NFL

Scramble: o que rolou na semana 8 da temporada 2020 da NFL

E já estamos na semana 8 da temporada 2020 da NFL (como passa rápido, não?). E, aqui no Quinto Quarto, a gente conta tudo o que rolou nos jogos da semana de National Football League em um só lugar. É o nosso tradicional Scramble!

Tudo concentrado em um só lugar para que você não perca tempo.

Aqui, Bruno Bataglin, editor de NFL do QQ, e Miguel Amado, nosso apresentador do Quinto Quarto Expresso, trazem análises dinâmicas sobre as partidas e os resultados. Sempre com o tempero que nos é peculiar: uma pitada de diversão com uma colher de irreverência. Mas tudo com informação de primeira qualidade.

Pois, vamos para a oitava semana da NFL…

Monday Night Football – New York Giants (1-7) 23 x 25 Tampa Bay Buccaneers (6-2)

por Bruno Bataglin

– O Tampa Bay Buccaneers entrou no jogo como favorito por 12,5 pontos para as casas de apostas. O resultado final mostra que o jogo foi muito mais complicado do que muitos imaginavam (eu me incluo neste grupo).

– Antes de falarmos sobre a vitória dos Bucs, temos que destacar a atuação defensiva do New York Giants. A secundária sobretudo. O sistema complicou a vida de Tom Brady (28/40, 279 jardas e dois touchdowns) durante boa parte da noite e cedeu apenas quatro em 12 situações de terceiras descidas.

– O primeiro tempo foi todo dos Giants, que chegaram a abrir 14 a 3 e foram para o vestiário vencendo por 14 a 6. Contudo, os 12 pontos dos Bucs sem resposta acabaram pesando. E os 10 pontos sofridos no quarto final mais ainda.

– O problema foram os tiros no pé que os Giants deram. Além das faltas (sete ao todo para uma perda de 73 jardas), o quarterback Daniel Jones (25/41, 256 jardas, dois TDs e duas interceptações) segue com suas gafes. Tudo bem que ele fechou o jogo com um belo lançamento de 19 jardas para TD de Golden Tate. Mas Jones é muito indeciso em vários momentos.

– Os Bucs suaram sangue, mas conseguiram a vitória apertadinha. Mike Evans (cinco recepções para 55 jardas e um TD) e Rob Gronkowski (quatro recepções para 41 jardas e um TD) foram os melhores amigos de Brady. Também não podemos nos esquecer do kicker Ryan Succop, que acertou seus quatro field goals na noite e ajudou bastante a franquia da Flórida.

– Os Giants estiveram a uma conversão de dois pontos de forçar a prorrogação. Mas a conversão de dois pontos em lançamento de Daniel Jones não funcionou após uma defesa providencial do safety Antoine Winfield Jr.

Sunday Night Football – Philadelphia Eagles (3-4-1) 23 x 9 Dallas Cowboys (2-6)

por Bruno Bataglin

– Foi um duelo perfeito de NFC East no Sunday Night Football: modorrento e com poucas emoções. O máximo de emoção que tivemos foi quando os Cowboys abriram 9 a 7 no final do segundo quanto. A partir daí, só deu Eagles.

– Com dois touchdowns e um safety bizarro (em um snap horrível do long snapper L.P. Ladouceur no punt dos Cowboys), os Eagles dominaram os dois quartos finais e venceram sem sustos por 14 pontos de vantagem. O resultado deixa Philadelphia isolado na ponta da divisão.

– Nenhum dos dois QBs foram bem na partida. Mas posso dizer que Ben DiNucci (21/40, 180 jardas) teve uma atuação mais digna proporcionalmente à expectativa. Afinal, estamos falando de um calouro de sétima rodada que foi obrigado a ser titular após as lesões de Dak Prescott e Andy Dalton.

