NFL

Querendo voltar aos melhores dias, A.J. Green mira em Julio Jones

A.J. Green, wide receiver do Cincinnati Bengals

(Crédito: Twitter/reprodução)

Na temporada passada, o Cincinnati Bengals ficou fora dos playoffs pela primeira vez desde 2010 e a campanha bem abaixo do esperado, de seis vitórias, nove derrotas e um empate, deixou todos muito insatisfeitos. E em termos de desempenho individual, A.J. Green não foi nem sombra do jogador que é.

O wide receiver sofreu uma lesão no músculo posterior da coxa na semana 11, o que encerrou sua temporada precocemente, e assim ele fez apenas 66 recepções para 964 jardas e quatro touchdowns, piores números de sua carreira profissional em termos gerais.

Em 2017, contudo, o camisa 18 teve uma offseason de reabilitação e Green espera voltar aos seus melhores dias, mirando em seu rival Julio Jones, wide receiver do Atlanta Falcons, para trilhar esse caminho.

“Olhe no ano que Julio Jones teve. Ele estava vindo de uma temporada de 1.800 jardas e quanto ele teve no ano passado? Isso é porque eles colocam todas as armas ao redor dele”, declarou Green a Geoff Hobson, do site oficial do Cincinnati Bengals, mencionando a temporada 2016 de 1.409 jardas de Jones. “Ele ainda fez as mesmas jogadas que fez quando teve as 1.800 jardas, mas quando tinha marcação dupla ele, eles tinham (Mohamed Sanu) e (Taylor) Gabriel. Você tem que respeitar aqueles caras. Eles foram ao Super Bowl e Julio teve (1.400) jardas. É tudo o que você quer. O objetivo máximo é vencer o campeonato”, completou.

Vale lembrar que tanto A.J. Green quanto Julio Jones, dois dos principais wide receivers da NFL na atualidade, foram selecionados na primeira rodada do draft de 2011, com a quarta e a sexta escolhas, respectivamente.

Green mira no colega de posição, mas isso não significa que ele esteja focado apenas nas estatísticas, querendo que o Cincinnati Bengals use mais suas outras armas ofensivas e não jogue tudo em suas costas.

“Esse não é quem eu sou. Eu sei do que sou capaz de fazer. Nunca há dúvida em minha mente. No ano passado, eu tive oportunidades e apenas tirei vantagem delas. Em 2015, senti que eu tive uma boa temporada, mas tínhamos todas as armas. Não tive tantas bolas lançadas em minha direção, mas ainda tive boas jardas. Este ano não sou só eu e Brandon (LaFell) e quatro caras jovens. Tudo não precisa ser forçado em mim, o que eu gosto”, finalizou.

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top