NFL

Randy Gregory apresenta pedido de reintegração; veja boletim

Randy Gregory, defensive end do Dallas Cowboys

O defensive end Randy Gregory, do Dallas Cowboys, apresentou oficialmente um pedido de reintegração à National Football League. A informação foi apurada por Todd Archer, da ‘ESPN’ norte-americana, na noite deste domingo (22).

O pass rusher foi suspenso por tempo indeterminado em fevereiro de 2019.

Sob a política de abuso de substâncias da NFL, a liga tem que tomar uma decisão sobre o status de Gregory nos próximos 60 dias.

Gregory ficou suspenso durante toda a temporada 2019 devido aos seus problemas recorrentes envolvendo a política de abuso de substâncias da NFL, vindos desde o NFL Scouting Combine de 2015. Isso antes mesmo de ele ser selecionado pelos Cowboys na segunda rodada do draft daquele ano.

O defensor foi suspenso em quatro ocasiões diferentes por testes antidoping falhos ou perdidos. E o próprio atleta já admitiu seus problemas com ansiedade e uso de maconha.

Sob os termos do novo acordo coletivo de trabalho (CBA), aprovado recentemente, os jogadores não podem mais ser suspensos por um teste positivo de maconha. Contudo, como Gregory foi penalizado pelo antigo sistema, ele ainda precisaria receber uma autorização do comissário Roger Goodell.

Um jogador ainda pode continuar suspenso por perder testes ou por não buscar tratamento.

Uma fonte disse à ‘ESPN’ que Gregory está passando bem e é por isso que o processo dele buscar reintegração começou.

Atualmente com 27 anos de idade, ele atuou pela última vez na NFL em 2018, quando somou 6,5 sacks em 14 partidas. Ele perdeu 30 de 32 jogos de temporada regular em 2016 e 2017 devido às suspensões e só atuou em 28 jogos na carreira no total.

Confira mais movimentações na NFL neste domingo (22):

– O New Orleans Saints acertou um novo contrato de um ano de duração com o safety D.J. Swearinger, como confirmou a ‘ESPN’ norte-americana neste domingo.

Atualmente com 28 anos de idade, Swearinger chegou aos Saints no final de dezembro, após ser dispensado pelo Arizona Cardinals e pelo Chicago Bears mais cedo no ano. Ele esteve ativo em apenas um jogo, na semana 17. Agora, ele continua no time para tentar ser uma opção viável na secundária.

O ‘Houston Chronicle’, que noticiou o acerto em primeira mão, apurou que o acordo tem valor de US$ 1,1 milhão, com um bônus de elenco de US$ 50 mil se estiver no elenco de 53 jogadores na semana 1 da temporada 2020.

Swearinger iniciou sua carreira ao ser selecionado pelo Houston Texans na segunda rodada do draft de 2013. Ele soma 14 interceptações, 42 passes defendidos, nove fumbles forçados e 411 tackles em sete temporadas distribuídas entre Texans, Tampa Bay Buccaneers, Cardinals (duas passagens), Washington Redskins, Oakland Raiders e Saints.

– O cornerback Bryce Callahan acertou um contrato reestruturado com o Denver Broncos, permitindo que o time abra US$ 1,8 milhão de espaço no salary cap deste ano, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. O jornalista acrescenta que Callahan agora deve faturar US$ 5 milhões em 2020 e pode ganhar mais US$ 2 milhões por incentivos relacionados ao tempo em campo.

Callahan perdeu a temporada 2019 devido às lesões.

– Alguns detalhes do contrato do Las Vegas Raiders com o tight end Jason Witten foram apurados e o veterano recebeu um acordo de um ano, com valor de US$ 4 milhões. Ele inclui US$ 3,5 milhões totalmente garantidos e pode chegar a US$ 4,75 milhões mediante incentivos por tempo de jogo, de acordo com Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

Os Raiders também deram um contrato de um ano ao defensive tackle Maliek Collins, com valor de US$ 6 milhões, sendo US$ 5,75 milhões completamente garantidos. Segundo Ian Rapoport, também da ‘NFL Network’, ele pode ganhar até US$ 7,5 milhões com incentivos por produtividade.

– Já o defensive end Vic Beasley, que acertou com o Tennessee Titans nesta free agency, recebeu um contrato de um ano com valor de US$ 9,5 milhões, totalmente garantidos, de acordo com Tom Pelissero. O pass rusher pode ganhar mais US$ 2,5 milhões com metas de sacks.

– O Chicago Bears adicionou opções à sua defesa, trazendo o safety Jordan Lucas e o outside linebacker Barkevious Mingo sob contratos de um ano de duração, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Lucas, que atuou com a camisa do Kansas City Chiefs nas últimas duas temporadas, deve faturar US$ 1 milhão. Já Mingo, que atuou no Houston Texans em 2019, voltará a trabalhar com o coordenador defensivo Chuck Pagano, por quem ele foi treinado no Indianapolis Colts em 2017.

Também nos Bears, foi apurado que o contrato do tight end Jimmy Graham inclui uma cláusula que impede que ele seja trocado, de acordo com Mike Garafolo, da ‘NFL Network’. Graham assinou um contrato de dois anos, com valor de US$ 16 milhões, no começo da free agency.

– O contrato do quarterback Philip Rivers com o Indianapolis Colts, de um ano de duração e valor de US$ 25 milhões, é totalmente garantido. A informação foi apurada por Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

– O Arizona Cardinals acertou um novo contrato com o safety Chris Banjo, principal membro dos special teams da franquia, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

O time também acertou um novo contrato de um ano com o quarterback Brett Hundley.

– O Seattle Seahawks fechou com o guard Chance Warmack, como apurou Mike Garafolo, da ‘NFL Network’. Warmack ficou fora da temporada 2019 para ficar saudável, depois de jogar no Philadelphia Eagles por dois anos.

– O Atlanta Falcons acertou um novo contrato com o cornerback Blidi Wreh-Wilson, que está no time desde 2016.

O time também pretende trazer o offensive lineman Justin McCray, ex-Cleveland Browns.

Comments
To Top