NFL

Richard Sherman classifica relação com Russell Wilson como “fantástica”

Richard Sherman, cornerback do Seattle Seahawks

(Crédito: Instagram/reprodução)

O cornerback Richard Sherman conversou com a imprensa nesta quarta-feira (14) e falou sobre diversos assuntos, entre eles a polêmica de um possível ‘racha’ no vestiário do Seattle Seahawks e os rumores de troca nos quais esteve envolvido durante esta offseason.

Além de classificar seu relacionamento com o quarterback Russell Wilson como “fantástica”, o camisa 25 negou que tenha pedido para ser trocado pela franquia nesta free agency.

“É apenas uma conversa que eles têm todos os anos. Eu acho que, neste ano, mais pessoas sabiam sobre isso. É uma conversa que eles têm todos os anos – todo mundo está aberto, todos estão disponíveis. Eles apenas se certificaram de que eu sabia, e vocês (jornalistas) descobriram. Foi muito aberto. Nunca foi uma situação na qual alguém pediu. Foi apenas uma conversa”, declarou o cornerback.

Ao longo desta offseason, o técnico Pete Carroll e o general manager John Schneider disseram publicamente em várias ocasiões que Sherman estava disponível para troca, mas um acordo com algum eventual interessado jamais foi selado.

Em determinado momento, Schneider frisou que a razão para uma eventual troca seria liberar mais espaço no teto salarial e rejuvenescer a defesa do time.

E, nesta quarta, Sherman foi questionado por que ele acha que a franquia considerou trocá-lo.

“Porque eles sempre estão abertos às possibilidades, para ouvir o que as pessoas têm a dizer. Se alguém chega com duas escolhas de primeira rodada (de draft), eu não os culparia, no mínimo, sabe? Não os culparia. Seria outra troca louca. Quem foi que foi trocado assim? Herschel Walker ou algo assim?”, observou. “Mas é apenas conversa. Acho que temos uma relação fantástica e sempre tivemos. E sempre foi transparente ter essas comunicações e não tê-las de maneira rude ou indelicada, mas apenas profissionalmente”, continuou.

Sherman também tratou da grande reportagem recentemente publicada pela ‘ESPN The Magazine’, que tratava de uma divisão no vestiário dos Seahawks e um racha entre Sherman e Wilson. E o cornerback foi questionado sobre sua relação com o quarterback.

“É fantástica. Nós somos companheiros de equipe. É como uma família. É como qualquer um em uma família. Nós lutamos um pelo outro, assim como estou lutando pelos outros 52 caras lá fora. Estou lutando por ele, e ele está lutando por nós. Temos um grande apreço por quão duro nosso quarterback é e pelo que ele passou. No ano passado, ele jogou com uma série de lesões, e ele não está fazendo isso só porque ‘ah, cara, tenho que ir lá e é um trabalho’. Ele está fazendo isso pelos caras ao lado dele, e nós apreciamos isso, e achamos que ele é um excelente quarterback”, pontuou.

Sherman não negou que Russell Wilson é tratado de maneira diferente pela comissão técnica, mas ressaltou que os quarterbacks são tratados diferentemente em todos os times.

O astro do Seattle Seahawks se envolveu na temporada passada em discussões na lateral do campo com treinadores do time, mais precisamente em duas ocasiões. Em março deste ano, o técnico Pete Carroll frisou que muitos dos problemas que Sherman teve no ano passado foram “autoinfligidos”.

O defensor foi questionado nesta quarta sobre o que o head coach quis dizer com isso e, pela primeira vez, demonstrou algum tipo de arrependimento pelas discussões no campo.

“Ele quer dizer que eu me mantenho em um alto padrão, e sou um tipo de jogador que leva o coração na manga. Então, sou competitivo como todos. É isso que ele quer dizer. Ele quer dizer que sou competitivo como qualquer um lá e que em todos os momentos estou competindo. Em todos os momentos estou tentando vencer. Em todos os momentos, estou tentando superar os limites. E isso sempre foi o caso – publicamente, em particular e em outros lugares. Então é isso que ele quer dizer”, falou. “Nunca mudou, nunca diminuiu. Algumas vezes, pode até ter ficado exagerado, talvez eu tenha passado do ponto. Mas ele entendeu de onde isso veio, e meus companheiros de equipe também. Então, como eu disse antes, é apenas competitividade. É apenas um time competitivo. E é por isso que meus companheiros ainda estão do meu lado”, frisou.

Em um jogo contra o Los Angeles Rams, em dezembro, Sherman questionou abertamente a decisão de Carroll e do coordenador ofensivo Darrell Bevell de escolher uma jogada de passe na linha de uma jarda do campo adversário. Questionado na época sobre o episódio, o cornerback relembrou a derrota para o New England Patriots, no Super Bowl XLIX, quando uma situação similar de jogo levou a uma interceptação lançada por Russell Wilson que selou o triunfo da franquia de Foxborough.

Nesta quarta-feira, contudo, Sherman garantiu que aquela derrota no Super Bowl não está pairando sobre os Seahawks.

“Para que ela continue (pairando), a maioria desses caras teria que estar aqui, e os caras que estão aqui já deixaram isso no passado. Quero dizer, tivemos Pro Bowl e temporadas All-Pro desde então e estamos batalhando. Às vezes, você se depara com lesões como tivemos no ano passado e no ano anterior e você fica prejudicado. Ou você se depara com um oponente melhores, como foi o caso nosso com Carolina naquele ano e não funciona. Não acho que tenha algo a ver com ressaca de Super Bowl ou qualquer coisa do tipo. É apenas futebol americano. Taxa de lesões de cem por cento”, afirmou. “Você precisa de um pouco de sorte para chegar lá. E, infelizmente, não tivemos a sorte que precisávamos, e não fizemos as jogadas que precisávamos para avançar. Mas não acho que tenha qualquer coisa a ver com ressaca de Super Bowl. Acho que ainda temos as ferramentas e ainda temos tudo o que precisamos. Se vencermos esse ano, acho que as perguntas ainda serão iguais. Acho que é só: ‘oh, eles conseguiram um. A janela está fechando?’. Porque vocês (jornalistas) sempre precisam de uma história”, finalizou Richard Sherman.

Comments
To Top