NFL

Prévia Denver Broncos 2019: novo treinador, novo QB e uma melhora?

Denver Broncos

Depois da conquista do Super Bowl 50, o Denver Broncos trocou duas vezes de treinador, passou por uma roleta de quarterbacks e não voltou mais para a pós-temporada, tendo campanhas pífias de cinco e seis vitórias depois de não conseguir defender ao título ao terminar 9-7 em 2016.

Agora com novas caras e um pass rush de meter medo, será que os Broncos podem subir de rendimento na AFC West, que é, provavelmente, a melhor divisão da liga?

Categoria: Eu tenho que assistir?
Campanha em 2018: 6-10
Projeção para 2019: 7-9
O que me faz sorrir: Von Miller and Bradley Chubb
O que me faz ter calafrios: Quem vai anotar os TDs?

Mesmo que o Quinto Quarto não recomende, o Denver Broncos vai ser televisionados várias vezes ao longo de toda temporada. A franquia é muito valiosa e, mesmo que não seja uma das grandes favoritas, pode surpreender em uma partida ou outra. Fato é que o time tem bons nomes, mas falta conjunto e elenco.

E os Broncos apostaram em Joe Flacco para comandar o ataque. Campeão do Super Bowl com os Ravens, Flacco nunca mais foi o mesmo, mas ainda pode fazer um temporada decente. O problema é que ele chega como o salvador da equipe, que foi um fiasco em 2018. Aos 34 anos, o QB parece estar livre de dores e com o braço forte.

Só que não basta ter Flacco para lançar e poucas peças para fazerem a recepção. O eterno Emmanuel Sanders é uma escolha quase garantida, enquanto DaeSean Hamilton parece ser o número dois. Courtland Sutton pode ajudar. Daí pra frente, salve-se quem puder.

Sem falar que a equipe vem com um novo comandante. Vic Fangio chega para salvar a temporada, mas ele já chega pressionado, visto que o time não faz nada há dois anos e ainda chega com novos esquemas ofensivos e defensivos. Caso a temporada comece mal (Raiders, Bears e Packers nas três primeiras semanas), tudo pode ir por água abaixo bem rápido.

Vocês devem estar se perguntando sobre Von Miller e a defesa dos Broncos. Isso deve ser o menor dos problemas, ainda mais que Fangio vem de comandar a defesa dos Bears, que arrasou em 2018.

O que me faz salivar (mais do que bolo de chocolate)

Fangio tem um currículo forte como coordenador defensivo, mais recentemente em Chicago, e isso deve continuar no Denver Broncos. Os Bears foram o terceiro time em defesa total em 2018 e lideraram o campeonato em defesa de pontos, turnovers criados e interceptações, fora liderar a NFC em sacks.

Só que essa será a primeira vez de Fangio como treinador principal. Desde 1995, “O Poderoso Chefão” sempre foi coordenador defensivo. É uma diferença enorme, mas a defesa dos Broncos está em boas mãos.

Fangio herda um grupo liderado por Von Miller e Bradley Chubb. Miller teve 14.5 sacks na temporada passada e é o líder da franquia em sacks na carreira (98) e sacks em uma temporada (18,5). Ele foi o MVP do Super Bowl em 2015, a última vez que o Broncos foram aos playoffs. Mantendo-se saudável, Miller é garantia de tormento para os QBs adversários.

Chubb teve 12 sacks na última temporada, a maioria por um novato da NFL desde que Aldon Smith, de São Francisco, teve 14 em 2011. Coincidência ou não, Fangio foi o coordenador defensivo dos 49ers naquele ano.

Em 2018, a defesa do Broncos ficou entre os 10 melhores em interceptações e sacks, então Fangio tem muito com o que trabalhar. Chris Harris Jr. e Bryce Callahan são os nomes fortes da secundária, que deve melhorar com o novo treinador.

A linha de frente tem Derek Wolfe, Adam Gotsis, Shelby Harris e DeMarcus Walker, o mais promissor deste bom conjunto.

O que me deixa com nojo (mais do que a mão de Joakim Löw)

Só que não basta defender, alguém tem que marcar pontos. Elway está apostando que a recente perda de rendimento de Flacco está simplesmente relacionado às lesões. Elway fez algo muito parecido quando contratou Peyton Manning em 2012, depois de uma lesão complicada no pescoço. Claro que Flacco não é Manning, mas Elway tem estrela.

Os números de Flacco caíram em sua última temporada completa como titular em 2017 com os Ravens. Em 2018, por causa de uma lesão no quadril, ele jogou apenas os nove primeiros jogos. E não podemos nos esquecer, Flacco já teve um dos melhores braços da liga.

E os Broncos precisam de qualquer QB, e Flacco era um dos melhores disponíveis no mercado. A franquia foi a 24ª em pontuação na última temporada. Trevor Siemian e Case Keenum não foram a resposta. Sem falar que não basta alguém lançar a bola, é preciso ter receptores.

Courtland Sutton e DaeSean Hamilton impressionaram no ano passado como complemento a Emmanuel Sanders, e o Broncos se beneficiaria se pelo menos um desse o próximo passo, dado o histórico de lesões de Sanders. O novato Troy Fumagalli pode ser uma nova alternativa.

O corredor Phillip Lindsay foi uma surpresa ao tornar-se titular no meio da temporada passada, correndo por 1.037 jardas e nove touchdowns com uma média de 5,4 jardas por carregada. Ele foi o primeiro novato não escolhido no draft na história da liga a fazer parte do Pro Bowl em sua primeira temporada. Qualquer coisa, Royce Freeman também tem recursos para correr pelos Broncos.

Para me amar ou xingar (o porquê da minha projeção para a próxima temporada)

Tirando a partida contra os Raiders, Browns, Colts e Bills, os Broncos não entram como favoritos. Fora que dentro da divisão, a franquia de Denver terá quatro jogos complicados contra Chargers e a sensação Chiefs. O time pode sair zerado desses quatro confrontos, mas uma ou duas vitórias daria um fôlego enorme.

A briga com os Raiders parece ser no mesmo patamar. Duas vitórias e o time subirá na tabela. Mesma coisa contra os Jaguars e Titans, jogos cruciais para o Denver Broncos. De resto, a franquia terá muito, mas muito trabalho. Os Texans são um time melhor também e irão jogar em casa.

Contra a NFC Norte, quatro jogos muito complicados. Lions, Bears, Packers e Vikings estão um nível acima no ataque e possuem defesas intimidatórias.

 

Comments
To Top