NFL

Scramble: o que rolou na semana 16 da temporada 2020 da NFL

A penúltima semana da temporada regular de 2020 da NFL está rolando. E, aqui no Quinto Quarto, você lê nossas análises do que rolou nas partidas da semana 16. Tudo em um só lugar: o Scramble.

Para conferir as nossas análises rápidas dos jogos e os resultados das partidas da National Football League, basta conferir este texto.

Aqui, Bruno Bataglin, editor de NFL do QQ, e Miguel Amado, apresentador do Quinto Quarto Expresso, trazem suas análises dos jogos e os resultados. E isso com uma boa pitada de bom humor que faz parte do DNA do Quinto Quarto.

Então, vamos analisar toda a ação da semana 16 da temporada 2020 da NFL…

Monday Night Football – New England Patriots (6-9) 9 x 38 Buffalo Bills (12-3)

por Bruno Bataglin

– O último Monday Night Football da temporada 2020 da NFL foi um monólogo. Todo mundo sabia que, se o Buffalo Bills jogasse o que sabia, seria fácil. E foi. Mal vimos o New England Patriots dentro de campo.

– Para não ser injusto, os Patriots abriram 3 a 0 na primeira campanha, em field goal de 45 jardas de Nick Folk, e encostaram em 10 a 9 no segundo quarto, depois que os Bills viraram, mas o mesmo Folk errou o extra point e evitou a igualdade. A partir daí, só deu Bills…

– … na verdade, deu Josh Allen e Stefon Diggs. O QB e o WR chamaram a responsa e comandaram a vitória fácil sobre o rival de divisão. Allen (27/36, 320 jardas e quatro TDs) foi tão bem que ainda quebrou o recorde da lenda Jim Kelly de maior número de passes para touchdown em uma temporada, com 34. Kelly lançou para 33 na temporada 1991 da NFL.

– Já Diggs somou nove recepções para 145 jardas e três touchdowns. E foi na terceira recepção para TD do camisa 14 que Allen estabeleceu o novo recorde. E o próprio Diggs quebrou o recorde de jardas recebidas em uma temporada na história dos Bills nesta noite.

– Os Bills anotaram cinco TDs na partida. Além dos três de Diggs, um saiu em corrida de cinco jardas de Zack Moss (12 corridas para 57 jardas e um TD) e outro em recepção de quatro jardas de Lee Smith (duas recepções para 31 jardas e o TD).

– Do lado dos Patriots, Cam Newton (5/10 para 34 jardas) só correu para um TD de nove jardas no segundo quarto e ficou nisso, com 24 jardas totais na partida. Foi uma atuação tão ‘bléh’ que Jarrett Stidham (4/11 para 44 jardas) fechou a partida.

– O ataque terrestre da franquia de Foxborough até que funcionou, com 145 jardas totais, sendo 69 com Sony Michel e 38 com J.J. Taylor. Mas foi só. O corpo de wide receivers mais uma vez foi lastimável e o melhor foi Jakobi Meyers (quatro recepções para 45 jardas). Triste.

– É a primeira vez desde 1999 que o Buffalo Bills ‘varre’ os Patriots em uma temporada. E a última vez que rivais da AFC East conseguiram vencer as duas contra os Pats foi em 2000, quando New York Jets e Miami Dolphins conseguiram. As 19 temporadas seguidas de New England sem perder duas para um mesmo rival de divisão estabeleceram um novo recorde da NFL.

– Os Bills agora tentam vencer os Dolphins na semana 17 para ficar com a segunda melhor campanha da Conferência Americana (AFC), atrás apenas do Kansas City Chiefs. Já os Patriots só cumprem tabela contra o NY Jets e vão ter a primeira campanha negativa na temporada desde a primeira temporada de Bill Belichick como head coach do time, em 2000.

PS: a aposta de Bills -6,5 entrou FÁCIL e fechamos a semana com um perfeito 4-0. Essa semana 16 foi gostosa DEMAIS!

Sunday Night Football – Green Bay Packers (12-3) 40 x 14 Tennessee Titans (10-5)

por Bruno Bataglin

– Quem manda na ‘Frozen Tundra’ é o Green Bay Packers e o time fez questão de mostrar isso no Sunday Night Football. Em um congelante Lambeau Field, que só não estava mais branco do que o futebol americano que o Tennessee Titans demonstrou, os ‘cabeças de queijo’ aplicaram um sonoro 40 a 14. A campanha número 1 da Conferência Nacional (NFC) ainda não está garantida, mas ficou perto.

