NFL

Prévia Denver Broncos 2017: a defesa continua lá, mas o ataque não se sabe

Denver Broncos

O Denver Broncos sucedeu a conquista do Super Bowl 50 com uma temporada agridoce. A defesa manteve o ritmo insano, mas o time perdeu seu quarterback titular e o reserva (Peyton Manning e Brock Osweiler) e colocou uma escolha de sétima rodada como titular em Trevor Siemian. E se não dá para dizer que deu certo – o time não foi para os playoffs – também não deu errado: Siemian teve 18 TDs para 10 interceptações e o time ganhou nove jogos.

Mas nove jogos em Denver e não ir para os playoffs não é o suficiente, ainda mais quando o senhor das decisões da franquia se chama John Elway. Dá para deixar Elway feliz em janeiro de 2018? É isso que vamos analisar.

Categoria: a melhor defesa é a defesa

Desempenho em 2016: 9-7

Previsão nada científica para 2017: 8-8

Linha de Las Vegas (você pode apostar em mais ou menos vitórias que o número a seguir): 8,5

Jogadores de Pro Bowl em 2017: Emmanuel Sanders, Aqib Talib, Chris Harris Jr., Darian Stewart, Von Miller

Quem pode se juntar a essa lista: Justin Stewart

Gary Kubiak, treinador na conquista do Super Bowl e que foi quarterback reserva e coordenador ofensivo de Elway nos tempos de jogador, teve que sair por causa de um problema de saúde. E junto com ele houve uma remodelação no corpo técnico. O veteraníssimo Wade Philips saiu. Vance Joseph, coordenador defensivo do Miami Dolphins, virou head coach, algo surpreendente já que a defesa dos Fins não era tão dominante para ele ter uma promoção dessas. E para coordenar o ataque, Mike McCoy volta após ter sido o HC do San Diego Chargers nos últimos anos.

McCoy e Joseph já avisaram que sua intenção é envolver mais os dois recebedores acima da média que o time tem, especialmente Demaryius Thomas. O camisa 88 conviveu com alguns drops, mas mesmo assim teve mais uma temporada acima de mil jardas, assim como Emmanuel Sanders, que ainda foi ao Pro Bowl. Ambos são ameaças constantes em todo tipo de jogada, mas precisam de mais ajuda de seus companheiros. Isso fica evidente com duas estatísticas de 2016: o time foi o sétimo pior em touchdowns na red zone e o quinto pior em jardas corridas.

C.J. Anderson deve ser novamente o running back titular, mas ele terá a concorrência de um bicho de duas cabeças: o novato Devontae Booker e o veterano Jamaal Charles, ex-Chiefs que foi cortado após lesões derrubarem seu status de um dos melhores jogadores de backfield na liga para uma peça que gera dúvidas. Porém, em uma terceira descida, com Charles em campo, sempre levanta a dúvida se o time vai correr com ele ou lançar, já que o RB é uma ameaça no jogo aéreo também. E isso é sensacional para Sanders e Thomas. Jake Butt, tight end de Michigan, foi selecionado para ajudar com seu tamanho em situações desse gênero (campo diminuído), mas ele volta de uma lesão no ligamento, entrando na NFL. É como chegar de ressaca em uma festa da firma.

No começo do training camp se tinha dúvidas se Siemian ou Paxton Lynch seria o titular dos Broncos, mas o vencedor de 2016 voltou a ser o vencedor de 2017, deixando dúvidas sobre o desenvolvimento de Lynch, que foi escolhido na primeira rodada do Draft de 2016. Siemian mostrou bom comando do huddle, passou para quase 3500 jardas e venceu 8 dos 14 jogos que começou e só saiu do time porque lesionou o seu ombro.  Com um esquema que envolva mais suas duas estrelas e facilite as leituras, como McCoy prometeu, ele deve se sair bem o suficiente para deixar seu time nos jogos e a defesa arrebatá-los.

