NFL

Scramble: o que rolou na semana 15 da temporada 2020 da NFL

Giovani Bernard, running back do Cincinnati Bengals

Meio de dezembro e a semana 15 da temporada regular 2020 da NFL está entre nós. Aqui no Quinto Quarto, você acompanha tudo o que rolou nas partidas, mas tudo concentrado em um só lugar: o nosso tradicional Scramble.

Se quer conferir nossas análises breves dos confrontos e os resultados ao redor da National Football League, só conferir neste texto.

Aqui, Bruno Bataglin, editor de NFL do QQ, e Miguel Amado, apresentador do Quinto Quarto Expresso, dividem suas energias para escrever as análises das partidas e os resultados. Tudo isso com o tempero de bom humor que a gente sempre tem.

Sem mais enrolação, vamos falar sobre toda a ação da semana 15 da temporada 2020 da NFL…

Monday Night Football – Cincinnati Bengals (3-10-1) 27 x 17 Pittsburgh Steelers (11-3)

por Bruno Bataglin

– O Pittsburgh Steelers estava invicto até a semana 12. Desde então, foram três derrotas consecutivas. E talvez a mais absurda delas tenha sido a deste Monday Night Football que fechou a semana 15.

– SIM, OS BENGALS APRONTARAM MESMO!

– Com uma atuação defensiva muito sólida e uma produção ofensiva que acabou sendo mais do que suficiente, a equipe de Ohio, uma das piores da National Football League neste ano, aprontou para cima do seu rival da AFC North.

– A defesa dos Bengals foi INTENSA, com nomes como Josh Bynes, Vonn Bell, Mackensie Alexander e Darius Phillips sendo alguns dos principais nomes. Não teve vida fácil para o ataque dos Steelers.

– Já o ataque liderado por Ryan Finley (7/13, 89 jardas e um TD) fez o que precisou. O quarterback ainda correu para 47 jardas totais, anotando um belo TD de 23 jardas. No mais, o running back Giovani Bernard (83 jardas e um TD, além de uma recepção para TD de 14 jardas) fez o resto. Destaque ofensivo do time certamente.

– Os Steelers produziram apenas 244 jardas ofensivas e cometeram três turnovers, sendo dois fumbles e uma interceptação ridícula lançada por Ben Roethlisberger. Aliás, Big Ben ultrapassou as 60 mil jardas lançadas na carreira nesta partida e justamente em uma das atuações mais fracas de sua carreira: 20/38, 170 jardas, um TD e a INT.

– O ataque terrestre de Pittsburgh, sempre tão pobre, apareceu um pouco no segundo tempo com Benny Snell, que correu 18 vezes para 84 jardas e um TD. Pelo ar, Diontae Johnson foi o melhor amigo de Big Ben: oito recepções para 59 jardas e um TD.

– Com uma derrota dessas, os Steelers já se veem ameaçados por times como o Buffalo Bills na briga pela campanha número 2 da AFC. Já os Bengals, que não brigam mais por nada, sentem o gostinho de colocar água no chopp de um grande rival.

Sunday Night Football – New York Giants (5-9) 6 x 20 Cleveland Browns (10-4)

por Bruno Bataglin

– Foi um Sunday Night Football bem morno, precisamos confessar. Mas o Cleveland Browns fez o suficiente para levar a vitória para casa e chegar à décima na temporada. O time de Ohio está muito próximo dos playoffs e de encerrar um jejum de 17 anos sem classificações à pós-temporada.

– Já o New York Giants desperdiçou a chance de assumir a liderança da NFC East, mas segue com chances de vencer a divisão. Porém, Washington e Dallas Cowboys estão na frente e, portanto, levam vantagem.

– O que vimos no MetLife Stadium foi mais uma atuação sólida do quarterback Baker Mayfield (27/32, 297 jardas e dois touchdowns), que teve um passer rating ótimo de 126.2. O camisa 6 comandou dois drives de 95 jardas que foram até a end zone, transformando o Cleveland Browns na primeira equipe a ter duas campanhas de 95 jardas que resultaram em TD em 2020.