– Do lado dos Eagles, Carson Wentz teve uma atuação bem mediana: 15/27, 123 jardas, dois touchdowns e duas interceptações. Depois, quando eu insisto que não gosto dele, povo vem reclamar…

– A partida foi um verdadeiro show de turnovers. Foram quatro dos Eagles (duas INTs e dois fumbles) e duas dos Cowboys (incluindo um fumble de DiNucci que foi retornado 53 jardas para touchdown por Rodney McLeod).

– Os Cowboys tiveram mais jardas totais (265 contra 222 dos Eagles), mais first downs (21 a 18), mais posse de bola (32min50s contra 27min10s) e menos turnovers. Mas a ineficiência no ataque, sobretudo na red zone (0/2 contra 2/2 dos Eagles) fez a diferença.

Domingão de NFL – Jogos das 18h – Perdeu? A gente conta como foi…

Chicago Bears (5-3) 23 x 26 New Orleans Saints (5-2) – OT

por Bruno Bataglin

– Foi uma partida em que as duas equipes travaram um duelo equilibrado e que durou até a prorrogação. No final, os Saints conseguiram vencer com um field goal de 35 jardas de Wil Lutz. Foi por pouco…

– Do lado dos Saints, o ataque não foi muito bem e engasgou em alguns momentos. Apesar disso, o quarterback Drew Brees teve bons números e acertou 31 passes de 41 para 280 jardas e dois touchdowns. E isso sem seus principais WRs mais uma vez em campo.

– Alvin Kamara teve mais uma grande atuação. O running back dos Saints correu 12 vezes para 67 jardas, além de fazer nove recepções para 96 jardas. O tight end Jared Cook (cinco recepções para 51 jardas e um TD) também teve papel importante.

– O ataque dos Bears novamente foi bem mediano. O quarterback Nick Foles (28/41, 272 jardas, dois touchdowns e uma interceptação) teve altos e baixos. O wide receiver Allen Robinson fez seis recepções para 87 jardas e um TD.

– A defesa de New Orleans novamente teve atuação deprimente, cedendo alguns first downs longos em momentos chave e tomando 10 pontos nos quatro minutos finais de jogo, levando a partida à prorrogação. Essa unidade de Dennis Allen está um problema.

– O nosso kicker brasileiro Cairo Santos, dos Bears, foi impecável, acertando todos os seus três field goals na partida, incluindo este de 51 jardas que levou à prorrogação.

– Ainda teve a treta entre o wide receiver Javon Wims, dos Bears, e o defensive back Chauncey Gardner-Johnson, dos Saints. E os socos dados pelo recebedor de Chicago o levaram a ser ejetado da partida. Gardner-Johnson, que não é um anjo, apareceu falando algo para o wideout e colocando os dedos na cara do recebedor dos Bears. Mas o defensor não foi expulso.

PS: a minha aposta de Saints -3,5 não bateu por meio ponto. Triste porque os Saints chegaram a ter 10 pontos de vantagem. Mas é a vida. Sigamos…

Seattle Seahawks (6-1) 37 x 27 San Francisco 49ers (4-4)

por Bruno Bataglin

– Era um confronto importante na briga pelo topo da divisão NFC West. E deu Seattle com grande tranquilidade graças a mais uma atuação impecável do quarterback Russell Wilson (27/37, 261 jardas e quatro touchdowns). É o principal candidato a MVP e não tem como.

– O wide receiver D.K. Metcalf teve uma atuação monstruosa, saindo de campo com 12 recepções para 161 jardas e dois touchdowns.

– Do lado dos Niners, muitas lesões. O quarterback Jimmy Garoppolo (11/16, 84 jardas e uma interceptação) saiu com lesão no tornozelo e o tight end George Kittle (duas recepções para 39 jardas) também sofreu uma contusão no tornozelo. Isso sem falar no running back Tevin Coleman (três corridas para 20 jardas), que saiu ainda na primeira metade de jogo com problema no tornozelo. Aí fica difícil.

– Após a saída de Garoppolo, Nick Mullens assumiu o comando do ataque dos Niners, acertando 18 passes de 25 para 238 jardas e dois touchdowns. O QB reserva tentou trazer o time de volta ao jogo, mas já era tarde.

