NFL

Prazo termina e Bell, Cousins e Trumaine Johnson não fecham contratos longos

Le'Veon Bell, running back do Pittsburgh Steelers

(Crédito: Twitter/reprodução)

O prazo para jogadores que receberam a franchise tag nesta offseason assinarem contratos de longa duração com seus times terminou às 17h (de Brasília) desta segunda-feira (17) e o running back Le’Veon Bell, do Pittsburgh Steelers, o quarterback Kirk Cousins, do Washington Redskins, e o cornerback Trumaine Johnson, do Los Angeles Rams, não selaram acordos com suas respectivas equipes.

Já era cotado como improvável que os três fossem receber extensões antes do deadline.

Sem os acordos, significa que os três atletas vão atuar sob a franchise tag na temporada 2017, um acordo de um ano de duração, e eles não serão capazes de negociar contratos mais longos com as franquias antes do término do próximo campeonato.

Dito isto, o Quinto Quarto dá um resumo da situação dos três jogadores:

– Le’Veon Bell – running back do Pittsburgh Steelers

O running back dos Steelers será o mais bem pago de sua posição na próxima temporada, mas ele não terá a segurança de trabalhar sob um contrato mais longo. O camisa 26 vai atuar em 2017 sob a tag exclusiva no valor de US$ 12,12 milhões. Na próxima offseason, a franquia da Pensilvânia tem a opção de aplicar a franchise tag novamente, o que renderia um valor de cerca de US$ 14 milhões ao atleta, ou acertar um contrato longo com o jogador.

“Infelizmente, não conseguimos chegar a um acordo nos termos de um contrato de longa duração com Le’Veon Bell antes do prazo. Le’Veon deve jogar este ano sob a Franchise Tag Exclusiva. Vamos retomar nossos esforços para resolver sua situação contratual após a temporada 2017”, declarou o general manager Kevin Colbert em nota oficial.

Bell ainda não assinou seu acordo de franchise tag e, enquanto ele não assinar a proposta, ele não é obrigado a comparecer ao training camp, que começa no dia 27 de julho.

Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, noticiou nesta segunda que Bell e os Steelers não chegaram um acordo apesar das intensas negociações antes do prazo final. O jornalista acrescenta que Pittsburgh fez uma “oferta muito lucrativa e de boa fé” a Bell que renderia ao jogador mais de US$ 12 milhões por ano. O problema, contudo, segundo Rapoport, era a quantidade de dinheiro garantido em contrato.

O valor que Bell vai faturar nesta próxima temporada supera em US$ 4 milhões a média que LeSean McCoy, running back do Buffalo Bills, está faturando em seu contrato de cinco anos, com valor de US$ 40 milhões.

Em entrevista à ‘ESPN’ norte-americana nesta segunda, o running back deixou claro que pretende conquistar um contrato maior porque deseja se sentir mais valorizado. Bell confirmou que vai atuar sob a tag, mas frisou que ainda não tem certeza de quando vai assinar a proposta e nem quando vai se apresentar para o camp.

“É um pouco frustrante, mas é um negócio. Eu não tenho pressa de assinar algo no qual não sou valorizado, se eu sentir que valho mais do que o que estão me oferecendo”, falou. “Eu quero ser valorizado”, frisou.

Bell também disse que as negociações com os Steelers não foram pessoais e que a franquia não tentou derrubá-lo durante o processo devido às suas lesões passadas. O camisa 26 segue otimista de que ambas as partes conseguirão acertar uma extensão de contrato após a temporada 2017.

Le’Veon Bell ainda acredita que ele vai definir um novo padrão para um mercado de running backs que anda estagnado atualmente.

“O mercado de running backs definitivamente tomou uma pancada e eu não posso ser o cara que continua a seguir isso. Nós fazemos tudo. Nós bloqueamos, corremos, recebemos a bola. Nosso valor não está onde precisa estar. Estou assumindo a responsabilidade de abrir alguns olhos e mostrar que a posição é mais valiosa”, observou.

Atualmente com 25 anos de idade, Bell é um RB versátil e de muito talento. Em 47 jogos de temporadas regulares em sua carreira, ele correu 908 vezes para 4.045 jardas e 26 touchdowns, além de ter feito 227 recepções para 2.005 jardas e cinco TDs. Ele tem uma impressionante média de 128,72 jardas a partir da linha de scrimmage.

– Kirk Cousins – quarterback do Washington Redskins

Kirk Cousins vai se tornar o primeiro quarterback da história da NFL a jogar sob a franchise tag pelo segundo ano consecutivo e ele vai faturar US$ 23,9 milhões na temporada 2017. Os Redskins disseram em várias oportunidades que desejam manter Cousins na franquia por muito tempo, mas as duas partes não foram capazes de chegar a um aperto de mãos nesta offseason.

