NFL

Scramble finais de conferência da NFL: com show de Mostert, 49ers vencem Packers e encaram Chiefs no Super Bowl LIV

raheem mostert san francisco 49ers

Chegamos nas finais de Conferência da temporada 2019 da NFL. Sim, eu sei que já estamos em 2020. Dois joguinhos e no final deste domingo saberemos quem estará no Super Bowl LIV no dia 2 de fevereiro.

Você quer saber nossos palpites, opiniões, comentários e informações esdrúxulas antes de ver os jogos ou até vendo eles? Muito obrigado! Aqui está.

Perdeu a final da Conferência Nacional (NFC)? Tudo bem, nós te ajudamos…

Por Miguel Amado

San Francisco 49ers (13-3) 37 x 20 Green Bay Packers (13-3)

– As duas primeiras campanhas foram paradas pelas defesas. Depois disso, uma defesa continuou no ritmo 100 e a outra não soube parar Raheem Mostert. O running back dos 49ers teve um jogo histórico. O mais histórico possível aliás.

 

– Mostert terminou com 220 jardas em 29 carregadas e 4 TDs em um show da linha ofensiva dos Niners, bloqueando os defensores dos Packers para fora do estádio basicamente. E, assim como no jogo da temporada regular, a bola de neve só foi aumentando: teve fumble no snap dos Packers no campo de ataque, interceptação de Aaron Rodgers no campo de defesa, tropeções de special teams e mais.

 


– Os Niners abriram 27 a 0 no intervalo e se comprometeram a jogar de forma segura e ordenhar o relógio. Tanto que Jimmy Garoppolo teve apenas oito passes no jogo, para 77 jardas, um número que parece tirado dos box scores dos anos 40.

– Rodgers (31 de 39, 326 jardas, 2 TDs e 2 INTs) teve alguns lances interessantes, como uma bomba de 65 jardas para Davante Adams em uma campanha que acabou com TD. Mas a diferença já era grande demais para reverter e a jogada final para Green Bay foi um passe desesperado que terminou com interceptação de Richard Sherman.

Perdeu a final da Conferência Americana (AFC)? Vacilou! Mas a gente conta como foi…

Kansas City Chiefs (12-4) 35 x 24 Tennessee Titans (9-7)

Por Bruno Bataglin

– Pela primeira vez em 50 anos, o Kansas City Chiefs está de volta ao Super Bowl. O time não chegava à decisão da National Football League desde a temporada 1969. Mas, com Patrick Mahomes e companhia, a equipe está classificada para o Super Bowl LIV.

– E, para carimbar o passaporte para Miami, a equipe teve que reagir novamente. O time chegou a estar perdendo no primeiro quarto por 10 a 0, depois por 17 a 7. Mas, assim como no duelo contra o Houston Texans, os comandados de Andy Reid entraram nos trilhos e controlaram o restante da partida.

– Mahomez fez de tudo. O genial quarterback dos Chiefs fechou a partida com 23 passes certos de 35 para 294 jardas e três touchdowns (passer rating de 120.4). Além disso, ele anotou um TD terrestre MARAVILHOSO no final do segundo quarto e, de quebra, fechou como o melhor corredor da franquia do Missouri (oito corridas para 53 jardas).

– Outros destaques dos Chiefs foram os wide receivers Sammy Watkins (sete recepções para 114 jardas e um TD) e Tyreek Hill (cinco recepções para 67 jardas e dois TDs) e, do lado defensivo, o defensive end Tanoh Kpassagnon, responsável por dois dos três sacks em cima de Ryan Tannehill.

– Os Titans de Tannehill, aliás, fizeram mais uma partida valente. O time incomodou os Chiefs, sobretudo no primeiro tempo, e Mike Vrabel demonstrou mais uma vez porque é um tremendo de um técnico. Mas os Chiefs simplesmente são um time melhor. Ponto.

– Tannehill acertou 21 passes de 31 para 209 jardas e dois touchdowns (passer rating de 108.1) e uma das conexões para TD foi para o offensive lineman Dennis Kelly. Sim, teve TD dos grandalhões na partida.

– O running back Derrick Henry não foi nem sombra do jogador dos dois primeiros jogos dos Titans nos playoffs, por mérito da defesa dos Chiefs, e correu 19 vezes para apenas 69 jardas e um TD.

– A posse de bola mostra um pouco do equilíbrio de boa parte da partida (29min50s dos Chiefs contra 30min10s dos Titans). Mas os Chiefs estavam realmente naquele dia inspirado.

– Os Chiefs levam o Troféu Lamar Hunt de campeão da AFC. Curiosamente, isso é ainda mais emblemático porque o falecido Hunt é pai de Clark Hunt, proprietário dos Chiefs. O troféu é uma homenagem ainda mais linda por isso.

Comments
To Top