– A defesa dos Seahawks, muito criticada neste ano, cedeu apenas um TD na primeira metade de jogo. Então, com dois TDs no terceiro quarto e um field goal de 48 jardas de Jason Myers no início do quarto final, o time abriu 30 a 7. Então, bastou controlar a vantagem.

– Seahawks estão muito vivos na briga pela melhor campanha da Conferência Nacional (NFC). E os Niners chegam aos 50% de aproveitamento e estão em situação complicada. Luz amarela na Bay Area.

Denver Broncos (3-4) 31 x 30 Los Angeles Chargers (2-5)

por Bruno Bataglin

– O Los Angeles Chargers chegou a abrir 24 a 3 no terceiro quarto, mas uma reta final de jogo impecável do Denver Broncos, com quatro touchdowns, deu a vitória por 31 a 30 à franquia do Colorado.

– Nem Drew Lock (26/41, 248 jardas, três touchdowns e uma interceptação) e nem o calouro Justin Herbert (29/43, 278 jardas, três touchdowns e duas interceptações) foram bem. Mas Lock fez o suficiente na reta final para trazer a vitória aos Broncos.

– Impressionante ver que os Chargers chegaram às 210 jardas terrestres e, mesmo assim, não venceram.

Domingo de NFL – Três joguinhos que você precisa saber o que rolou

Baltimore Ravens (5-2) 24 x 28 Pittsburgh Steelers (7-0)

por Miguel Amado

– Só tinha uma equipe invicta na NFL entrando nesta semana e assim continuamos. Os Steelers encararam seu rival mais difícil até agora, justamente em um confronto de divisão. O começo foi excelente, com uma pick six logo na primeira campanha para os visitantes.

– Mas os Ravens se acertaram e abriram 17 a 7. O terceiro quarto teve um 14 a 0 para Pittsburgh, que fez o placar virar. Os Ravens tiveram um TD, Pittsburgh devolveu e os Ravens avançaram no campo até uma quarta para 3 na linha de 8. Lamar Jackson tentou a corrida com dois minutos faltando, não conseguiu e ainda sofreu um fumble.

– Big Ben não foi espetacular, mas não cometeu erros, somando 182 jardas, 2 TDs passados e nenhuma interceptação. Lamar foi interceptado duas vezes, teve um fumble, e somou 208 jardas com o braço e 2 TDs. O ataque terrestre dos Ravens teve 265 jardas, mas mesmo assim os Steelers saíram vitoriosos.

Green Bay Packers (5-2) 22 x 28 Minnesota Vikings (2-5)

por Miguel Amado

– Kirk Cousins lançou 16 passes na partida. Isso já ajuda a explicar como os Vikings venceram uma partida de forma completamente inesperada contra os Packers. Dalvin Cook teve 30 carregadas, 163 jardas e 3 TDs e ainda somou 63 jardas em duas recepções e mais um TD.

– O jogo começou equilibrado, com quatro campanhas longas, duas de cada equipe, terminando em touchdowns. Mas na volta do intervalo os Vikings conseguiram mais um TD com Cook, os Packers tentaram uma quarta descida para 10 jardas – em vez de chutar um longo field goal de 55 jardas -, não conseguiu e os Vikings puniram novamente.

– Os Packers conseguiram se recuperar, diminuíram para 28 a 22, mas na campanha final os Packers chegaram até a linha de 41 dos Vikings, mas Rodgers sofreu um fumble. Derrota não esperada para os Packers, que podem ficar atrás dos Bears neste domingo.

Buffalo Bills (6-2) 24 x 21 New England Patriots (2-5)

por Miguel Amado

– Quem quiser a AFC Leste tem que expurgar o New England Patriots. E foi isso que o Buffalo Bills fez hoje, chegando à sexta vitória apesar de não ter jogado tão bem e empurrando os Pats para a crise. São quatro derrotas seguidas para a equipe de Bill Belichick, primeira sequência desse tipo desde 2002.

