NFL

Patriots dispensam kicker Stephen Gostkowski; veja boletim

Stephen Gostkowski, kicker do New England Patriots

O New England Patriots dispensou o kicker Stephen Gostkowski nesta segunda-feira (23), encerrando uma passagem de 14 temporadas do jogador pela franquia de Foxborough.

A decisão abre espaço no teto salarial para os Pats, mas cria um problema adicional ao mesmo tempo. Agora, a equipe precisa encontrar um novo kicker confiável para substituí-lo. O K ia ‘pesar’ US$ 4,8 milhões no salary cap em 2020.

Gostkowski, que está vindo de uma cirurgia no quadril esquerdo que limitou sua temporada 2019 a apenas quatro partidas, era o kicker do time em tempo integral desde 2006, ano em que assumiu o posto para substituir o lendário Adam Vinatieri.

Gostkowski então teve uma caminhada longa e se tornou o líder de pontos da história dos Patriots, com 1.775 anotados.

Atualmente com 36 anos de idade, ele era o jogador mais antigo no elenco dos Pats depois que o quarterback Tom Brady assinou com o Tampa Bay Buccaneers. Agora, o special teamer Matthew Slater (12 temporadas) é o atleta mais longevo por lá.

O NE Patriots, que tem cerca de US$ 23 milhões comprometidos no salary cap para jogadores que não estão sequer mais no elenco (US$ 13,5 milhões só para Brady), não possui mais um kicker atualmente em seu elenco.

Nick Folk fechou a temporada passada com a camisa dos Pats e segue disponível na free agency.

Stephen Gostkowski acertou 374 de 428 field goals com a camisa dos Patriots, um aproveitamento de 87,4%, e converteu 653 de 664 extra points (98%). Esses números não incluem partidas de playoffs, onde ele acertou 31 de 36 field goals e 79 de 83 extra points, mostrando o quanto era confiável nos momentos decisivos.

Apenas Brady (41), Vinatieri (32) e Jerry Rice (29) atuaram em mais jogos de playoffs do que Gostkowski (28), cujos 205 pontos na pós-temporada o deixam em segundo na história, atrás apenas de Vinatieri (238).

Confira mais movimentações importantes na NFL nesta segunda (23):

– O center Travis Frederick, do Dallas Cowboys, anunciou via Twitter que ele está se aposentando após sete anos (seis temporadas jogadas) na National Football League.

Frederick foi titular em todos os jogos possíveis entre 2013 e 2017, foi eleito ao primeiro time All-Pro em 2016 e foi a cinco Pro Bowls, incluindo quatro entre 2014 e 2017. Contudo, em 2018, as coisas mudaram bastante.

O jogador de linha ofensiva viu sua carreira e saúde ficarem ameaçadas quando ele foi diagnosticado com síndrome de Guillain-Barré, uma doença autoimune na qual o sistema imunológico ataca o sistema nervoso do corpo em resposta à enfermidade.

Frederick então perdeu toda a temporada 2018, enquanto recebia tratamento para o problema, e voltou aos gramados em 2019, quando foi selecionado ao seu quinto e último Pro Bowl.

O center listou a sua luta contra a doença como uma razão significativa pela qual ele está pendurando o capacete aos 29 anos de idade. No longo comunicado postado na rede social, ele disse que “não podia mais atuar no meu nível mais alto” e admitiu que sabe que “seus dias como jogador de futebol americano chegaram ao fim”.

Frederick acrescentou que a síndrome de Guillain-Barré o forçou a aceitar o momento em que sua carreira no futebol americano terminaria, dizendo que “surpreendentemente me vi acolhendo o momento”.

“Tenho orgulho do que realizei em minha carreira e saio com a cabeça erguida”, escreveu, também na nota.

– O Carolina Panthers resolveu trocar um quarterback nesta segunda-feira e mandou Kyle Allen para o Washington Redskins.

Segundo o jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, os Redskins mandaram uma escolha de quinta rodada do draft para adquirir Allen. E esse preço recebido pelos Panthers parece ser interessante para um signal caller que vinha perdendo espaço.

A troca se dá depois que os Panthers contrataram P.J. Walker, que brilhou com a camisa do Houston Roughnecks, na XFL, em 2020.

Os Panthers haviam recontratado Allen, que era um free agent de direitos exclusivos, sob contrato de um ano no começo de março.

Atualmente com 24 anos de idade, Allen foi titular em 12 jogos em 2019 no lugar do lesionado Cam Newton. O jovem completou 62% de seus 489 passes para 3.322 jardas (6,8 jardas por tentativa), 17 touchdowns e 16 interceptações. Assim, ele teve um rating nada bom de 80.0.

Em Washington D.C., Allen se junta novamente ao técnico Ron Rivera, que foi seu head coach nos Panthers e foi contratado pelos Redskins em janeiro.

– Em um dia movimentado para os Redskins, o time trocou o cornerback veterano Quinton Dunbar com o Seattle Seahawks por uma escolha de quinta rodada do draft. A informação foi apurada em primeira mão por Josina Anderson, da ‘ESPN’ norte-americana.