Segundo fontes, as ofertas feitas pelo time da capital dos Estados Unidos nesta offseason não agradaram o signal caller e seus representantes. Os Redskins ofereceram um acordo de cinco anos com valor de, aproximadamente, US$ 20 milhões por temporada, mas o contrato incluía “baixas garantias”. Outra proposta incluía apenas uma temporada de dinheiro garantido além do dinheiro garantido da tag em 2017. Também não interessou.

Sabendo que o QB faturaria US$ 23,9 milhões sob a tag, os representantes de Cousins não fizeram uma contraproposta à oferta inicial. Agora, o quarterback ou será um agente livre em 2018 ou terá que ser marcado de novo sob a franchise tag pelo terceiro ano consecutivo, que custaria US$ 34,5 milhões. Também haveria a opção da transition tag, no valor de US$ 28,7 milhões garantidos, mas nesse caso o jogador poderia receber propostas de outros times e os Redskins teriam a opção de igualar a oferta se quiserem manter o atleta.

A ‘ESPN’ norte-americana noticiou neste final de semana que o quarterback está aberto à ideia de negociar um novo contrato com o time na próxima offseason. Caso fique disponível no mercado, com certeza haverá muitos times interessados em contar com seus serviços.

Bruce Allen, presidente dos Redskins, disse que Cousins é “obviamente importante para nosso time e torcedores” e falou mais sobre as negociações em nota oficial.

“Nosso objetivo era fechar um contrato de longo prazo com Kirk com o objetivo final de vê-lo encerrar sua carreira com os Redskins. No dia 2 de maio, logo após o draft, fizemos a Kirk uma oferta que incluía o maior valor garantido a um quarterback na história da NFL na ocasião da assinatura (US$ 53 milhões) e um total garantido de US$ 72 milhões por lesão. O acordo teria o tornado ao menos o segundo jogador mais bem pago em média por ano na história da NFL”, disse o executivo. “Mas, apesar de nossas tentativas repetidas, não recebemos nenhuma oferta do agente de Kirk neste ano. Kirk deixou claro que prefere jogar ano a ano. Embora teríamos gostado de fechar um contrato de longo prazo antes da temporada, aceitamos a decisão dele”, completou.

Atualmente com 28 anos de idade, Kirk Cousins foi selecionado na quarta rodada do draft de 2012 pelo Washington Redskins, com a 102ª escolha geral, mas ele só se tornou titular do time em 2015, quando teve uma excelente temporada, acertando 69,8% de seus passes para 4.166 jardas, 29 touchdowns e 11 interceptações, levando o time aos playoffs.

No ano passado, mesmo sem classificação à pós-temporada, ele manteve o bom nível de atuações e acertou 67% dos lançamentos para 4.917 jardas, 25 touchdowns e 12 interceptações.

– Trumaine Johnson – cornerback do Los Angeles Rams

Menos cotado para chegar a um acordo de longa duração com seu time nesta offseason, o cornerback saiu sem um novo contrato com os Rams. Ele vai faturar US$ 16,7 milhões em 2017 sob a tag de um ano de duração, sendo assim atualmente o CB mais bem pago da NFL.

O Los Angeles Rams tentou trocar Johnson nesta offseason, mas nenhum negócio se concretizou. E o jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, caracterizou as conversas de extensão de contrato como “menos frutíferas” do que as negociações de troca.

Atualmente com 27 anos de idade, Trumaine Johnson foi selecionado na terceira rodada do draft de 2012 pelos Rams, com a 65ª escolha geral, e ele soma 16 interceptações (duas retornadas para touchdown), 53 passes desviados e 263 tackles combinados em 69 jogos na carreira.

Ele vem de uma temporada mediana em 2016, quando fez uma interceptação, desviou 11 passes e fez 57 tackles combinados em 14 partidas.

Confira os jogadores que assinaram contratos longos depois de serem marcados com a franchise tag neste ano:

– Melvin Ingram: o defensive end acertou um contrato de quatro anos com o Los Angeles Chargers, com valor total de US$ 66 milhões (US$ 42 milhões garantidos);

– Chandler Jones: o outside linebacker acertou um contrato de cinco anos com o Arizona Cardinals, com valor de US$ 82,5 milhões (US$ 53 milhões garantidos);

– Jason Pierre-Paul: o defensive end acertou um contrato de quatro anos com o New York Giants, com valor de US$ 62 milhões (US$ 40 milhões garantidos);

– Kawann Short: o defensive tackle acertou um contrato de cinco anos com o Carolina Panthers, com valor de US$ 80,5 milhões (US$ 45 milhões garantidos);

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top