NFL

Prévia Baltimore Ravens 2017: equipe em xeque, defesa forte e ataque desfigurado

Prévia Baltimore Ravens

Depois de mais um ano decepcionante, o Baltimore Ravens entra na temporada de 2017 com muita pressão. Apesar de o proprietário Steve Bisciotti não ter dito que era tudo ou nada para o head coach John Harbaugh, mais um ano ruim pode ser fatal. Desde que venceu o Super Bowl XLVII, a franquia de Maryland tem desempenho de 31-33 e não foi à pós-temporada em três das quatro temporadas.

Categoria: O que é que vai sair disto?

Desempenho em 2016: 8-8

Previsão nada científica: 9-7

Linha de Las Vegas (você pode apostar em mais ou menos vitórias que o número a seguir): 9

Jogadores de Pro Bowl em 2017: Justin Tucker, Marshal Yanda, C.J. Mosley, Kyle Juszczyk, Elvis Dumervil, Morgan Cox, Sam Koch

Quem pode se juntar a essa lista: Tony Jefferson, Eric Weddle

Enquanto tem uma das melhores defesas de toda a liga, o Baltimore Ravens sabe que seu ataque poderá deixá-lo na mão ao longo da temporada e esse será o primeiro assunto abordado nesta prévia. Um ponto a se destacar é que a diretoria da franquia de Maryland fez pouco para reforçar seu ataque e usou suas quatro primeiras escolhas de draft para fortalecer a defesa.

A primeira questão começa no quarterback Joe Flacco. Aparentemente a eterna discussão sobre se o jogador de 32 anos é um grande signal caller acabou e deu para perceber que ele é um atleta que segura o tranco, mas não é sensacional. Além disso, a grande dúvida é: Flacco – que teve sua temporada de 2015 encerrada por lesão nos ligamentos do joelho – conseguirá voltar a sua melhor forma e irá finalmente conseguir ter entrosamento com seus wide receivers? A princípio o ano não começa promissor neste quesito, já que o quarterback está lesionado e quem vem atuando na pré-temporada é Ryan Mallett, que já se mostrou muito instável. Além disso, o ataque no geral não colabora muito. Flacco ainda não foi bem em 2016 e não mostrou bom entrosamento com seus recebedores.

Para começar a linha ofensiva dos Ravens deixa a desejar. Mesmo tendo um left tackle (Ronnie Stanley) e um right guard (Marshal Yanda) acima da média, as outras posições são pontos de interrogação. O left guard Alex Lewis, que pode mudar de posição, mostrou alguns momentos de bom futebol americano, entretanto muito precisará ser feito para ajudar no jogo corrido – que foi o 28º melhor em jardas por jogo em 2016 – e na proteção do quarterback. O center John Urschel, que também tinha mostrado bom jogo, se aposentou nesta offseason.  Vale lembrar também que o right tackle Rick Wagner deixou a equipe e o center Jeremy Zuttah, que tinha sido trocado com o San Francisco 49ers, já voltou.

As armas de Joe Flacco – que passou para 4,317 jardas, 20 touchdowns e 15 interceptações em 2016 – também não são as melhores. Os corvos não se mexeram para achar um substituto para Steve Smith Jr., que se aposentou, e para Kamar Aiken, que foi para o Indianapolis Colts. Mike Wallace e Breshad Perriman serão os principais wide receivers. O primeiro não conseguiu fazer muito impacto desde a semana 2 da última temporada e o segundo precisa finalmente dar o salto e se tornar um recebedor importante, justificando sua escolha na primeira rodada do draft de 2015. Para ajudar, Jeremy Maclin foi contratado e ele será uma boa opção de passe. Chris Moore também é uma boa opção.

Os problemas não param por aí. O tight end Dennis Pitta, que tem histórico de lesões, foi dispensado após deslocar o quadril, deixando Flacco sem um de seus alvos preferidos (quando conseguia estar em campo). O que não ajuda também é o fato de Darren Waller ter sido suspenso. Caberá agora ao veteraníssimo Benjamin Watson (36 anos), Maxx Williams e Nick Boyle disputarem a vaga e se firmarem como tight end titular.

