NFL

Prévia Detroit Lions para a temporada 2018

Previa Detroit Lions

Jim Caldwell foi embora. Matt Patricia é novo técnico. Haloti Ngata foi para o atual campeão Eagles. LeGarrette Blount veio dos Eagles. Matthew Stafford é segundo melhor QB da NFC North (competir contra Aaron Rodgers não é facil).

O time tem boas peças, mas perdeu muita gente (o linebacker Tahir Whitehead, o tight end Eric Ebron e o center Travis Swanson). Pelo menos T. J. Lang e Darius Slay continuam, assim como Ezekiel Nana “Ziggy” Ansah e os recebedores Golden Tate e Marvin Jones Jr.

O que eu quero dizer com tudo isso é que os Lions são de difícil prognóstico. A tabela não fácil, e não sei até aonde a chegada de Patricia pode melhorar uma defesa fraca e fazer com que o time fique mais com a bola. Ah, uma das melhores características de Patricia é fazer muito com defensores pouco badalados. E os Lions são meio assim.

Categoria: o quê os Eagles têm que eu não tenho
Desempenho em 2017: 9-7
Falamos que teria:  7-9 (chegamos perto, o nosso Matt Patricia – Felippe Rodrigues – quase acertou)
Previsão nada científica para 2018: 7-9
Linha de Las Vegas (você pode apostar em mais ou menos vitórias que o número a seguir): 7,5
Jogadores de Pro Bowl na última temporada: T. J. Lang e Darius Slay

O que me faz sorrir no Detroit Lions

Matthew Stafford é muito bom, durável (vem de sete temporadas jogando as 16 partidas), vai lançar mais de 20 TDs e liderar o ataque. Ele vem diminuindo as interceptações (foram 53 touchdowns para 20 interceptações nas duas últimas temporadas) e tem nos recebedores Golden Tate e Marvin Jones Jr. dois alvos consistentes e em franca ascensão.

Também gosto da chegada do tight end Luke Willson, ele vai se dar bem com Stafford.

O jogo corrido vai melhorar! Também não muito como piorar, já que a franquia foi a pior correndo com a bola na última temporada.

LeGarrette Blount chega para agitar as coisas e dar dinamismo às corridas. Dois TDs e apenas 173 carregadas foram pouca coisa para ele nos Eagles, mas o esquema dos campeões privilegiava o jogo de passes e o time tinha vários RBs. Blount deve ser mais usado este ano, contudo ele já vai para a 10ª temporada, e deve ser colocado em campo com sabedoria.

T. J. Lang é ótimo jogador de linha ofensiva, mas a franquia de Detroit torce para que ele consiga começar a temporada jogando. Ele machucou o pé na primeira semana de training camp e ainda não se recuperou. Darius Slay é muito seguro na posição de cornerback. Por outro lado, a secundária é frágil e acaba sobrecarregando o jogador.

Ziggy Ansah é um dos jogadores de defesa mais explosivos da liga. Ele foi autor de 12,5 sacks em 2017 e elevou os números defensivos dos Lions. Não fosse ele, a coisa poderia ter sido pior. Não à toa, Detroit colocou a franchise tag nele.

Os Lions mandaram bem no draft e pegaram um dos melhores jogadores de linha universitário. Frank Ragnow, aparentemente, não irá jogar de center, mas na posição de guard. Ele está indo bem e dará uma segurança maior para Stafford.

Jamal Agnew é um perigo para para os especialistas rivais, assim como o eterno Matt Prater, uma garantia como kicker.

O que me faz chorar no Detroit Lions

Matt Patricia chega para resolver o problema defensivo. De 2012 a 2017, quando ele comandou a defesa dos Pats, a equipe foi a nona em sacks por tentativa – 7.1%. Os Lions ficaram em 23º, com 6.3%. New England ficou em quinto nos sacks (250), contra 213 dos Lions. Sem falar que a defesa dos Pats sempre foi muito eficiente na red zone, pressionando o QB adversário e forçando ele a tomar decisões ruins.

Mas eu não sei se ele terá as peças suficientes para impôr seu estilo. E ele precisa de tempo. Talvez os resultados não apareçam logo de cara, e o ataque pode ficar muito pressionado a pontuar em toda posse. Patricia gosta de dar corda para o ataque adversário, até que ele cometa um erro, ou até que seu time consiga um turnover.

Field goals são tratados como jogadas aceitáveis. O que não pode rolar são as big plays, jogadas explosivas, com muitas jardas. Não sei se os Lions consegue jogar nesse esquema.

Haloti Ngata saiu, assim como Tahir Whitehead , o melhor tackle da equipe no ano passado. A'Shawn Robinson parece consolidado na linha defensiva e o linebackers Jarrad Davis também tem seu valor. Mas é pouco. Ngata e Whitehead não foram minimamente substituídos.

Os Lions possuem sete corredores no elenco. Juntando tudo não dá três. LeGarrette Blount é um tremendo veterano, mas precisará dividir as carregadas. O novato Kerryon Johnson pode chegar chegando na NFL. Theo Riddick, Dwayne Washington, Nick Bellore e Zach Zenner não colocam medo em ninguém.

Produção, o que foi isso?

Como assim? Você contrata o melhor treinador defensivo da NFL, cobiçado por diversos times, mas não investe na defesa? Eu não entendi nada. Patricia é famoso por fazer muito com pouco, mas os Lions vão colocar essa fama em apuros logo de cara? As contratações foram fracas para a defesa: Ricky Jean-Francois (DT) e Sylvester Williams (DT).

O draft foi bom e Patricia gosta de trabalhar com jovens. Tracy Walker (S) Da'shawn Hand (DT) e Tyrell Crosby (OT) têm potencial, mas não vão chegar impactando a NFL no primeiro ano. Só posso concluir que os Lions apostam no futuro, não para essa temporada. Não acredito que o time não foi atrás de um linebacker depois da saída de Whitehead.

Mas ainda existem alguns nomes interessantes no mercado. Sei que o time não tem grana para contratar, já que foi um o time que mais gastou com salários no ano passado, cerca de $204 milhões. Mas existem alguns agentes livres que podem aceitar ganhar um pouco menos.

Porque fiz a previsão de 7 vitórias para o Detroit Lions

A tabela dos Lions é bem complicada. Em uma olhada rápida no calendário é possível identificar três jogos em que a franquia de Detroit entra como favorita. Sim estou falando da AFC Leste. Jets, Bills e Dolphins não são times complicados. Podem derrotar os Lions? Claro, mas Matthew Stafford já é um QB consolidado, enquanto esses outros times ainda estão cercados de dúvidas.

Arizona e San Francisco devem dar mais trabalho, as partidas serão fora de casa, mas os Lions podem vencer. Dentro da divisão, os seis jogos serão complicados.

Os Lions fizeram 5-1 em 2017 e são eram para ser segunda força dentro da divisão, brigando tanto com os Vikings pela primeira posição, quanto contra os Packers, fugindo do terceiro lugar. Mas agora os Bears, com Khalil Mack, ganharam muita força.

Os cinco jogos restantes vão definir a temporada. Patriots, Cowboys, Seahawks, Panthers e Rams. Serão grandes jogos. O time de Detroit não pode zerar nesses cinco confrontos.

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top