– O ataque terrestre dos Browns não brilhou como das outras vezes, mas não fez feio, produzindo 106 jardas pelo chão. Nick Chubb mais uma vez foi o melhor neste sentido, com 15 corridas para 50 jardas e um TD.

– Do lado dos Giants, o quarterback reserva Colt McCoy (19/31 para 221 jardas), titular no lugar do lesionado Daniel Jones, não encantou. Foi uma apresentação de mais baixos do que altos, apesar de nada de turnovers. E tudo o que ele conseguiu produzir foram duas campanhas que terminaram em field goals (37 e 39 jardas) de Graham Gano, na primeira e na última pontuação da partida.

– A coisa mais divertida que os Giants fizeram na partida foi logo na primeira campanha. Depois de chegar até a linha de oito jardas e McCoy errar um passe para Evan Engram na end zone, a unidade de field goal entrou em campo, mas o que vimos foi um fake. O holder Riley Dixon lançou a bola na end zone na quarta descida, mas o passe para o center Nick Gates foi incompleto. Turnover on downs, mas valeu pelo arrojo.

Domingão de NFL – Pera aí, o que aconteceu?

Los Angeles Rams (9-5) 20 x 23 New York Jets (1-13)

por Miguel Amado

– Perder no Super Bowl fazendo apenas três pontos, derrota nos playoffs, não se classificar para a pós-temporada, nada disso chega perto da humilhação que os Rams passaram hoje, sem dúvidas a pior da era Sean McVay. O New York Jets foi melhor do que eles.

– O ataque dos Rams teve apenas 97 jardas no primeiro tempo e o placar chegou a mostrar 20 a 3 antes de uma reação dos Rams que todo mundo, – inclusive alguns jogadores dos Jets – pensava que terminaria em vitória. Mas nada: em uma quarta para quatro na linha de 37 do ataque, faltando quatro minutos, os Rams não conseguiram converter.

– Só que a vitória tem gosto totalmente amargo para a franquia de Nova York porque agora a pior campanha é dos Jaguars, que também tem apenas uma vitória, mas jogou contra adversários piores e esse é o desempate. O torcedor dos Rams já vai lembrar deste 20 de dezembro por um bom tempo. O dos Jets pode lembrar dele para sempre por ter perdido Trevor Lawrence.

Kansas City Chiefs (12-1) 32 x 29 New Orleans Saints (10-3)

por Miguel Amado

– O jogo entre Chiefs e Saints entregou 61 pontos e duas performances boas de Patrick Mahomes e Drew Brees, este que começou completamente enferrujado e errou seus primeiros seis passes, algo que nunca aconteceu antes em sua carreira. Entretanto os Chiefs não aproveitaram tanto e no intervalo o jogo estava 14 a 9.

– O 9 não veio de três field goals. Um punt nos últimos segundos teve uma tentativa horrorosa de retorno com o retornador sofrendo um fumble mas Alex Anzalone não conseguiu segurar a bola na end zone para o TD. Com o safety pelo menos foram dois pontos de lucro.

 

– Se não foi espetacular, foi constante e Le’Veon Bell teve seu melhor jogo na equipe, com 62 jardas em 15 carregadas e um TD no último quarto para abrir 15 pontos de vantagem.


– Os Saints tiveram ainda dois TDs enquanto os Chiefs apenas um field goal para deixar o jogo mais próximo, mas com a bola de volta após o touchdown final de New Orleans e 2:06 no relógio, a equipe de Andy Reid conseguiu dois first downs e matou a partida.

Outro resultado…

Arizona Cardinals (8-6) 33 x 26 Philadelphia Eagles (4-9-1)

Domingão de NFL – Jogos das 15h

Atlanta Falcons (4-10) 27 x 31 Tampa Bay Buccaneers (9-5)

por Bruno Bataglin

– É difícil encontrar um time que sofre mais apagões na NFL do que o Atlanta Falcons. OK, o Los Angeles Chargers briga forte lá, mas os Falcons são ainda piores. O time foi para o intervalo ganhando por 17 a 0 e conseguiu tomar um 31 a 10 nos dois últimos quartos para perder por 31 a 27. Impressionante.