– Foi um show particular de Davante Adams, que somou 11 recepções para 142 jardas e agarrou três dos quatro touchdowns lançados por Aaron Rodgers (21/25, 231 jardas, quatro TDs e uma interceptação) na noite. Aliás, com esta atuação na semana 16, o camisa 12 parece ter colocado uma mão e meia no prêmio de MVP. Apresentação sólida de Rodgers, que também conectou um TD de 21 jardas com Equanimeous St. Brown (QUE NOME!).

– Quem também teve uma atuação sólida foi o running back AJ Dillon (21 corridas para 124 jardas e dois TDs). E não podemos nos esquecer da defesa dos Packers, que limitou bastante Ryan Tannehill (11/24, 121 jardas, um TD e duas interceptações) pelo ar, ainda que tenha cedido um TD corrido de 45 jardas para o QB dos Titans.

– A defesa de Green Bay também conseguiu, em grande parte, neutralizar a principal arma ofensiva de Tennessee: o running back Derrick Henry, que correu apenas 23 vezes para 98 jardas e não entrou na end zone.

– Alguns números que mostram bem o domínio dos Packers: foram 448 jardas totais, 7.1 jardas por jogada, 27 first downs e mais de 36min30s de posse. Já os Titans tiveram 260 jardas totais, 4.7 por jogada, 15 first downs e 23min23s de posse.

– Para ficar com a campanha 1 da NFC, os Packers precisam derrotar o arquirrival Chicago Bears na semana 17. Caso percam para os Bears, uma derrota do Seattle Seahawks para o San Francisco 49ers resolve a parada. Já os Titans precisam agora de uma vitória na semana 17 sobre o Houston Texans para vencer a divisão AFC South e garantir uma vaga sem sustos nos playoffs.

Domingão de NFL – Temos um campeão de divisão

Seattle Seahawks (11-4) 20 x 9 Los Angeles Rams (9-6)

– O ataque dos Rams apagou na hora errada e a defesa de Seattle melhorou muito em relação ao começo da temporada. E esses dois fatores foram vistos hoje no Lumen Field, com Seattle segurando quatro descidas à beira da end zone, tendo de graça uma interceptação em péssimo passe de Jared Goff e um TD no fim para vencer a NFC West.

– Russell Wilson não precisou ser mágico, mas com 225 jardas, 20 passes certos de 32 e 1 TD fez o suficiente para sua equipe vencer, já que a defesa tirou o ataque aéreo dos Rams da partida. Goff – que pode ter quebrado o dedão – precisou de 43 passes lançados para conseguir 234 jardas. O jogo terrestre também foi parado na hora certa.

Os Rams ainda podem ficar fora dos playoffs, precisando perder o duelo direto para o Arizona Cardinals e que os Bears vençam os Packers na última semana. Vale ressaltar que Green Bay pode garantir a primeira seed da NFC neste domingo e não ter nada a disputar na semana 17. Que sofrimento… Já os Seahawks têm as mesmas 11 vitórias que Saints e Packers neste momento, mas devem ficar com a terceira posição da NFC e pegar o segundo wild card.

Dallas Cowboys (6-9) 37 x 17 Philadelphia Eagles (4-9-1)

Antes da temporada começar era inegável que os Cowboys tinham o time mais talentoso. Depois de jogos horrorosos, cabelos em pé e arrancados, críticas para todo lado e muitas derrotas, Dallas ainda está vivo chegando na semana 17 mesmo com três vitórias a mais que derrotas. Essa é a beleza da NFC East.

O time foi para o intervalo contra os Eagles com uma vantagem pequena, mas voou no segundo tempo e deixou Jalen Hurts e seu ataque zerados. Andy Dalton teve 377 jardas, 3 TDs e uma INT, Michael Gallup teve dois TDs e 121 jardas e Ezekiel Elliott somou 105 jardas pelo chão. Ou seja, tudo que o torcedor dos Cowboys queriam.

Dallas tem as mesmas seis vitórias que Washington, mas o time da capital leva a melhor no desempate. Ou seja, a equipe de Mike McCarthy tem que torcer para uma vitória dos Eagles contra Washington e vencer os Giants, que ainda podem vencer a divisão se batem os Cowboys e Washington perdem. Só Philly mesmo que já era.

