NFL

San Francisco 49ers: a trajetória da semana 1 até o Super Bowl LIV

Jimmy Garoppolo, quarterback do San Francisco 49ers

Depois de perder o Super Bowl na temporada 2012, o San Francisco 49ers está de volta à grande decisão da NFL. Agora, o adversário da vez será o Kansas City Chiefs, no Super Bowl LIV.

Relembre a trajetória dos Chiefs até o Super Bowl LIV

Os Niners, donos de cinco Super Bowls na história, tentam conquistar seu primeiro Troféu Vince Lombardi desde a temporada 1994 da NFL.

Que tal relembrar a caminhada do time desde a semana 1 da temporada 2019 até se garantir na decisão deste próximo domingo (2)?

É por isso que o Quinto Quarto preparou para você um rápido recap desta última temporada da franquia da Califórnia…

Primeira metade de temporada avassaladora

Pense em um time que começou o ano voando e deixou todo mundo tipo: “esses são mesmo os Niners?”.

Nas três primeiras semanas, três vitórias sobre Tampa Bay Buccaneers (31 a 17), Cincinnati Bengals (41 a 17) e Pittsburgh Steelers (24 a 20). A bye week veio na semana 4.

Confira o maravilhoso Dois Homens em Conflito e inscreva-se no nosso canal

A folga fez muito bem e foram mais cinco triunfos consecutivos: Cleveland Browns (31 a 3), Los Angeles Rams (20 a 7), Washington Redskins (9 a 0, que horror), Carolina Panthers (51 a 13) e Arizona Cardinals (28 a 25).

Contra os Browns, o quarterback Jimmy Garoppolo teve uma partida muito segura, conectando 20 passes de 29 para 181 jardas e dois touchdowns. Mas o que brilhou mesmo foi o ataque terrestre, que produziu absurdas 275 jardas e dois TDs em 40 carregadas.

Matt Breida correu 11 vezes para 114 jardas e um TD, e Tevin Coleman foi o segundo mais produtivo neste quesito, com 16 corridas para 97 jardas e um TD.

A defesa dos Niners dominou o quarterback Baker Mayfield, cedendo apenas oito passes completos em 22 para 100 jardas e duas interceptações.

A vitória sobre os Panthers também foi avassaladora. E Coleman novamente foi o nome da vez.

O running back correu 11 vezes para 105 jardas e três TDs, ainda fazendo duas recepções para 13 jardas e um TD. Quatro TDs e vitória fácil dos Niners, que também dominaram defensivamente e limitaram o quarterback Kyle Allen aos seguintes números: 19/37, 158 jardas e três INTs.

Uma derrota dolorosa na semana 10

Após um início de ano com 8-0, veio a primeira derrota na semana 10. E para um rival da divisão NFC West.

Foi um Monday Night Football espetacular contra o Seattle Seahawks, com direito a prorrogação no Levi’s Stadium.

Os Niners chegaram a abrir 10 a 0 no segundo quarto, tomaram a virada para 21 a 10 nos dois quartos seguintes. Mas o último período teve dois TDs e um FG de San Francisco (e um FG dos Seahawks) para empatar a partida em 24 pontos. O kicker Chase McLaughlin, substituindo um lesionado Robbie Gould, mandou a partida para o OT com um chute de 47 jardas a um segundo do término do tempo regulamentar.

Na prorrogação, os dois times insistiram em manter a igualdade no período extra. Primeiro, uma campanha promissora dos Seahawks terminou em interceptação sofrida por Russell Wilson. Na sequência, o mesmo McLaughlin que foi herói no último quarto se tornou vilão, errando um chute das mesmas 47 jardas de distância.

Então, no estouro do cronômetro, Jason Myers converteu um chute de 42 jardas para garantiu o triunfo dos Seahawks por 27 a 24.

Fim da invencibilidade.

Controlando a tempestade nas sete semanas finais

As sete semanas seguintes de fechamento da temporada depois da primeira derrota foram de manutenção. Com 8-1, os Niners só precisavam se manter nos trilhos. E foi isso que aconteceu.