– Os Buccaneers jogaram de maneira totalmente desligada na primeira metade de jogo. Mas a conversa no vestiário surtiu efeito. Tanto que, um ataque que viu todas as suas campanhas nos dois quartos iniciais terminarem em punt, mudou totalmente. Foram quatro TDs e um field goal na metade final.

– O quarterback Tom Brady (31/45, 390 jardas e dois touchdowns) se recuperou e terminou com bons números. E ele foi auxiliado sobretudo por Mike Evans (seis recepções para 110 jardas) e Antonio Brown (cinco recepções para 93 jardas e um TD – seu primeiro com a camisa dos Bucs).

– Pelo chão, Leonard Fournette produziu 49 das 51 jardas terrestres de Tampa Bay na partida. E foi Fournette que anotou dois TDs.

– Pelos Falcons, o quarterback Matt Ryan (34/49, 356 jardas e três touchdowns) teve bons números, mas foi muito pressionado na segunda metade de jogo pela defesa dos Bucs, que entrou na partida na reta final. Ele sofreu três sacks.

– O ataque terrestre de Atlanta foi inexistente, com apenas 37 jardas somadas. Ito Smith correu apenas seis vezes para 24 jardas.

– O destaque individual de Atlanta foi o wide receiver Calvin Ridley, responsável por dez recepções para 163 jardas e um TD.

PS: uma PENA nossa aposta de Bucs -6 não ter entrado por tão pouco. Tampa Bay entrou em um buraco grande demais e ficou difícil ganhar por um TD com extra point de diferença. Mas valeu MESMO! Sigamos….

Miami Dolphins (9-5) 22 x 12 New England Patriots (6-8)

por Bruno Bataglin

– O Miami Dolphins matou o Jason. Agora podemos dizer: New England Patriots eliminado da briga por playoffs, matematicamente…

– Duelos dentro de divisão são sempre traiçoeiros. Mas, por duas décadas, os Patriots dominaram a AFC East. Agora, o time de Bill Belichick está com 2-2 dentro da divisão. Os tempos mudaram em Foxborough.

– Primeiramente, devemos aplaudir de pé o desempenho do ataque terrestre dos Dolphins. Foram 250 jardas totais. O calouro não-draftado Salvon Ahmed correu 23 vezes para 122 jardas e um TD, e Matt Breida adicionou mais 86 jardas terrestres. Assim, a duplinha do barulho combinou para 208 jardas corridas. E o quarterback Tua Tagovailoa adicionou nove jardas e dois TDs corridos.

– Por falar em Tagovailoa, o calouro jogou mal como passador, acertando 20 passes de 26 para 145 jardas e uma interceptação. Mais uma partida bem inconsistente do jogador selecionado com a quinta escolha geral do Draft NFL 2020.

– Tivemos mais uma partida muito fraca da defesa dos Patriots, que cansou de tomar jardas corridas e só conseguiu limitar Miami pelo ar, forçando uma interceptação com J.C. Jackson.

– No ataque, Cam Newton não cometeu turnovers, mas foi bem mais ou menos: ele acertou 17 passes de 27 para 209 jardas e correu nove vezes para 38 jardas.

– O kicker Nick Folk foi o responsável por todos os 12 pontos dos Patriots, com quatro field goals convertidos.

Washington Football Team (6-8) 15 x 20 Seattle Seahawks (10-4)

por Bruno Bataglin

– Foi mais uma partida mambembe do Seattle Seahawks. Mas Russell Wilson e companhia fizeram apenas o suficiente para construir uma vantagem, garantir a décima vitória na temporada e, consequentemente, uma vaga nos playoffs.

– Os Seahawks abriram 13 a 0 e tomaram um field goal antes do intervalo. Mas, no terceiro quarto, uma corrida para touchdown de 50 jardas de Carlos Hyde trouxe a diferença para 20 a 3. A defesa dos Seahawks também colaborou bastante, forçando duas interceptações de Dwayne Haskins e aplicando quatro sacks em cima do QB de Washington.