Outros resultados…

Washington Football Team (6-9) 13 x 20 Carolina Panthers (5-10)

Los Angeles Chargers (6-9) 19 x 16 Denver Broncos (5-10)

Domingão de NFL – O QQ conta o que rolou nos jogos das 15h

Pittsburgh Steelers (12-3) 28 x 24 Indianapolis Colts (10-5)

por Bruno Bataglin

– O Pittsburgh Steelers finalmente reencontrou o caminho das vitórias. Mas foi no sufoco, viu? O time chegou a estar perdendo por 24 a 7, no começo do terceiro quarto. Contudo, Mike Tomlin provou por que é uma BAITA head coach, fez os ajustes (ofensivos e defensivos) e o time fechou o jogo com três TDs para virar.

– Com a vitória os Steelers garantem o título da AFC North e, agora, só tentam assegurar a campanha número 2 da AFC, que ainda pode ser ‘roubada’ pelo Buffalo Bills. Já os Colts seguem ameaçados de ficarem fora dos playoffs.

– Nos primeiros dois quartos, não estava dando nada certo para os Steelers. Apenas um TD de James Conner (cinco corridas para 20 jardas) para deixar o placar em 7 a 7 e parou por aí. O time não conseguiu conter o running back calouro Jonathan Taylor (18 corridas para 74 jardas e dois TDs) na metade inicial e isso pesou bastante. Mas Taylor sumiu no segundo tempo.

– O ataque de Pittsburgh foi tenebroso na primeira metade de jogo. E o TD de Conner saiu só depois que a defesa forçou um fumble de Philip Rivers e Mike Hilton retornou até a linha de 17 dos Colts.

– Mas, no segundo tempo, as coisas melhoraram muito. Ben Roethlisberger (34/49, 342 jardas e três touchdowns) começou a soltar o braço e fez uso de JuJu Smith-Schuster (nove recepções para 96 jardas e um TD), Diontae Johnson (oito recepções para 75 jardas e um TD), Chase Claypool (quatro recepções para 54 jardas) e Eric Ebron (cinco recepções para 47 jardas e um TD).

– Do lado dos Colts, Philip Rivers (22/35, 270 jardas, um TD e uma INT) começou jogando bem, mas caiu vertiginosamente de produção nos dois quartos finais, quando a defesa dos Steelers começou a pressioná-lo. E, quando pressionam Rivers com constância, todo mundo já sabe o que acontece…

– Ele faz cocô. E a interceptação de Mike Hilton (de novo ele!) com pouco mais de seis minutos restantes foi parte disso. Rivers sucumbiu quando Indianapolis mais precisava dele.

PS: nossa aposta de Pittsburgh +3 acabou entrando facilmente. 3-0 na semana e falta só a do Monday Night Football para ficarmos perfeitos na semana 16. Sigamos…

New York Jets (2-13) 23 x 16 Cleveland Browns (10-5)

por Bruno Bataglin

– Primeiro de tudo, eu me pergunto: POR QUE RAIOS O NEW YORK JETS ESTÁ GANHANDO JOGOS DEPOIS DE ENTRAR EM DEZEMBRO COM 0-13? VAI SER BURRO ASSIM NAQUELE LUGAR…

– Depois, eu parabenizo o Cleveland Browns. O time tinha a chance de se garantir nos playoffs, mas agora ficou em situação extremamente complicada (precisa vencer o rival Steelers na semana 17). E muito por causa de Baker Mayfield…

– Apesar de eu estar elogiando constantemente Mayfield pelo amadurecimento em 2020, atuações como essas são motivos para reflexão. Os números do camisa 6 foram horrorosos: 28/53 para 285 jardas (passer rating de 68.5) e três fumbles, sendo dois perdidos. Ambos custaram caro, já que um foi em uma das campanhas finais e já colocou os Jets no campo de ataque. O outro foi no começo do segundo quarto e, jogadas depois, os Jets anotaram o TD.

– Os Jets anularam o forte ataque terrestre de Cleveland, que produziu somente 45 jardas corridas (é sério). Nick Chubb correy para apenas 28 jardas e um TD.

– Já do lado de NY, foi só alegria (para os jogadores, já que para a torcida…). O quarterback Sam Darnold (16/32, 175 jardas e dois TDs) teve atuação razoável e teve até passe para TD de 43 jardas feito pelo wide receiver Jamison Crowder. Ele conectou com o companheiro Braxton Berrios.

