NFL

Prévia Jacksonville Jaguars 2017: time se reforça, traz Coughlin mas ainda vai de Bortles e Henne

Previa Jacksonville Jaguars

O Jacksonville Jaguars mais uma vez abriu os bolsos na offseason. Desde 2015 que faço a prévia da equipe da Flórida e essa época do ano normalmente é acompanhada de esperança. Em 2016, até pensei que o time poderia ir para os playoffs, mas a verdade é que Blake Bortles no garbage time me enganou. O time naufragou logo de cara e Gus Bradley acabou no olho da rua.

Agora Bortles não engana ninguém. Nem o treinador Doug Marrone, que mesmo deixando a terceira escolha do Draft de 2014 como titular para a semana 1, já tem Chad Henne de sobreaviso. O problema é que Chad Henne não é a resposta nem para a pergunta “quem é o melhor Chad da NFL?”. Ochocinco ainda ganha, mesmo aposentado há cinco anos.

Então eu pergunto: por que não fazer uma troca por Alex Smith?

Categoria: a melhor defesa é a defesa

Desempenho em 2016: 3-13

Previsão nada científica para 2017: 6-10

Linha de Las Vegas (você pode apostar em mais ou menos vitórias que o número a seguir): 6

Jogadores de Pro Bowl em 2017: Nenhum

Quem pode se juntar a essa lista: Jalen Ramsey, Calais Campbell, Telvin Smith

Enfim, mandem essa pergunta para Tom Coughlin. O ancião da NFL volta para a franquia que ele basicamente ergueu e beirou o Super Bowl em duas temporadas ainda nos anos 90. Ele não será o técnico, mas toda decisão de elenco passa por ele. O treinador será Doug Marrone, que era técnico da linha ofensiva e foi head coach dos Bills em 2014/15, saindo de forma bizarra após uma boa temporada.

Começando pelo ataque, o time dificilmente vai decolar com essa indefinição na posição de QB. Bortles não consegue acertar um passe em uma janela apertada a menos que ele venha nos últimos dois minutos de um jogo perdido por 20. E isso mesmo com boas peças: Allen Hurns e Allen Robinson formam uma dupla dinâmica de wide receivers e mesmo com Marqise Lee sendo instável, sua velocidade importa. O calouro Dede Westbrook causou boa impressão no training camp e na pré-temporada e deve ter seu espaço também. Já Mychal Rivera, tight end ex-Raiders e esperança para a posição após o Julius Thomas de Denver não aparecer, já está na lista de contundidos.

Para RB, os Jaguars gostaram do exemplo dos Cowboys e draftaram na primeira rodada o running back Leonard Fournette. Ele gera atenção desde o ensino médio e deixou LSU com 3.830 jardas e 40 touchdowns.

Só que se você não tem uma ameaça como Dak Prescott no play action, a defesa rival pode mandar cinco, seis jogadores para pressionar Bortles e esperar seu erro. Ou então pode enfiar sete, oito jogadores no box e fazer o running back ter que enfrentar um tráfego similar ao da Marginal Pinheiros em uma sexta com chuva. Não adianta, tudo acaba voltando para o quarterback e se ele apresenta pelo menos uma ameaça. Bortles não é mais respeitado, nem pelos colegas. Henne idem.

A linha não é mais um problema, com o center Brandon Linder tendo excelentes reviews e OL como um todo sendo classificada no meio do pelotão pelo site Pro Football Focus. Caso Cam Robinson, draftado na segunda rodada, consiga uma rápida adaptação à NFL, algo cada vez mais difícil para os jogadores de linha ofensiva que saem do College, Fournette pode ter o que explorar. Os Jaguars realmente não precisam de um QB sensacional, só alguém que seja uma ameaça. Por isso realmente não entendo como o time continua fazendo altos investimentos mas não se preocupa em trazer alguém minimamente decente para liderar o ataque.