– O ataque terrestre de Seattle pesou bastante a favor do time. Foram 26 corridas para 181 jardas e o TD de Hyde.

– Sem Alex Smith, afastado por lesão, Washington voltou a sofreu ofensivamente com Haskins (38/55, 295 jardas, um TD e duas interceptações). Quem diria que Smith, depois de tudo o que sofreu, seria a solução.

E mais resultados…

Tennessee Titans (10-4) 46 x 25 Detroit Lions (5-9)

Minnesota Vikings (6-8) 27 x 33 Chicago Bears (7-7)

Indianapolis Colts (10-4) 27 x 20 Houston Texans (4-10)

Baltimore Ravens (9-5) 40 x 14 Jacksonville Jaguars (1-13)

Dallas Cowboys (5-9) 41 x 33 San Francisco 49ers (5-9)

Sabadão – Rodada Dupla

Green Bay Packers (11-3) 24 x 16 Carolina Panthers (4-10)

por Miguel Amado

– Os Packers não vão querer perder a melhor campanha da NFC e o único bye na conferência depois da mudança dos playoffs. E com a quarta vitória seguida, esse domínio se mantém, mesmo que os Saints vençam seu duelo contra os Chiefs. O time do Wisconsin abriu 21 a 3 antes do intervalo e depois não precisou fazer muito para segurar a vantagem e vencer.

– Aaron Rodgers teve um TD corrido e chegou a 40 TDs de passe, o primeiro jogador na história a conseguir essa marca em três temporadas diferentes. Aaron Jones, com 158 jardas totais e um TD, foi mais uma vez destaque.

– Os Panthers até tiveram a chance de empatar, mas chegaram na linha de 26 antes de ter um turnover on downs. Essa foi apenas uma das chances da equipe, que viu Teddy Bridgewater tentar se esticar para um touchdown na end zone e sofrer um fumble quando o jogo estava 14 a 3. O time perdeu oito das últimas nove partidas em um ano de reconstrução.

Denver Broncos (5-9) 19 x 48 Buffalo Bills (11-3)

por Bruno Bataglin

– O Buffalo Bills não deu A MENOR chance para o Denver Broncos. Dominante no início ao fim, mesmo jogando na altitude do Empower Field at Mile High, os visitantes fizeram a festa no Colorado e garantiram o título da divisão AFC East pela primeira vez desde 1995. Consequentemente, os Bills estão na pós-temporada.

– Se alguém ainda duvida da qualidade do trabalho de Sean McDermott no comando dos Bills, hoje foi uma resposta e tanto. Em 2017, no primeiro ano dele no cargo de head coach, ele classificou o time aos playoffs pela primeira vez desde 1999. Agora, mais um jejum incômodo que chegou ao fim.

– O time inteiro dos Bills jogou muito bem, mas preciso destacar dois MONSTROS em especial. O quarterback Josh Allen (28/40, 259 jardas e dois touchdowns, além de 33 jardas corridas e mais dois TDs) mostrou por que seria o MVP da NFL em 2020 se não existisse Patrick Mahomes e Aaron Rodgers. E o wide receiver Stefon Diggs deu mais uma mostra do porquê ele é o grande recebedor da NFL nesta temporada (11 recepções para 147 jardas).

– O wide receiver Cole Beasley (oito recepções para 112 jardas) também foi bem pelos Bills. E, quando tudo estava decidido nos minutos finais, o running back Devin Singletary ainda adicionou um TD terrestre de 51 jardas para fechar com 68 jardas corridas, além de mais 16 recebidas.

– A defesa de Buffalo também compareceu, inclusive anotando um TD em fumble forçado pelo excelente cornerback Tre’Davious White e retornado até a end zone pelo defensive end Jerry Hughes.

– Já os Broncos e sua forte defesa sucumbiram a um dos times mais ‘quentes’ da Conferência Americana (AFC). Os donos da casa cederam 534 jardas totais, sendo 352 aéreas e mais 182 terrestres.