O problema é se a linha ofensiva vai deixar ele em campo. A OL alterou muito nos últimos anos e o Pro Football Focus colocou ela entre as 10 piores da NFL, na posição 8 para ser mais exato. Elway não é burro e com sua primeira escolha em 2017 selecionou Garett Boles, além de ter tirado o left guard Ronald Leary dos Cowboys. O center Matt Paradis é um bom nome. O problema? Muitos jogadores de linha ofensiva saíram da universidade para a NFL e foram péssimos nos últimos anos, muito por causa da simplificação dos ataques no College, o que gerou a necessidade dos grandalhões de chegar na NFL e aprender diferentes tipos de bloqueio e posicionamento. E caso Boles não comece com tudo, Donald Stephenson, que foi mal em 2016, deve assumir o lado cego de Siemian.

O que falar dessa defesa?

Primeira em jardas cedidas por jogo, primeira em touchdowns cedidos, primeira em passes cedidos, quarta em jardas totais, primeira em jardas por passe. Sim, o time foi um pouco solto na defesa ao jogo corrido, cedendo 130 jardas por jogo, quarta pior marca. Mas contra ataques aéreos, o time doutrina. E isso é simples de explicar: você tem o MVP do Super Bowl 50, um dos jogadores de pass rush mais velozes da história em Von Miller. E você tem uma secundária com três Pro Bowlers em Chris Harris Jr, Aqib Talib, que teve sua melhor temporada na carreira  aos 30 anos de idade, e ainda o safety Darian Stewart, com uma extensão nova assinada em 2016 e gasolina no tanque.

All ?'s were on #mayweathermcgregor after #GBvsDEN.

Uma publicação compartilhada por Denver Broncos (@broncos) em

Miller ficou a um voto de Khalil Mack na corrida para ser eleito o melhor jogador defensivo de 2016 e a razão é simples: ele subiu os números de uma temporada que já tinha sido muito boa em 2015, totalizando 13,5 sacks e mais 13 tackles para perda de jardas, sendo um verdadeiro destruidor de linhas ofensivas e backfields rivais.

Você pode até falar que perdendo a presença de DeMarcus Ware a seu lado, Miller pode atrair ainda mais atenção adversária. Mas os Broncos contam com Shane Ray e Shaq Barrett para também pressionar o QB rival e destruir pockets. O problema a ser considerado é a pressão interior, que mesmo contando com Derek Wolfe, precisou de mais carne. Com Domata Peko chegando de Cincinnati, além da pancinha vem um cabelo maravilhoso e a tentativa de ser melhor contra o jogo terrestre.

Porque contra o passe, Talib, Harris, Stewart e ainda Justin Simmons, calouro que foi bem-credenciado pelo PFF, formam a quarta melhor secundária da NFL segundo o site. Ainda há Bradley Roby, T.J. Ward, Brandon Marshall… é por essas e outras que os Broncos estão na categoria “a melhor defesa é a defesa.”

A dúvida aqui é se com a saída de Wade Phillips, a preparação jogo a jogo será comprometida. E no ataque, se com Mike McCoy, o esquema entrará nos trilhos logo de início. Esse é um problema que os Chiefs, por exemplo, não tem.

Tabela

Denver Broncos tabela

Na temporada passada os Broncos começaram a temporada 4-0. Neste ano, o bye será na semana 5 e um começo igual seria espetacular, já que o time recebe Los Angeles Chargers, Oakland Raiders e Dallas Cowboys, três bons times, e só sai de casa para pegar os Bills.

A divisão mais uma vez será muito complicada. Os Chiefs tem um time completo, os Raiders têm tudo para manter o ritmo de 2016, quando ganharam 12 jogos. E o Los Angeles Chargers é outro time que deve subir, ancorado por jovens talentos – Joey Bosa, Melvin Gordon – e o veterano Phillip Rivers.

Por essa concorrência, seria importante ter uma corrida aberta pelo wild card, mas a equipe tem duelos difíceis contra a NFC Leste e ainda o New England Patriots de brinde na semana 10, em Foxborough. Por essas e outras, mesmo com a defesa sensacional, o time vai ter que melhorar muito no ataque em relação à temporada passada e ainda ficar esperto com possíveis segundos colocados na AFC – Baltimore Ravens, Cincinnati Bengals, Miami Dolphins, Houston Texans/Tennessee Titans. Além, é claro, da possibilidade de Chiefs e Raiders somarem mais uma vez duplo-dígito em vitória.

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top