NFL

Prévia New York Giants 2019: esperança em Manning, estratégia diferente e fé no Saquon

Dave Gettleman colocou o seu na reta e muitos vão estar de olho no que esse time irá render. Com os Jets fazendo exatamente o que se esperava do New York Giants, a pressão vai ser grande para o método não convencional do general manager dar certo.

Odell Beckham Jr., Olivier Vernon e Landon Collins, os três melhores jogadores da equipe, foram despachados. A esperança é que o vestiário seja menos conturbado, possibilitando um ganho em campo.

Categoria: Eu tenho que assistir?
Campanha em 2018: 5-11
Projeção para 2019: 6-10
O que me faz sorrir: Saquon Barkley
O que me faz ter calafrios: o método não convencional

Além de ter “se livrado” dos melhores talentos em meio uma estratégia pouco convencional, o New York Giants utilizou a sua melhor escolha do draft para adquirir Daniel Jones, que poderia muito bem ter sido escolhido na 17ª escolha geral. Soma-se a isso à forte aposta que Eli Manning conseguirá ter um ano bom.

Um dos pontos fortes, justamente porque não foi alterado, é a equipe de especialistas. Riley Dixon é um dos punters mais fortes da liga e tem média de 45,4 jardas, sendo que seu chute mais longe foi de 60 jardas. Já Aldrick Rosa desperdiçou apenas um field goal (32 de 33) e acertou chute de 57 jardas. ganhando o direito de ir ao Pro Bowl.

O que me faz salivar (mais do que bolo de chocolate)

É difícil algo fazer alguém salivar no New York Giants, mas a defesa é muito interessante mesmo com algumas saídas. Apesar de ter sido um dos piores em pressão ao quarterback e ter perdido Olivier Vernon, essa área tem espaço para melhorias em 2019.

Markus Golden, um excelente pass rusher antes de lesionar o joelho, chegou e reencontra o coordenador defensivo James Bettcher. Lorenzo Carter é outra aposta. A maior liberdade para atacar a linha adversária também se dá pela força da secundária, que finalmente vai começar a cobrir algo.

Enquanto Landon Collins saiu, Jabrill Peppers e Antoine Bethea foram contratado e formam uma dupla de safeties muito interessante. Eles se juntam ao veterano cornerback Janoris Jenkins. Na posição também há a disposição Deandre Baker e Julian Love, que foram draftados e podem causar impacto imediato.

O que me deixa com nojo (mais do que a mão do Joachim Löw)

A ‘Manning dependência’ é o ponto fraco dessa equipe e a reposição não foi à altura. Os executivos seguem insistindo que o quarterback tem mais dois ou três anos e não podemos duvidar de uma família que já superou tantos altos e baixos.

No entanto, mesmo com um dos melhores anos estatisticamente de Eli (seu melhor percentual de passes completos foi em 2018), é difícil vê-lo em alto nível. Também é muito questionável a escolha de Daniel Jones, investimento feito na sexta escolha geral que pode só ver o campo em 2020. Algo melhor poderia ter sido feito, não?

O que, com certeza, irá aliviar isso é Saquon Barkley. Nome que causou controvérsia no draft de 2017 porque se esperava que Sam Darnold chegasse, ele é um dos melhores running backs da liga, senão o melhor. Excelente correndo com a bola (1.307 no ano passado) e bom pegando passes, ele é o alívio no ataque.

A linha ofensiva ganhou Kevin Zeitler e espera que Nate Solder fique saudável para proteger Eli Manning. Uma melhor proteção pode ajudar a reviver a carreira do quarterback.

Outra dificuldade, causada pela estratégia de David Gettleman, são os alvos. Sem Odell Beckham Jr., que fazia mágica, Golden Tate é um wide receiver com potencial de ter 90 recepções e mil jardas. O problema é que ele iniciará a temporada cumprindo uma suspensão. Evan Engram e Sterling Shepard vão ter mais espaço e precisarão corresponder.

Para me amar ou me xingar (o porquê da minha projeção para a temporada)

 

O calendário do New York Giants é curioso e está repleto de equipes em uma situação similar. São confrontos contra o Washington Redskins, New York Jets, Buffalo Bills, Detroit Lions e Arizona Cardinals.

Na divisão, Dallas Cowboys e Philadelphia Eagles devem brigar pelo topo, deixando os nova-iorquinos em terceiro na divisão. Outras pedreiras são New England Patriots e Chicago Bears. A vitória certa será contra o Miami Dolphins.

Com esse cenário, uma campanha similar à do ano passado é bem provável. Se ficar no meio a meio contra rivais similares e superar os Fins, já são quatro triunfos.

Comments
To Top