– Depois de uma boa apresentação na semana 14, durante a vitória por 32 a 27 sobre o Carolina Panthers, o ataque dos Broncos foi horrível. Foram apenas 255 jardas totais, sendo somente 115 aéreas. O quarterback Drew Lock (20/32, 132 jardas e um TD) teve números modestos. Um dos poucos destaques foi o running back Melvin Gordon, com 61 jardas terrestres e dois TDs. O tight end Noah Fant (oito recepções para 68 jardas e um TD) foi o melhor recebendo passes de Lock.

– Os Bills abusaram das faltas, sobretudo ofensivas, somando oito penalidades que renderam uma perda total de 85 jardas. Nessa partida não fez falta, mas Sean McDermott certamente vai ter que corrigir esse problema.

PS: nossa aposta de Bills -5 entrou fácil, fácil. Iniciamos bem nas apostas do post da semana.

Thursday Night Football – Las Vegas Raiders x Los Angeles Chargers

por Bruno Bataglin

– Sinceramente, foi aquele jogo que NINGUÉM quis ganhar. Os dois times fizeram de TUDO para entregar. Tanto que foi até para a prorrogação. Pensando bem, era melhor ter tirado um cara ou coroa e todo mundo estaria descansando em casa mais cedo para a semana 16…

– O último quarto e a prorrogação foram o resumo dessa partida. Os Raiders empataram o jogo em 24 a 24 a 6min16s do final, em um touchdown de Marcus Mariota, que entrou no lugar de Derek Carr ainda no primeiro quarto depois de o titular lesionar a virilha. E os seis minutos finais do tempo regulamentar ainda tiveram: field goal de 47 jardas perdido por Michael Badgley, interceptação de Mariota, field goal de 51 jardas perdido novamente pelo kicker dos Chargers e fumble do holder em uma formação de field goal dos Raiders. Quando eu falo que NINGUÉM queria ganhar, vocês não acreditam…

– O tempo extra começou com uma boa campanha ofensiva de Las Vegas, mas o drive parou na linha de cinco jardas e foi finalizado com field goal de 23 jardas de Daniel Carlson (27 a 24 para os Raiders). Ainda restavam 3min22s no relógio.

– Justin Herbert novamente mostrou por que é o Calouro Ofensivo do Ano e conseguiu avançar campo abaixo como um raio, incluindo um passe maravilhoso para ganho de 53 jardas conectado com Jalen Guyton. Mas Los Angeles SOFREU para finalizar a campanha em situação de goal, contou com uma falta CONTESTÁVEL marcada pela arbitragem contra Nick Kwiatkoski, foi até a linha de uma jarda e ainda precisou de três jogadas (com direito a um fumble de gelar a espinha) para o próprio Herbert entrar na end zone e marcar o TD que matou o jogo: 30 a 24.

– Herbert (22/32, 314 jardas e dois TDs, além do TD corrido para a vitória) teve mais uma partida de gente grande e ele ainda está no seu primeiro ano na liga. Do lado dos Raiders, Mariota (17/28, 226 jardas, um TD e uma INT, além de 88 jardas corridas e um TD) foi uma grata surpresa. Talvez o ex-Titans tenha gerado algum interesse ao redor da liga para 2021.

– Contudo, o destaque dos Raiders não foi Mariota e, sim, o tight end Darren Waller, que fez nove recepções para 150 jardas e um touchdown. Monstruoso o camisa 83. Las Vegas também produziu 173 jardas terrestres (88 de Mariota, como dissemos, e 76 de Josh Jacobs, que também deixou seu TD corrido).

– Inegavelmente, foi um TNF recheado de emoção e um dos mais legais da temporada 2020. Mas a vontade dessas duas equipes de não ganhar até deixou a partida com cara de ‘pelada’ em alguns momentos no Allegiant Stadium. Vai querer entregar assim lá no iFood!

– Se Michael Badgley quiser fazer um perfil no Catho, não seria má ideia…

PS: como já era esperado, erramos mais uma aposta no TNF. Raiders -2,5 não rolou (#semnews).

Para iniciar as atividades, o Quinto Quarto Expresso #221…

Comments
To Top