Nas semanas 11 e 12, vitórias sobre Cardinals (36 a 26) e Green Bay Packers (37 a 8). Contra os Packers, aliás, Garoppolo teve uma atuação de QB grande, com 14 passes precisos de 20 para 253 jardas e dois TDs (passer rating excelente de 145.8). Dois TDs terrestres (de Mostert e Coleman) ajudaram ainda mais os 49ers.

Na semana 13, veio uma derrota absolutamente normal para o Baltimore Ravens, em um jogo fora de casa. E o placar de 20 a 17 mostra o equilíbrio.

A defesa de San Francisco, como todas as outras na liga que enfrentaram Lamar Jackson, sofreu contra o camisa 8 dos Ravens, que acertou 14 passes de 23 para 105 jardas e um TD, e correu para 101 jardas e um TD.

Garoppolo teve mais uma boa atuação (15/21, 165 jardas e um TD) e Raheem Mostert passeou, com 19 corridas para 146 jardas e um TD. Isso mesmo com o revés.

E então veio uma das vitórias mais emblemáticas da temporada regular.

Na semana 14, contra o New Orleans Saints, em pleno Mercedes-Benz Superdome, o time de Kyle Shanahan derrotou Drew Brees e companhia pelo placar de 48 a 46. As duas defesas foram mal, mas os ataques sobraram.

Garoppolo acertou 26 passes de 35 para 349 jardas, quatro TDs e uma INT. E o wide receiver Emmanuel Sanders brilhou, com sete recepções para 157 jardas e um TD. Os Niners impuseram a segunda derrota aos Saints em casa e chegaram a 11-2.

Duas vitórias apertadas sobre os rivais Rams (34 a 31) e Seahawks (26 a 21) nas duas semanas finais deixaram San Francisco com 13-3 e a melhor campanha de toda a Conferência Nacional (NFC).

Playoffs

Com mando de campo garantido durante todos os playoffs e folga na primeira rodada da pós-temporada, o San Francisco 49ers estava bem próximo do Super Bowl. E confirmou essa condição com duas apresentações de gala na Costa Oeste.

Na rodada de divisão da NFC, o adversário da vez foi o Minnesota Vikings, que eliminou surpreendentemente os Saints, na rodada de wild card. Mas os ‘azarões’ desta vez nada fizeram e voltaram para casa com um 27 a 10 na cabeça.

O jogo até chegou a ficar empatado em 7 a 7 no primeiro quarto e os Niners foram ao vestiário vencendo por apenas quatro pontos (14 a 10). Mas os últimos dois quartos foram todos os donos da casa, que anotaram um TD e dois FGs para despachar o oponente de Minneapolis.

A defesa dos Niners parou o quarterback Kirk Cousins (21/29, 172 jardas, um TD e uma INT) e, sobretudo, o running back Dalvin Cook (nove corridas para 18 jardas). E o ataque terrestre de SF fez o resto do trabalho, com 186 jardas totais, sendo 105 e dois TDs de Coleman.

Na final da NFC, o oponente foi o Green Bay Packers. E a vitória foi ainda mais fácil, com o placar fechando em 37 a 20.

Nos dois quartos iniciais, os 49ers abriram 27 a 0. E, na segunda metade, a partida se tratou de apenas controlar o ímpeto do rival de Wisconsin.

De maneira impressionante, Garoppolo tentou apenas oito passes na partida, acertando seis para 77 jardas. E isso porque, como de praxe, foi o jogo corrido que ditou o jogo.

Por jogo corrido leia-se Raheem Mostert.

O camisa 31 (uma grata surpresa para a torcida californiana em 2019) teve a melhor partida de sua carreira na NFL, correndo 29 vezes para 220 jardas e quatro touchdowns. Com o desempenho, Mostert se tornou o segundo jogador com mais jardas corridas em um jogo de playoff (atrás apenas das 248 de Eric Dickerson pelos Rams em 1986) e se tornou o primeiro jogador na história da pós-temporada a correr para, pelo menos, quatro TDs e 200 jardas.

E foi assim que os Niners chegaram ao Super Bowl LIV. Agora, o adversário da vez é o Kansas City Chiefs. A partida será no Hard Rock Stadium, em Miami, na Flórida.

Comments
To Top