NFL

Prévia Houston Texans 2017: tema a linha defensiva e quem sabe o ataque acompanha

Prévia Houston Texans

Nos dois últimos anos o Houston Texans foi para os playoffs, apesar de Brian Hoyer, Ryan Mallett, T.J. Yates, Brandon Weeden, Tom Savage e Brock Osweiler brincarem de quarterback para a franquia nesse período. Você pode entender isso como um milagre, o fato da AFC South ser fraca, o trabalho sensacional de alguns jogadores – J.J. Watt, Whitney Mercilus, DeAndre Hopkins, Jadeveon Clowney – em períodos distintos ou todas as opções anteriores. E lembremos que o time fez um jogo de igual para igual contra os Patriots em Foxborough, muito mais que os Steelers.

Pois bem, para 2017, o time ainda não está estável na posição de quarterback, com Tom Savage brigando com o atual campeão nacional universitário e 12ª escolha do Draft, Deshaun Watson, pela titularidade. Mas mesmo isso pode não impedir um ano bastante bom em Houston.

Categoria: Não se surpreenda, estamos avisando

Desempenho em 2016: 9-7

Previsão nada científica para 2017: 10-6

Linha de Las Vegas (você pode apostar em mais ou menos vitórias que o número a seguir): 8,5

Jogadores de Pro Bowl em 2017: Jadeveon Clowney

Quem pode se juntar a essa lista: DeAndre Hopkins, J.J. Watt, Whitney Mercilus

Tom Savage por enquanto é o titular, história que já vimos inúmeras vezes em training camps anteriores: o treinador não quer colocar o calouro logo no primeiro jogo e por isso vai de quarterback “X”, que tem mais experiência mas todos sabem que não é bom. É óbvio que Watson será titular durante a temporada, só resta saber se será antes da semana 4 ou não.

Savage não é ruim e mostrou isso na semana 15 da temporada passada, fazendo seu time sair de um déficit de 13 a 0 para vencer o jogo, com 260 jardas em 23 passes certos de 36 tentados. Mas um detalhe: foi contra os Jaguars. A grande questão com ele é que já sabemos seu teto: ele não vai fazer esse time ganhar jogos e isso é basicamente tudo o que você quer em um quarterback.

  • Entre na temporada da NFL sabendo tudo com nosso Esquenta, com as prévias de todas as equipes

E Watson pelo menos oferece a possibilidade de uma fagulha que cria o incêndio. Com uma carreira marcante em Clemson, o novato bateu a sensacional defesa de Alabama a final universitária e provou que está acostumado com grandes momentos. Antes do Draft foi ressaltado seu problema com precisão nas bolas longas e ele deve apanhar para se acostumar com rotas e marcações mais complexas. Só que também é destacável sua capacidade de liderança e seu investimento nos treinos e estudo do jogo. Alguém mais está cheirando a possibilidade de Dak Prescott 2.0?

É verdade que Prescott chegou em uma situação sensacional: sua linha ofensiva era ótima, seu running back uma força da natureza e ainda recebedores muito bons. Watson não tem tudo isso. Mas ele não precisa tudo isso. Porque…

Essa defesa será assassina

É normal ficar com um pé atrás com J.J. Watt depois de uma lesão tão debilitante (hérnia de disco) ter tirado ele de praticamente toda a temporada passada. Mas você vai duvidar de um cara que foi 3x melhor defensor do ano e é basicamente um tanque de guerra com forma humana? Eu não.

E o problema para os quarterbacks rivais é que não é só o camisa 99. Whitney Mercilus segue como um jogador tremendamente subestimado, já que teve 20 sacks nas últimas duas temporadas e poucos falam dele. Jadeveon Clowney afastou as desconfianças sobre ele com uma temporada sensacional, não só pressionando no passe, mas também sendo o terceiro melhor defensive end/outside linebacker contra a corrida, segundo o site Pro Football Focus. Com Watt, ambos voltarão a ter mais espaços para fazer sua arte, já que o monstro da linha defensiva exige marcação dupla.

Up top. ✋️ #WeAreTexans

Uma publicação compartilhada por Houston Texans (@houstontexans) em

Ou seja, a melhor defesa da NFL em 2016 em jardas cedidas deve ficar ainda melhor em seu front seven, com a adição de segunda rodada Zach Cunningham para completar o corpo de linebackers que já tem Brian Cushing e Benardrick McKinney, que foi o único jogador com pelo menos 100 tackles e 5 sacks na temporada passada. Mesmo as perdas de bons jogadores em John Simon (Colts) e Vince Wilfork (churrasqueira) não serão tão sentidas.

