NFL

Prévia Atlanta Falcons para a temporada 2018

previa Atlanta Falcons

Depois de ter o melhor ataque da National Football League na temporada 2016, sendo esse o principal fator responsável pelo time ter chegado ao Super Bowl LI, o Atlanta Falcons teve um grande regresso ofensivamente falando. Isso mesmo sem ter perdido peças importantes no ataque.

Então quem foi o principal culpado? O coordenador ofensivo Steve Sarkisian, sem dúvidas. E ele segue no cargo nesta temporada.

Categoria: Só esperando os favoritos tropeçarem
Desempenho em 2017: 10-6
Falamos que teria: 10-6 (na lata)
Previsão nada científica para 2018: 11-5
Linha de Las Vegas (você pode apostar em mais ou menos vitórias que o número a seguir): 9
Jogadores de Pro Bowl em 2017: Julio Jones, Alex Mack, Deion Jones e Keanu Neal

Sarkisian assumiu a liderança do ataque depois que o gênio ofensivo Kyle Shanahan deixou o cargo para assumir a vaga de head coach do San Francisco 49ers. E a diferença foi brutal de um ano para o outro.

O time foi do melhor em pontos (33,8 pontos por jogo) e segundo melhor em jardas (415,8) em 2016 para apenas o 15º em pontos (22,1 por jogo) e oitavo em jardas (364,8) em 2017.

Diferença grande, não é mesmo? E o que o Atlanta Falcons pode fazer para compensar um coordenador ofensivo limitado é adicionar peças boas a um ataque que já era poderoso.

A boa notícia é que a franquia da Geórgia conseguiu e é sobre isso que vou falar agora.

O que me faz sorrir no Atlanta Falcons

O ataque dos Falcons é simplesmente um primor e é um dos que mais me enchem os olhos. Há bons talentos em todas as posições e até alguns jogadores bem acima da média. Vamos falar setor por setor.

A começar pelo quarterback titular Matt Ryan, que encheu os bolsos de dinheiro nesta offseason e deve ganhar uma motivação adicional para compensar um grande regresso em 2017 (ele é uma vítima de Sarkisian, afinal).

Após faturar o prêmio de MVP em 2016, quando acertou 69,9% de seus passes para 4.944 jardas, 38 touchdowns e sete interceptações, Ryan viu todos os seus números piorarem no ano passado (64,7% para 4.095 jardas, 20 touchdowns e 12 interceptações). Agora, ele terá uma nova arma no corpo de wide receivers.

Calvin Ridley foi selecionado na primeira rodada do draft, com a 26ª escolha geral, e ele chega para ‘causar’ ao lado de Julio Jones no ataque. O novato é excelente percorrendo rotas e é dono de uma velocidade e agilidade tremenda. Sua transição para o profissional deve ser suave e trazer resultados imediatos.

Falando em Jones, nem é preciso falar muito sobre o astro ofensivo dos Falcons. Ele vem de uma temporada 2017 em que fez 88 recepções para 1.444 jardas e três touchdowns. Em sete anos na NFL até agora, ele soma cinco temporadas com mais de mil jardas recebidas.

Outra boa notícia para os Falcons é que o backfield continua forte, com o sensacional Devonta Freeman liderando as ações e um bom coadjuvante como Tevin Coleman preparado para dividir as carregadas.

Também temos que destacar que a linha ofensiva dos Falcons segue intacta. E essa é uma excelente notícia, já que estabilidade neste setor é quase que sinônimo de qualidade.

O center Alex Mack, um dos melhores da liga em sua posição, segue ancorando a OL dos Falcons. Os Falcons trouxeram o guard Brandon Fusco, ex-San Francisco 49ers, que pode não ser ótimo, mas deve jogar e representar uma melhoria na função de right guard em relação a Wes Schweitzer.

O left guard Andy Levitre também volta depois de perder a temporada passada com uma ruptura no tríceps e deve fazer um trabalho muito bom.

Os tackles são outro ponto positivo, com Jake Matthews pela esquerda sendo um nome de grande qualidade e Ryan Schraeder pela direita também dando muitos motivos para alegrias.

O que me faz chorar

A linha defensiva é um dos setores mais frágeis do time, sobretudo o interior. Grady Jarrett é um bom defensive tackle, mas o time perdeu Dontari Poe durante a free agency e quem chega para ajudar a substituí-lo é o calouro Deadrin Senat, selecionado na terceira rodada do draft.

Colocar um calouro em campo esperando que ele apresente resultados imediatos é um tanto quanto arriscado, mas vale lembrar que Atlanta não possui muitas opções na rotação de defensive tackles, com Jack Crawford e Joey Ivie entre o grupo.

Ao menos as pontas da linha são de mais qualidade. Apesar da saída do bom Adrian Clayborn, os Falcons ainda contam com Vic Beasley Jr. e com o jovem Takkarist McKinley, que vem de uma temporada de calouro boa em 2017, quando somou seis sacks.

Produção, o que foi isso?

Eu posso parecer repetitivo, mas como o Atlanta Falcons manteve Steve Sarkisian no cargo? O regresso ofensivo foi visível em 2017 em relação ao ano anterior e o ataque de Atlanta foi uma espécie de Ferrari sendo guiada por um garoto de 14 anos de idade que não sabe nem ligar o motor.

O torcedor de Atlanta espera que Sarkisian tenha aprendido com os erros e mostre alguma evolução visível em 2018. Caso contrário, ele pode não chegar nem à metade da temporada. Isso sendo otimista.

Por que fiz a previsão de 11 vitórias

Gente, o ataque e ótimo, a defesa é jovem e de qualidade, o time conta com o ótimo kicker Matt Bryant. Mas olhem a tabela do Atlanta Falcons neste ano. Sobretudo na reta inicial.

O time pega o atual campeão Philadelphia Eagles (fora), no kickoff, depois tem uma sequência contra Carolina Panthers (casa), New Orleans Saints (casa), pega o Cincinnati Bengals (casa) em um jogo um pouco mais fácil, e depois enfrenta o Pittsburgh Steelers (fora). Três ou quatro derrotas nesta sequência já pode deixar o time em uma situação bastante delicada.

Realmente, o ano não vai ser nada fácil, mas ainda assim dá para vencer 10 ou 11 jogos com esse ataque sensacional e com a talentosa defesa. Infelizmente para os Falcons, eles estão na NFC South e um 11-5 pode não ser suficiente para o título de divisão.

Tabela Atlanta Falcons 2018

Comments
To Top