Confira nosso esquenta para a temporada 2017 da NFL

Defesa: olho neles

Os Jaguars fizeram seu splash anual na offseason, trazendo o excelente Calais Campbell de Arizona para Jacksonville. E ainda roubou A.J. Bouye, que explodiu ano passado na secundária dos rivais de divisão Houston Texans. A secundária ainda ganhou Barry Church, ex-Cowboys.

Time to kick off the final preseason game. #JAXvsATL

Uma publicação compartilhada por Jacksonville Jaguars (@jaguars) em

O problema é que essas adições nos últimos anos sempre tiveram poréns. Jared Odrick, após ter uma bela temporada em Miami, encheu um caminhão de dinheiro em Jacksonville mas não durou nem dois anos. Campbell é outro nível nessa comparação com Odrick, mas já tem 31 anos.

Só que diferentemente das adições descompassadas de anos passados, as desta offseason ornam com o que existe no time. Campbell junto com Malik Jackson vão aterrorizar os interiores de linhas ofensivas rivais.

Mesma coisa na secundária. Bouye chega para fazer um duo com Jalen Ramsey, que fez sua seleção na quinta posição do Draft de 2016 valer a pena logo de cara. Ramsey foi tão bem que não é bizarro falar que os Cowboys poderiam ter draftado ele e achado um running back nas rodadas seguintes do Draft, ao invés de ter escolhido Ezekiel Elliott. Você acha que estou falando besteira? Nos últimos cinco jogos da temporada, Ramsey foi o cornerback mais atacado da NFL. Os quarterbacks que quiseram explorar o novato tiveram um rating de 37,3, um número pífio. Ele desviou ou interceptou 11 bolas nesse período.

E com Church de safety, que teve 100 tackles ou mais nos últimos quatro anos, ele tem ainda mais segurança para ser agressivo. Os Jaguars são a sexta melhor secundária da NFL segundo o PFF e isso faz total sentido.

No corpo de linebackers, o time ainda tem o eterno Paul Posluszny com os jovens Telvin Smith e Myles Jack – que foi testado como middle linebacker mas irá para voltar para o “outside” nesta temporada -, combinando velocidade com a inteligência para comer espaços rivais.

Ou seja, estamos falando de uma defesa completa. O time precisa mais de Dante Fowler e outros edge rushers para aumentar seu número de sacks – 33 na última temporada, 19ª no ranking – porque mesmo com boa secundária, com tempo para lançar muitos quarterbacks encontram alternativas. O time enfrentará Andrew Luck (se ele se recuperar da lesão no ombro), Phillip Rivers, Russell Wilson, Ben Roethlisberger, Carson Palmer e ainda precisa se preocupar com Joe Flacco e Andy Dalton.

Tabela

Jacksonville Jaguars tabela

Caso Tom Brady se machuque tomando um suco de acelga amanhã, os Patriots perdem seis pontos por jogo nas linhas de Las Vegas, mesmo tendo um bom quarterback reserva em Jimmy Garoppolo. Um exemplo para deixar claro: caso os Patriots sejam favoritos por quatro pontos contra os Chiefs, eles passaram para azarões por um field goal com a lesão de Brady. É tudo isso que um quarterback vale.

Por ter um QB muito mais confiável, os Titans são mais favoritos para ganhar a divisão que os Jaguars. E os Texans, apesar de também instáveis na posição de QB, tem uma defesa com mais nomes de peso. Por isso Jacksonville, apesar da boa probabilidade de ter uma defesa acima da média e um ataque com alguns bons nomes, não tem tanto respeito das casas de apostas.

Não ajuda também a tabela chata. O time pega a NFC West, que tem Seattle Seahawks e Arizona Cardinals como times claramente melhores que os Jags e mais a AFC North, com o Pittsburgh Steelers na mesma situação e com Bengals e Ravens também ameaçadores. Com Bortles sendo uma possibilidade de pick six a cada vez que ele pisa em campo, não dá para chutar que o time pode subir para 8 vitórias. É uma pena, porque o time não está longe de ser realmente bom.

Comments
To Top