Após quatro anos como reserva, Dunbar se tornou um titular em tempo integral pela primeira vez na temporada passada. E ele não decepcionou, somando quatro interceptações (maior marca da carreira) em apenas 11 jogos. O site Pro Football Focus o ranqueou como segundo melhor CB em cobertura e em termos gerais (mínimo de 100 snaps defensivos).

Os Redskins também recontrataram o defensive tackle Caleb Brantley, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. Brantley vestiu a camisa dos Redskins nas últimas duas temporadas.

E o time da capital dos Estados Unidos também anunciou uma série de dispensas: o cornerback Kayvon Webster, o safety Montae Nicholson e os cornerbacks Breon Borders, Dee Delaney e Coty Sensabaugh.

Nicholson foi titular em 13 jogos dos Redskins e somou 61 tackles, enquanto que Webster, ex-titular dos Rams, atuou em apenas dois jogos há um ano.

– O wide receiver Corey Coleman está permanecendo no New York Giants sob contrato de um ano de duração, como apurou a ‘ESPN’.

Depois de assinar um contrato de um ano com os Giants na offseason passada, Coleman sofreu uma ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho durante o training camp e perdeu toda a temporada 2019.

Selecionado na primeira rodada do draft de 2016 pelo Cleveland Browns, Coleman já encarou sete meses de reabilitação e deve estar pronto para os treinos de offseason.

Coleman atuou em 27 jogos na carreira, fazendo 61 recepções para 789 jardas e cinco touchdowns.

– O linebacker Jordan Jenkins vai permanecer no New York Jets sob contrato de um ano de duração. Ele não conseguiu um contrato maior no mercado, como confirmou a ‘ESPN’.

O acordo tem valor de cerca de US$ 5 milhões.

Jenkins foi um dos defensores mais consistentes dos Jets em 2018 e 2019.

Os Jets também estão recontratando o free agent James Burgess. Ele foi titular em 10 jogos do time em 2019 e somou 80 tackles.

– O contrato do quarterback Marcus Mariota com o Las Vegas Raiders é de dois anos, com valor de US$ 17,6 milhões, com um salário-base totalmente garantido de US$ 7,5 milhões no primeiro ano, segundo apurou o jornalista Mike Garafolo, da ‘NFL Network’.

O acordo inclui uma série de incentivos: US$ 2,4 milhões se Mariota atuar em 60% dos snaps em 2020, outro US$ 1,5 milhão está disponível em tempo de jogo por partida e vitórias, US$ 10 milhões estão disponíveis em 2021, US$ 12 milhões em 2021 em aumento de salário e US$ 2 milhões em incentivos por playoffs/Super Bowl a cada ano.

Assim, Tom Pelissero, também da ‘NFL Network’, apurou que o valor máximo do acordo é de US$ 37,5 milhões.

– O acordo do wide receiver Nelson Agholor com os Raiders é um contrato de um ano, com benefício de salário para veteranos, e inclui um bônus de assinatura de US$ 137.500, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. O contrato tem valor de US$ 1.047.500, com US$ 887.500 garantidos.

– O Cincinnati Bengals recontratou o cornerback Torry McTyler, como anunciou o time.

– O New England Patriots está contratando o safety e special teamer Cody Davis, como anunciou o agente do atleta. Davis é um veterano de sete anos de experiência que atuou no Jacksonville Jaguars nos últimos dois anos, após cinco anos nos Rams.

– O linebacker Joe Walker, que teve um bom espaço no Arizona Cardinals em 2019, está fechando um contrato de um ano de duração com o San Francisco 49ers, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. Ele foi titular em 11 jogos e somou 65 tackles na temporada passada.

O pass rusher Kerry Hyder, ex-Dallas Cowboys e Detroit Lions, também fechou um contrato de um ano com os Niners, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

– O New Orleans Saints contratou o defensive end Noah Spence, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. Ele passou metade da temporada nos Redskins no ano passado, somando um sack em sete jogos antes de ser dispensado em novembro.

– O cornerback Jimmy Smith acertou um novo contrato de um ano com o Baltimore Ravens e vai continuar na franquia de Maryland. O acordo tem valor de US$ 6 milhões, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Os Ravens também anunciaram a contratação do safety Anthony Levine sob contrato de um ano de duração.

– O Tennessee Titans está trazendo o linebacker/special teamer Nick Dzubnar sob contrato de um ano, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. Dzubnar passou as últimas cinco temporadas no San Diego/Los Angeles Chargers.

– O Jacksonville Jaguars contratou o defensive tackle veterano Al Woods sob contrato de um ano, com valor de US$ 2,75 milhões, que inclui US$ 1 milhão completamente garantido. A informação é de Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

Woods somou 32 tackles em 14 jogos com o Seattle Seahawks na temporada passada antes de ser suspenso por quatro jogos por violar a política de abuso de substâncias da NFL.

Os Jags também contrataram o defensive end veterano Cassius Marsh sob acordo de um ano de duração e que inclui US$ 600 mil garantidos, de acordo com Pelissero.

Confira as principais contratações da free agency neste boletim do QQ.

Comments
To Top