NFL

Prévia Arizona Cardinals 2019: novo treinador, novo QB, diversão chegando?

A era Carson Palmer e Bruce Arians acabou e após um ano perdido com Steve Wilks e Josh Rosen, chegamos em mais uma nova fase no Arizona. Kliff Kingsbury chegou e já caiu no colo logo Kyler Murray com a primeira escolha para poder fazer o que eles mais gostam. O time tem tudo para ser bem divertido, por mais que não cheguem nem perto dos playoffs.

Categoria: Pena que nossa divisão é uma desgraça
Campanha em 2018: 2-14
Projeção para 2019: 5-11
O que me faz sorrir: o ataque de Kingsbury e Murray será divertido
O que me faz ter calafrios: ainda faltam peças, especialmente na OL

Não me entenda mal, eu adoraria ver Kingsbury e Murray darem certo logo de cara, mas não é realista esperar isso. A NFC West deve ter o Los Angeles Rams como dono novamente e mesmo que o Seattle Seahawks caia, o San Francisco 49ers deve ser o time que sobe. A NFC como conferência também é um pesadelo e uma vaga de wild card será complicada.

O problema de Kingsbury no college foi ter um time incrível no ataque – ajuda ter um tal de Patrick Mahomes – mas estar sempre com uma defesa entre as piores do país. Ele vai ter Vance Joseph como coordenador defensivo para não ter que se preocupar nem com saber quem é linebacker e quem é safety. O problema é implantar um ataque (o chamado Air Raid) com treinos limitados na offseason. Está claro que a evolução vai ter que vir semana a semana mesmo e o começo deve ser complicado.

O que me faz salivar (mais do que bolo de chocolate)

O ataque já tem skill players para fazer uma fogueirazinha nas defesas adversárias. Murray é uma ameaça assim como Lamar Jackson foi em 2018, sempre podendo decolar e acabar com a marcação rival. Ele ainda tem David Johnson, que apesar de não ter conseguido repetir as performances de suas duas temporadas iniciais nas duas seguintes, é uma ameaça pelo chão e ar, Christian Kirk (deve crescer após flashes na temporada de calouro) e o eterno Larry Fitzgerald no que parece ser sua despedida.

O time draftou Hakeem Butler –  mas com uma lesão na mão ele pode perder o ano – e Andy Isabella e ainda trouxe Michael Crabtree nas últimas semanas. Tudo para poder usar e abusar de três e quatro wide receivers nas suas formações.

Ou seja, vai tudo ser muito divertido. Para quem lembra do primeiro ano de Chip Kelly nos Eagles, podemos ter algo parecido agora.

O que me deixa com nojo (mais do que a mão do Joachim Löw)

O que pegou para os Cardinals nesses dois últimos anos foi justamente esses oasis de talento mas pouca profundidade de elenco. Sim, tem Chandler Jones. Claro, tem Patrick Peterson. Ok, Fitzgerald ainda faz acontecer. Mas lesões sempre chegam e contratações de veteranos e escolhas altas de draft não funcionaram (olá Robert Nkemdiche).

Além disso, a linha ofensiva será um verdadeiro problema neste ano, assim como foi em 2018. Não é nível Seahawks dois anos atrás, mas pode ter certeza que veremos muitas cenas de Murray tentando fugir do sack e sofrendo com pressão. Aliás já deu para ver isso em sua estreia na pré-temporada.

É o ano 1 de uma reconstrução que começa empolgante. Então é de se entender.

Para me amar ou me xingar (o porquê da minha projeção para a temporada)

Os Cardinals não são terra arrasada e começar com um duo empolgante já é uma excelente notícia. Os Browns começaram sua última reconstrução tentando reanimar a carreira de Robert Griffin III e Hue Jackson como treinador. Claro que à época Griffin e Brown não eram opções deprimentes, mas eles já tinham dado mostras que as posições de head coach e QB titular podiam ser demais.  É mais fácil encher um estádio com Kingsbury e Murray chegando do College, em suma.

arizona cardinals calendario 2019

O problema dos Cardinals é que a divisão é realmente complicada, com uma força clara, um time com um QB de elite e que foi aos playoffs em 2018 e os Niners mais adiantados na sua reconstrução que os Cardinals. Os duelos com a AFC North e NFC South não ajudam, já que falamos de partidas contra Saints e Browns, dois elencos talentosos, e bons times em Steelers, Ravens, Panthers e Falcons.

Dá para chegar em cinco vitórias (Lions, Giants, Bucs e 2-4 na divisão?), mas pensar mais que isso neste começo é demais.

Comments
To Top