– Cam Newton melhorou seu desempenho, depois de um jogo horroroso contra os 49ers, com 174 jardas e um TD terrestre. Mas na campanha final, faltando 37 segundos, já na red zone, Newton não segurou a bola e sofreu o fumble.

– Josh Allen não jogou bem, mas o ataque terrestre entrou, com 190 jardas corridas e 3 TDs, inclusive um de Allen e uma boa partida de Stefon Diggs, com 92 jardas em seis recepções. Agora os Bills podem dizer que são os donos da divisão.

Outros resultados:

Cincinnati Bengals (2-5-1) 31 x 20 Tennessee Titans (5-2)

Cleveland Browns (5-3) 6 x 16 Las Vegas Raiders (4-3)

Detroit Lions (3-4) 21 x 41 Indianapolis Colts (5-2)

Kansas City Chiefs (7-1) 35 x 9 New York Jets (0-8)

Miami Dolphins (4-3) 28 x 17 Los Angeles Rams (5-3)

Thursday Night Football – Carolina Panthers (3-5) 17 x 25 Atlanta Falcons (2-6)

por Bruno Bataglin

– Duelos de divisão sempre reservam uma boa dose de imprevisibilidade. Na NFC South, dá para multiplicar isso por três. Não foi diferente neste Thursday Night Football que abriu a semana 8 e os Falcons derrotaram os Panthers fora de casa. Tudo bem que a franquia da Carolina do Norte não era super favorita, mas ainda assim vivia um momento bem melhor.

– Para o torcedor de Atlanta, isso foi um alívio. No último quarto, com oito pontos de vantagem, os Falcons devolveram a bola para o rival. E, com quase três minutos no relógio, Carolina tinha chance de buscar o touchdown e a conversão de dois que empataria. Mas, desta vez, os Falcons conseguiram manter a vitória e espantaram o fantasma de entregar partidas no final.

– Foi uma interceptação feita pelo cornerback Blidi Wreh-Wilson (que nome LINDO) em passe do quarterback Teddy Bridgewater (15/23, 176 jardas, um TD e uma INT) que selou o resultado favorável para os Falcons.

– Aliás, foram os Panthers que começaram melhor. Depois de um quarto inicial equilibrado, o time da casa chegou ao seu segundo touchdown em passe de 29 jardas de Bridgewater para Curtis Samuel. Samuel, inclusive, foi um dos destaques da partida, com quatro recepções para 31 jardas e um TD, além de três corridas para 23 jardas e um TD.

– Contudo, os Falcons se recuperaram ainda antes do intervalo. Primeiro, Matt Ryan (21/30, 281 jardas e uma INT) anotou um touchdown em corrida de 13 jardas. Ainda houve um field goal de 36 jardas do kicker Younghoe Koo (bem-vinda, quinta série) para virar o jogo para 16 a 14.

– Nos últimos dois quartos, a defesa dos Falcons limitou os Panthers a apenas um field goal de 39 jardas de Joey Slye. E um TD de três jardas de Todd Gurley no último quarto deu a vitória aos Falcons.

– Bridgewater chegou a sair de campo por um tempo depois de tomar uma forte pancada dada por Charles Harris, que levou à ejeção do defensive end dos Falcons. Bridgewater só voltou no último quarto, após passar pelo protocolo de concussão. Ex-CFL, o QB reserva P.J. Walker assumiu o ataque dos Panthers por um tempo.

– Os Falcons controlaram a posse de bola (36min30s contra 23min30s dos Panthers) e a tão criticada defesa de Atlanta cedeu apenas 157 jardas de passe. Mudança de postura que rendeu a vitória.

– A partida teve até esse belíssimo fake punt dos Panthers. Pena que não adiantou nada no final…

PS: nada feito na nossa aposta de Panthers -2,5 no podcast. Tá difícil esses últimos Thursday Night Football. Vamos em frente para o final de semana.

Para iniciar as atividades, o Quinto Quarto Expresso #214…

Comments
To Top