NFL

Pittsburgh Steelers e a offseason que deixou as fraturas expostas

Le'Veon Bell, running back da NFL, e o quarterback Ben Roethlisberger

(Crédito: Twitter/reprodução)

Não está nada fácil lá para os lados do Heinz Field. O Pittsburgh Steelers vem enfrentando uma offseason das mais complicadas de sua história. Bastante em termos de elenco, mas ainda mais no aspecto da imagem pública.

Nas últimas semanas, Antonio Brown foi o nome que mais apareceu nas manchetes da National Football League. Depois de não comparecer ao treino antes do jogo contra o Cincinnati Bengals, na semana 17 da temporada 2018, a novela começou.

Brown deu chilique na reta final do último campeonato, deixou claro que queria ser trocado, teve uma reunião com Art Rooney II para aparar as arestas e, finalmente, conseguiu o novo time que tanto desejava. Agora, ele vai mostrar todo o seu talento na Califórnia.

Antes de ser trocado, contudo, AB malhou o Judas (leia-se Ben Roethlisberger), tecendo duras críticas ao quarterback titular dos Steelers. O general manager Kevin Colbert então saiu em defesa do camisa 7 e afirmou que Big Ben tem 52 filhos (referindo-se aos jogadores do elenco). E isso deu muito pano pra manga.

E não é apenas Brown que deixou evidente todo o seu descontentamento com a franquia da Pensilvânia e (sobretudo) seu quarterback.

Agora foi a vez de Le’Veon Bell.

Em uma longa entrevista à jornalista Jenny Vrentas, da ‘Sports Illustrated’, que foi publicada nesta quarta-feira (20), o running back (agora no New York Jets) admitiu que o modo como Roethlisberger lidera as coisas em Pittsburgh foi um grande fator no seu desejo de deixar a organização.

Bell frisou que Big Ben não foi o único motivo, mas disse que “sim, foi um fator”. O running back, que boicotou toda a temporada 2018 devido a uma disputa contratual, observou que tinha problemas com a forma como Roethlisberger exercia seu papel de líder. Vale lembrar que o QB chega até a criticar seus companheiros de equipe em suas aparições semanais na rádio.

“Quarterbacks são líderes; é o que é. (Mas) você ainda é um companheiro de equipe no final das contas. Você não é Kevin Colbert. Você não é (Art) Rooney”, falou Bell na entrevista à ‘SI’.

Bell acrescentou que Roethlisberger é um “grande quarterback”, mas um que muitas vezes leva seus preconceitos e preferências com ele para dentro do campo.

“A organização quer vencer. (Mike) Tomlin quer vencer. Ben quer vencer – mas Ben quer vencer da sua maneira, e é difícil jogar assim. Ben ganhou um Super Bowl, mas ele ganhou quando era mais jovem. Agora, ele está nessa fase onde ele tenta controlar tudo, e (o time) o deixa chegar nisso”, pontuou Bell.

Bem, não vou resumir toda a entrevista aqui. Ela é bem longa e vale MUITO a pena ler.

O que eu quero trazer com todos esses fatos que mencionei (e outros como o ex-linebacker James Harrison culpando o técnico Mike Tomlin pelo atual estágio do Pittsburgh Steelers) é que a franquia está certamente em uma das piores fases de sua rica história de seis títulos de Super Bowl.

Uma campanha de 9-6-1 em 2018 escancarou muitos problemas do elenco. E problemas de clima mesmo, já que o time com certeza tinha um dos ataques mais talentosos em toda a liga.

O boicote de Bell fez companheiros criticarem o RB duramente e depois voltarem atrás falando que ele seria bem recebido no vestiário se voltasse. Big Ben claramente não estava se entendendo com Brown como nos anos anteriores. Isso sem falar na falta que um líder como o linebacker Ryan Shazier faz para o Pittsburgh Steelers.

E a offseason, que poderia ter significado um cenário em que a poeira estivesse baixando, simplesmente expôs ainda mais os ossos de um time que está bastante fraturado.

Uma equipe que, neste momento, não sabe a sua real identidade e não sabe se voltará a ser vencedora tão cedo. O último título de Super Bowl foi na temporada 2008 e eu, sinceramente, não vejo o próximo chegando tão cedo.

Já pensou se a ‘prima donna’ maior nunca tenha sido Brown e, sim, Big Ben? Se Bell nunca tenha sido o maior vilão?

Tomlin está agora em meio a um teste de fogo e, aparentemente, não está sabendo reagir.

A offseason mostrou de vez que o Pittsburgh Steelers, hoje, é um time fragmentado.

E quando você vê o Cleveland Browns tomando um rumo melhor do que você, é hora de parar e refletir. Mesmo.

Comments
To Top