrogação por 26 a 23 para o Los Angeles Rams. Logo depois do término da partida que valia vaga no Super Bowl LIII, Riveron admitiu que os árbitros deixaram de marcar tanto uma falta de interferência no passe quanto uma pancada de capacete contra capacete em um lançamento feito na direção do wide receiver Tommylee Lewis.

Payton revelou que conversou com Roger Goodell, comissário da NFL, e com Troy Vincent, vice-presidente executivo de operações de futebol americano da liga, rapidamente ao longo dos dois dias seguintes ao jogo. Mas o técnico dos Saints sabia que nada poderia ser feito em relação ao erro crasso dos árbitros.

“Minhas conversas breves na segunda e na terça com o comissário e Troy foram relativas – não a qualquer tipo de reversão ou algo assim – apenas à jogada e qualquer declaração. Mas há milhares de pessoas que chegam até você, você recebe um monte de mensagens de texto e e-mails, e você fica agradecido por tudo isso, então você só quer desaparecer em sua caverna por um tempo”, frisou.

Membro do comitê de competição da NFL, Payton disse que ele espera que o que aconteceu com o New Orleans Saints possa servir como motivação para mudanças produtivas nas regras da liga, de maneira que haja uma maneira de tais não-marcações serem passíveis de revisão.

“Olhem, é muito comum na nossa liga que certos eventos ocorram. E então, cara, há uma reação talvez na offseason, quando muitas vezes encontramos nossas falhas por causa de alguma lacuna. Se você olhar ao longo da história do nosso esporte – o fumble para a frente dos Raiders (…) (Mas) o tópico é uma coisa, a solução é a coisa mais desafiadora que todos nós estamos procurando”, observou.

Payton também expressou confiança de que o ocorrido possa ser deixado no passado pelos seus jogadores.

“Essa aqui, onde ocorreu na pós-temporada, temos que ser capazes de superar isso. E nós vamos. Nós temos uma boa liderança neste time. Eu não sei se você realmente supera isso, mas você deixa para trás. E há consenso suficiente que esse tempo longe é saudável. E, quando começar novamente na primavera (…) você volta para isso”, completou Sean Payton.

A mensagem do head coach aos torcedores será a mesma que ele passou ao time.

“Isso não vai acontecer da noite para o dia e vai demorar um pouco, obviamente. Mas é por isso que gostamos desse esporte. Quero dizer, o futebol americano é como a vida. Nem sempre vai ser como você planejou, nem sempre vai ser justo. E, às vezes, você toma um soco e se levanta. E há aquele elemento de resistência e vontade que está envolvido neste esporte que eu acho que fascina todos nós com isso”, finalizou.

Comments
To Top