No jogo corrido, o versátil fullback Kyle Juszczyk deixou a equipe. O canivete suíço Danny Woodhead chega para substituí-lo e ser uma ameaça dupla. Além disso, os Ravens terão Terrance West e Kenneth Dixon, que foram os jogadores que tiveram mais jardas corridas no ano passado, mas nenhum deles teve mais de 800 jardas.

Apesar dos diversos problemas, a velocidade dos wide receivers poderá possibilitar Joe Flacco conseguir boas jardas e Danny Woodhead ajudará a equipe a aliviar a pressão sobre o seu quarterback. Além disso, a defesa – que só cedeu 322 jardas por jogo em 2016 – deverá carregar o time nos ombros e será ajudada pelas equipes especiais, que poderão ser o grande diferencial. Com isso, os comandados de John Harbaugh devem conseguir melhorar um pouco o seu desempenho em relação à última temporada. Então, vamos agora para a melhor parte desta equipe, que é o que justifica a previsão de nove vitórias.

Prévia Baltimore Ravens: defesa que ninguém passa

Vamos falar de coisa boa? A defesa do Baltimore Ravens mais uma vez entra em uma temporada com uma das melhores da liga e começaremos falando do filé. A franquia de Maryland provavelmente tem a melhor dupla de safeties da liga após contratar Tony Jefferson, que possibilitará Eric Weddle a fazer o que ele mais sabe fazer – ler os quarterbacks adversários. Segundo o Pro Football Focus, Weddle foi ranqueado como o melhor safety de 2016, além de ter sido o melhor jogador de secundária e o quarto melhor defensor. Já Jefferson tem a segunda melhor marca em defesa contra corridas e corridas paradas.

A secundária terá o desfalque de Tavon Young – que rompeu o ligamento do joelho durante o treino –, entretanto o calouro Marlon Humphrey, Brandon Boykin e Brandon Carr deverão formar um bom time de cornerbacks. Se ficar saudável, Jimmy Smith também irá ajudar.

No front seven, os corvos perderam Zachary Orr, Timmy Jernigan e Lawrence Guy. Contudo, C.J Mosley, Michael Pierce, Terrell Suggs e Brandon Williams irão ajudar o time a combater o jogo corrido adversário. Irão se juntar aos veteranos os calouros Chris Wormley, Tyus Bowser e Tim Williams. Este, apesar de ter sido uma escolha de quarta rodada, é muito bom pressionando o quarterback adversário e deverá trabalhar no lado oposto de Terrell Suggs.

Prévia Baltimore Ravens: especialistas em alta

Se o ataque deixa a desejar e a defesa pode carregar o time, o treinador John Harbaugh tem mais uma arma para ajudar na temporada de 2017. As equipes especiais do Baltimore Ravens são muito fortes e podem decidir partidas apertadas. Começando pelo principal nome, Justin Tucker parece que sempre está melhor e é um dos melhores kickers da liga, se não o melhor. Em 2016, ele acertou 38 dos 39 field goals e, em sua carreira, ele acertou oito de 19 field goals de 50 ou mais jardas. O destaque vai para o fato de ele ter acertado seus 10 chutes de mais de 50 jardas em 2016.

A equipe de Maryland ainda conta com Sam Koch, que é um bom punter e faz uma grande dupla com Tucker. Koch pode até não ser um nome badalado, mas ele trabalha muito bem anulando os retornos das equipes adversárias. Os Ravens também têm um bom jogo de retornos.

Prévia Baltimore Ravens: tabela

Se quiser brigar por algo o Baltimore Ravens não poderá desperdiçar suas oportunidades. Apesar do Cleveland Browns ter se reforçado, essas duas partidas têm que se transformar em vitórias. Os confrontos contra Jacksonville Jaguars, Miami Dolphins, Chicago Bears e Tennessee Titans também precisam terminar com um resultado positivo.

Além dos confrontos contra os rivais de divisão Pittsburgh Steelers e Cincinnati Bengals, os comandados de John Harbaugh terão duas partidas muito duras: contra o Oakland Raiders e contra o Houston Texans. Os jogos contra Colts, Lions e Vikings podem pender para os dois lados.

Comments
To Top