NFL

Prévias NFL temporada 2016/17: New Orleans Saints

New Orleans Saints

Desempenho em 2015/16: 7-9

Sobe, desce ou fica na mesma? Sobe

Principal jogador: Drew Christopher Brees

Vai feder: adivinha. A maldita defesa

Previsão nada exata ou científica: 9-7

Pela primeira vez desde que esse site começou, o meu sócio/amigo/fanático torcedor dos Saints/editor desta bodega, Bruno Bataglin, não fará a prévia do New Orleans Saints para a temporada. Pois bem, peguei um Jack Daniels, coloquei um uniforme do Drew Brees e comecei a ver vídeos da campanha mágica da temporada 2009/10 até o Super Bowl, quando a defesa não era sensacional, mas não era pífia e o ataque era O ATAQUE dos Saints.

Resumo da noite: percebi logo que este ano não tem muita chance de acontecer o mesmo.

Ataque dos Saints

Drew Brees tem 37 anos já, mas isso não importa muito. Todo mundo sabe o que esperar dele: algo próximo de cinco mil jardas e 30 e muitos passes para touchdown. Depois de uma temporada 14/15 com 17 interceptações, o camisa 9 reduziu para 11 em 2015/16, só que esse número aceitável pode mascarar o fato que algumas reações ou jogos ganhos foram complicados com turnovers desnecessários. Mas Brees é Brees e ele é o menor problema.

Só que o veterano quarterback vai ter uma virada curiosa nesta temporada. Com a saída de Marques Colston, os seus alvos dos tempos áureos não estão mais em campo. Nada de Colston, Robert Meachem, Devery Henderson… Brandin Cooks teve uma temporada de 1138 jardas e 9 TDs e agora luta por um lugar entre os melhores recebedores da liga. O calouro Michael Thomas, escolhido na segunda rodada, já chega para jogar e no lugar dos sonhos para um recebedor: olhando para a bola lançada por Drew Brees. Coby Fleener veio para substituir Ben Watson, que conseguiu fazer a peteca levantada por Jimmy Graham não cair no chão.

Mas o melhor mesmo para o camisa 9 não é seus recebedores e sim sua linha ofensiva. Terron Armstead se tornou o left tackle que a franquia desejava e recebeu um novo contrato por isso. Do lado direito ainda tem Zach Strief, remanescente dos tempos de glória da franquia. Com Max Unger de center mais Tim Lelito e Andrus Peat de guards, o site Pro Football Focus colocou a linha no Top 10 da NFL (em 8º). Brees agradece. E Mark Ingram, caso fique saudável, depois de um 2015 que ele não conseguiu isso, também.

Defesa dos Saints

Na temporada 2013/14, os Saints, mais inesperadamente que o ouro brasileiro no salto com vara, teve uma defesa sensacional com Rob Ryan de coordenador. Pois bem, depois que o mundo voltou ao normal, os Saints regrediram tudo e Ryan foi demitido. Denis Allen, ex-treinador do Oakland Raiders, vai cuidar da defesa.

E ela não promete muito. Mas há nomes, Miguel? Claro que há. Cameron Jordan é o principal deles e ele deve ter sorrido com o draft de Sheldon Rankins na 1ª rodada para colocar mais fogo na linha defensiva. Mas este lesionou a fíbula e seu começo de temporada deve ser complicado.

Na secundária, Delvin Breaux surpreendeu ao vir da AFL e jogar em alto nível. E a franquia confia nele, tanto que dispensou Keenan Lewis, melhor cornerback da equipe na temporada da ilusão em 2013/14. Entre os safeties, Jairus Byrd mais Kenny Vaccaro e ainda o veterano Roman Harper brigam por snaps e formam um bom grupo nessa posição. Mas ainda há buracos na defesa, especialmente no corpo de linebackers, e nada indica que os números ruins de 2015 vão melhorar muito.

Mas pelo menos Brandon Browner foi embora. Isso já é motivo para três Mardi Gras em um só ano, além do de março.

Tabela

Crédito: ESPN/reprodução

Crédito: ESPN/reprodução

O mais complicado dessas duas temporadas seguidas com 7-9 foi o fato do Superdome não ser mais uma Vila Belmiro versão NFL. Os Santos do futebol americano perderam 5 e 4 em 2014/15 e 15/16 em casa e na divisão se mantiveram com 3-3. Já para 2016/17, a divisão está aberta… para ver quem fica em segundo.

Os Panthers são claramente superiores e os outros três times, em maior intensidade um que o outro, tem um ataque melhor que a defesa. O lado bom é que os jogos fora de casa, tirando Chiefs, Panthers e Cardinals, podem ser vencidos: Giants, Chargers, 49ers além de Bucs e Falcons. E em casa, tirando novamente os Panthers, mais os Seahawks e em menor intensidade Broncos e Raiders,  há quatro vitórias perfeitamente possíveis: Bucs, Falcons, Rams e Lions.

A tabela ajuda os Saints e dá para melhorar em relação aos dois últimos anos. Não a ponto de brigar pelo título obviamente, mas dá para beliscar playoffs.

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top