– O ataque terrestre dos Jets produziu 131 jardas. E a defesa limitou os Browns a 299 jardas totais. Mas, não, Adam Gase não vai salvar seu emprego por causa dessas duas vitórias seguidas. Se bem que é o NY Jets, então não arrisco cravar nada…

Baltimore Ravens (10-5) 27 x 13 New York Giants (5-10)

por Bruno Bataglin

– O Baltimore Ravens conseguiu o que precisava, bateu o New York Giants sem sustos e controla seu próprio destino na semana 17 para se classificar aos playoffs.

– Uma apresentação ótima na primeira metade de jogo foi o que pesou a favor dos Ravens. O quarterback Lamar Jackson (17/26, 183 jardas e dois TDs, além de 13 corridas para 80 jardas) comandou duas campanhas para TD no começo do jogo e mais duas que resultaram em field goals logo na sequência. E esse começo avassalador encaminhou a vida dos Ravens. Jackson perdeu um fumble na reta final, mas não fez diferença.

– O forte ataque terrestre de Baltimore mais uma vez funcionou, com 249 jardas totais e um TD de J.K. Dobbins (11 corridas para 77 jardas). Gus Edwards (15 corridas para 85 jardas) foi o melhor pelo chão.

– Do lado dos Giants, pouco a se destacar além do fato de que o time está MUITO longe agora de brigar por playoffs. O quarterback Daniel Jones (24/41, 252 jardas e um TD) fez uma partida razoável, mas sofreu seis sacks para uma perda de 37 jardas e foi pressionado o tempo inteiro. Vida difícil.

E mais resultados…

Kansas City Chiefs (14-1) 17 x 14 Atlanta Falcons (4-11)

Jacksonville Jaguars (1-14) 17 x 41 Chicago Bears (8-7)

Houston Texans (4-11) 31 x 37 Cincinnati Bengals (4-10-1)

Sabadão de NFL – Ah, os Lions + Cardinals péssimos e… MILAGRE EM LAS VEGAS!

Las Vegas Raiders (7-8) 25 x 26 Miami Dolphins (10-5)

por Bruno Bataglin

– Primeiramente, vou tentar explicar esse jogo no Allegiant Stadium com um tweet que postei durante a partida no nosso perfil oficial @quintoquartobr:

– Foi isso. Uma das vitórias mais improváveis da história da National Football League. Sem exageros. Vou (tentar) contar como foi o último quarto, porque é o que realmente importa nessa partida.

– Com 4min05s restando no período final, o Miami Dolphins empatou com um field goal de 22 jardas de Jason Sanders (16 a 16). Mas, segundos depois, o Las Vegas Raiders anotou um TD em uma conexão de OITENTA E CINCO JARDAS de Derek Carr (21/34, 336 jardas e um TD, além de um TD corrido) com Nelson Agholor. O extra point de Daniel Carlson, contudo, não foi bom e o placar foi para 22 a 16.

– Também poucos segundos depois, e já com Ryan Fitzpatrick (9/13, 182 jardas e um TD) em campo, depois de Tua Tagovailoa (17/22, 94 jardas e um TD) ser substituído, os Dolphins anotaram um TD de 59 jardas em conexão de Fitz com Myles Gaskin. O extra point de Sanders foi bom e os Dolphins ficaram em vantagem de 23 a 22 com 2min55s restando.

– Duas jogadas mais tarde, aconteceu um lance que poderia ter definido a partida. A arbitragem marcou uma falta de interferência no passe de Byron Jones em cima de Agholor. TOTALMENTE QUESTIONÁVEL (na verdade, não foi falta, sendo sincero). Isso rendeu um avanço de 49 jardas aos Raiders, que então foram para a linha de 22 do campo de ataque.

– Então, Las Vegas queimou o cronômetro, evitando entrar na end zone, e acertou um field goal de 22 jardas com Carlson para virar a partida para 25 a 23 com 19s restando. Então, veio o milagre…

– … que apenas um cara com apelido de FitzMagic consegue. Com Arden Key virando sua cabeça quase em 180 graus (à lá O Exorcista) segurando na máscara do capacete, Fitzpatrick acertou um passe de 34 jardas para Mack Hollins (que, aliás, vinha dropando tudo o que dava até então). Isso, mais a falta de 15 jardas pela facemask de Key, levou Miami até a linha de 26 do campo de ataque com 12s restantes. Passe incompleto na sequência para queimar relógio e…

– … um field goal de 44 jardas de Sanders para garantir a vitória ÉPICA dos Dolphins por 26 a 25.