O mesmo não se pode dizer na secundária. A.J. Bouye foi excelente em 2016 e por isso ganhou um contrato astronômico dos Jaguars. Kevin Johnson estava se destacando até uma lesão no pé tirá-lo da temporada e os Texans vão precisar que ele volte no mesmo nível para compensar a saída de Bouye. Johnathan Joseph e Kareem Jackson completam o trio. Já entre os safeties, mais uma perda em Quintin Demps e como o time não trouxe ninguém na free agency, espere Corey Moore, Andre Hal e K.J. Dillon dividindo snaps.

Voltando ao ataque

Entendeu por que Watson não precisa ser Prescott? O camisa 4 dos Cowboys não tinha uma defesa top 5 na NFL para protegê-lo de drives que não dão em nada. Sendo assim, mesmo não tendo a mesma companhia de qualidade no lado ofensivo, o calouro terá suas armas para explorar.

A primeiras delas é DeAndre Hopkins. O wide receiver foi o principal ferrado pela nada memorável era Osweiler, passando de 1.521 jardas e 11 touchdowns em 2015 para 954 jardas e quatro touchdowns em 2016. “Quem disse que ele terá uma volta aos áureos tempos?”, você deve estar se perguntando. Eu digo: ele está em ano de contrato, terá um QB melhor, independente de quem for, e uma companhia de destaque: Braxton Miller no slot pode ser uma excelente ameaça para passes curtos. Will Fuller quebrou a clavícula, mas deve voltar no segundo mês da temporada e com sua velocidade abre o campo para Hopkins mostrar todo o arsenal de rotas que tem. E mesmo não sendo Jimmy Graham's, C.J. Fiedorowicz e Ryan Griffin combinaram para 104 recepções e 1001 jardas em 2016 e são uma montanha de músculos e uma torre em tamanho (ambos têm dois metros).

Tem mais? Sim senhor. Lamar Miller não é um running back dos sonhos, mas ele quebra tackles e finalmente sendo usado como deve ser, após anos em Miami sendo escanteado sem razão, ele conseguiu pouco mais de mil jardas corridas em sua primeira temporada nos Texans. Em sua 2ª, ele não vai precisar correr tanto (268 carregadas), já que o time draftou D'Onta Foreman, running back da universidade do Texas que correu para 2 mil jardas em seu último ano no college.

Ou seja, você deve ter percebido que há armas sim. O problema é ter tempo para passar e buracos para correr. A linha ofensiva é a quarta pior da NFL segundo o site Pro Football Focus, com Duane Brown de left tackle sendo um dos únicos pontos positivos. Só que o grandalhão está em greve, brigando por um novo contrato.

Aí sim temos um ponto de complicação. É bom Watson ver vídeos de Russell Wilson correndo pela sua vida.

Prévia Houston Texans: Tabela

Houston Texans tabela

Crédito: Instagram/reprodução

Os Texans não terão o Indianapolis Colts como principais rivais na AFC South – ainda mais se Andrew Luck continuar baleado – e sim o Tennessee Titans. E o front seven destruidor coloca o time um pouco acima do rival de Nashville. Os Texans têm jogos fáceis contra Cleveland Browns e San Francisco 49ers e são favoritos em ambos os jogos contra o Jacksonville Jaguars. O Los Angeles Rams é mais desafiador e espere um jogo 12 a 9 ou algo do tipo.

A partir daí, as coisas ficam mais difíceis: o time não parece ter solução para Tom Brady e os Patriots em geral (a equipe perdeu de 27 a 0 com Jacoby Brissett de QB) e ainda há Seattle Seahawks fora e Pittsburgh Steelers em casa para encarar. Por isso, para chegar aos playoffs, é vital ter mais vitórias que derrotas na divisão e conseguir bater rivais chatos de AFC como Baltimore Ravens (semana 12, fora), Cincinnati Bengals na semana 2 fora e Kansas City Chiefs em casa na semana 5.

A meu ver, os Texans são claros azarões em três jogos (Pats, Steelers e Seahawks). Só que mesmo contra os Seahawks, fica frente a frente o melhor front seven da liga contra a pior linha ofensiva, então é um jogo que perfeitamente pode fazer os texanos voltarem com uma vitória.

Nesse jogo de Seattle e contra rivais da mesma altura veremos claramente a diferença que o quarterback faz. Watson ou Savage não precisam ser geniais, apenas não cometer os erros que Osweiler cometeu. Isso pode fazer o time passar de 6-10 para 9-7 ou até 10-6. Eu acredito que Watson assume logo a titularidade e a defesa arrasadora, mais um ataque que não comete besteiras, à la Kansas City Chiefs de Alex Smith, pode fazer o time subir de nível em relação aos três últimos anos.

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top