– O ataque dos Dolphins com Tagovailoa teve sua produtividade bem limitada, para dizer o mínimo. E Brian Flores resolveu mandar Fitzpatrick a campo na hora de resolver. Ele resolveu e é isso o que vai ser lembrado. Mas e quando o calouro dos Dolphins precisar decidir, o que vai ser dele? Fica o questionamento…

– Os Raiders estão eliminados da briga por playoffs e com merecimento. VAI GOSTAR DE ENTREGAR ASSIM NAQUELE LUGAR. JESUS! ESSE TIME TEM QUE FALIR! Foram cinco derrotas nos últimos seis jogos e, assim, a equipe ficará fora dos playoffs pela 17ª vez em 18 temporadas.

– Olha qual era a chance de vitória dos Raiders depois do field goal faltando 19s…

– Absurdos à parte, o destaque individual dos Dolphins foi Gaskin (com 14 corridas para 87 jardas e cinco recepções para 82 jardas e dois TDs). E, pelos Raiders, Agholor (cinco recepções para 155 jardas e um TD) e o tight end Darren Waller (cinco recepções para 112 jardas) foram os melhores.

– Apesar das 418 jardas totais cedidas, a defesa dos Dolphins, muito sólida em 2020, foi o que manteve o time dentro da partida. Mesmo com o ataque limitado, o sistema evitou que os Raiders anotassem mais TDs. Isso pesou (e muito) no resultado final.

– Enquanto isso, Miami segue sonhando com playoffs. Basta uma vitória na semana 17 sobre o Buffalo Bills para carimbar o passaporte para jogar na pós-temporada. Milagre!

Arizona Cardinals (8-7) 12 x 20 San Francisco 49ers (6-9)

por Bruno Bataglin

– Esta foi uma das atuações mais fracas do Arizona Cardinals na temporada, certamente. Vou falar a verdade: acho esse time bem cru, ainda que veja muitas perspectivas para o futuro com o head coach Kliff Kingsbury. Mas hoje não deu.

– Palmas para o San Francisco 49ers, que mesmo dizimado por lesões em 2020 e entrando em campo com seu terceiro quarterback como titular, conseguiu ser competitivo e vem mostrando muito brio.

– Vamos falar dos Cards. Ofensivamente, não deu quase nada certo. Apesar das 350 jardas totais, a equipe cometeu muitos erros. O quarterback Kyler Murray (31/50, 247 jardas e uma interceptação) sofreu o turnover em um momento crucial, quando tinha a chance de empatar a partida. E foi na red zone, com o passe horroroso caindo nas mãos de Ahkello Witherspoon. Murray foi melhor correndo com a bola, com oito carregadas para 75 jardas.

– No restante do ataque de Arizona, o wide receiver Christian Kirk (sete recepções para 76 jardas) fez a sua parte, mas o tight end Dan Arnold (três recepções para 25 jardas) teve uma apresentação desastrosa, ‘dropando’ alguns passes e ainda sofrendo um fumble.

– Do lado dos Niners, só posso tirar o chapéu para o quarterback C.J. Beathard (13/22, 182 jardas e três touchdowns). E ainda mais para o running back Jeff Wilson Jr., que teve a melhor atuação de sua carreira com 22 corridas para 183 jardas, ainda recebendo para um TD de 21 jardas. Pelo ar, o tight end George Kittle (quatro recepções para 92 jardas) voltou de lesão e registrou bons números.

– A defesa comandada pelo coordenador defensivo Robert Saleh foi INTENSA (assim como a postura do treinador na sideline). Foram três sacks em cima de Murray e muita pressão. O linebacker Fred Warner foi o maior destaque, com 14 tackles totais e três passes desviados, incluindo um que evitou uma conversão de quarta descida dos Cardinals.

– Mas nem tudo foram flores para os Niners. O time da Califórnia poderia ter aberto uma vantagem maior se não fosse por Robbie Gould. O lendário kicker teve uma partida para se esquecer, errando dois field goals, incluindo um que mataria o jogo no final, e um extra point. Ou seja, sete pontos a menos.

– Foi por esses erros que os Cards ainda tiveram uma campanha ofensiva final com pouco menos de um minuto. Mas a falta de tempo pesou e nada feito. A partida ainda terminou com Murray tomando uma bela de uma pancada e lançando um passe incompleto para Hopkins que selou a derrota. Este final foi o resumo da noite de sábado de Arizona.

– Com o resultado, os Cardinals ainda não estão matematicamente eliminados da briga por playoffs, mas não controlam mais seu próprio destino.

Detroit Lions (5-10) 7 x 47 Tampa Bay Buccaneers (10-5)

por Miguel Amado

– Eu e o Bruno não estamos muito empolgados com os Buccaneers, mas tem que elogiar quando merece: o rival era uma baba? Sim, mas o time de Tom Brady foi lá e fez o necessário que é destruir e pisotear o coitado do Detroit Lions. Com Matt Stafford já não seria fácil para os mandantes e com ele se lesionando logo de cara, pior ainda.

– Tom Brady fez o que quis com a secundária rival, com apenas cinco passes errados, 348 jardas e 4 passes para TD. Detalhe: ele nem voltou a campo depois do intervalo, com o genial Blaine Gabbert entrando para encher o box score com 2 TDs e 133 jardas. Os Bucs voltam aos playoffs, onde não apareciam desde 2007.

– Mike Evans e Rob Gronkowski tiveram dois TDs cada e Chris Goodwin e Antonio Brown complementaram na festa pelo alto. Leonard Fournette teve um TD corrido. A defesa dos Bucs forçou uma interceptação e um fumble e não levou pontos, com os sete dos Lions vindo de um retorno de punt. Chase Daniel foi mal e David Blough idem. Cinco QBs, um time zerado no ataque, Tom Brady jogando meio jogo apenas… Que partida amigos…

PS: nossa aposta de over 53 pontos foi boa também. Bateu por pouco, mas tá lá. Estamos perfeitos por enquanto na semana.

Friday Night Football de Natal – New Orleans Saints (11-4) 52 x 33 Minnesota Vikings (6-9)

por Bruno Bataglin

– Resumo da partida de Natal que abriu a semana 16 da temporada 2020 da NFL: teve Kamara, mais um pouco de Alvin e uma boa dose de Alvin Kamara. O running back do New Orleans Saints só não fez chover porque o Mercedes-Benz Superdome é um estádio fechado.

– Com a vitória, os Saints garantem o título da divisão NFC South pela quarta vez consecutiva, independentemente do resultado do Tampa Bay Buccaneers contra o Detroit Lions, neste sábado (26). Já os Vikings estão matematicamente eliminados da briga por uma vaga nos playoffs.

– SEIS TOUCHDOWNS CORRIDOS. Alvin Kamara correu para 155 jardas e anotou seis TDs pelo chão, igualando o recorde de Ernie Nevers, do Chicago Cardinals, que conseguiu esse feito em 1929, em uma vitória sobre os Bears. Nevers é Hall of Famer.

– Kamara ainda fez três recepções para 17 jardas. E ainda teve um touchdown corrido do faz-tudo Taysom Hill.

– Pelo ar, o quarterback Drew Brees não teve bons números. Ele até foi bem nos passes, com 19 completos de 26 para 311 jardas, mas sofreu duas interceptações. O tight end Jared Cook (três recepções para 82 jardas) e o wide receiver Emmanuel Sanders (quatro recepções para 83 jardas) foram os melhores amigos de Brees agarrando passes.

– Apesar disso, Brees se tornou o primeiro jogador da história da National Football League a superar as 80 mil jardas de passe. INCRÍVEL!

– Do lado dos Vikings, a defesa foi péssima (AH VÁ!), cedendo 583 jardas totais aos Saints, sendo 267 corridas. Mas, no ataque, o quarterback Kirk Cousins não foi mal individualmente (27/41, 291 jardas e três TDs). Pelo chão, o running back Dalvin Cook teve atuação discreta, com 15 corridas para 73 jardas e um TD.

– Entre os recebedores dos Vikings, o wide receiver Adam Thielen (oito recepções para 97 jardas e um TD) e o tight end Irv Smith Jr. (seis recepções para 53 jardas e dois TDs) foram os melhores.

PS: nossa primeira aposta da semana, de Saints -6,5, entrou com tranquilidade. Fui bem na primeira. Vamos adiante…

Para iniciar as atividades, o Quinto Quarto Expresso #222…

Comments
NFL, NBA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: [email protected]
Copyright © 2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18


Jogue com responsabilidade


Copyright © 2015 The Mag Theme. Theme by MVP Themes, powered by Wordpress.

To Top