NFL

Oakland Raiders corta Jordy Nelson e AJ McCarron; veja mais transações

Jordy Nelson, wide receiver da NFL

(Crédito: Twitter/reprodução)

Mesmo depois de dar um bônus de elenco no valor de US$ 3,6 milhões em dezembro ao atleta e do técnico Jon Gruden expressar que o atleta seguiria no time em 2019, o Oakland Raiders dispensou o wide receiver Jordy Nelson nesta quinta-feira (14).

Além do wideout, a equipe californiana também anunciou a dispensa do quarterback AJ McCarron, em movimentações para abrir espaço no salary cap.

Nelson, que completa 34 anos no final de maio, fez 63 recepções para 739 jardas e três touchdowns em 15 jogos disputados em sua única temporada com a camisa dos Raiders.

Aparentemente, as aquisições de Antonio Brown, em troca, e de Tyrell Williams na free agency tornaram Nelson uma peça descartável no ataque de Oakland.

Williams fechou um contrato com valor de até US$ 47 milhões, enquanto que Brown recebeu um contrato de três anos com valor máximo de US$ 54,125 milhões.

Nelson ia ver seu salário-base de US$ 3 milhões para 2019 se tornar completamente garantido neste próximo domingo e ele tinha um ‘impacto’ no salary cap de mais de US$ 5,3 milhões. Com o corte de Nelson, que lidou com um problema no joelho na temporada passada, vai custar US$ 1,8 milhão em dinheiro morto aos Raiders.

Nelson passou as dez primeiras temporadas de sua carreira com a camisa do Green Bay Packers e, ao final da temporada passada, ele se mostrou aberto a atuar pelos Raiders novamente em 2019.

Jordy Nelson entrou na liga ao ser selecionado pelos Packers na segunda rodada do draft de 2008, depois de uma grande carreira na Kansas State University. Em sua carreira profissional até agora, o WR soma 613 recepções para 8.587 jardas e 72 touchdowns.

Em relação a McCarron, ele chegou aos Raiders em uma troca com o Buffalo Bills selada no começo de setembro. O signal caller veio e Oakland cedeu uma escolha de quinta rodada de draft pelo jogador.

Ao cortar McCarron, a organização da Califórnia libera US$ 5 milhões no salary cap.

Agora, Nathan Peterson, que deve faturar um salário-base de apenas US$ 645 mil em 2019, é o único reserva de Derek Carr.

Confira mais movimentações em uma quinta (14) agitada na NFL:

– O Carolina Panthers dispensou o left tackle Matt Kalil, como anunciou a franquia. O jogador de linha ofensiva passou a temporada 2018 na injured reserve devido a uma lesão no joelho.

Kalil, que chegou aos Panthers em 2017 sob contrato de cinco anos, com valor de US$ 55 milhões, ia faturar um salário-base de US$ 7 milhões em 2019.

A franquia da Carolina do Norte vai designar Kalil como corte pós-1º de junho, o que vai liberar cerca de US$ 7,5 milhões no salary cap do time, segundo a jornalista Jourdan Rodrigue, do ‘Charlotte Observer’. Os Panthers, entretanto, terão que arcar com cerca de US$ 15 milhões de dinheiro morto.

Kalil disputou 82 jogos de temporada regular na carreira com as camisas dos Panthers e do Minnesota Vikings (2012 a 2016).

Everson Griffen vai permanecer no Minnesota Vikings. A franquia de Minneapolis acertou um acordo com o defensive end sob um valor reduzido e conseguirá mantê-lo no time, de acordo com informações de Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Griffen vai faturar cerca de US$ 8 milhões em 2019 como parte do novo contrato, o que representa um corte salarial de US$ 3 milhões, de acordo com Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

O defensive lineman ia faturar US$ 10,9 milhões em 2019 antes da reestruturação, e esse valor se tornaria garantido às 17h (de Brasília) desta quinta, minutos depois do acordo sair.

Atualmente com 31 anos de idade, Griffen tem quatro anos remanescentes na extensão de contrato que ele assinou em 2017 e, aparentemente, ele era um candidato a ser cortado. Ainda não se sabe se o restante do contrato de Griffen, que vai até 2022, vai permanecer inalterado.

– Depois de perder Cole Beasley para o Buffalo Bills no início da free agency, o Dallas Cowboys chegou a um acordo de um ano com o wide receiver Tavon Austin nesta quinta e evitou que mais um recebedor deixasse o time. Austin deve ajudar a suprir parte da produtividade perdida no slot.

Os Cowboys adquiriram Austin do Los Angeles Rams durante o draft de 2018 em troca por uma escolha de sexta rodada. O jogador, selecionado com a oitava escolha geral do draft de 2013, fechou o ano com oito recepções para 140 jardas e dois touchdowns, números baixos também devido a uma lesão na virilha que o fez perder nove jogos. Ele também somou seis corridas para 55 jardas com a franquia texana.

– O wide receiver DeSean Jackson está oficialmente de volta ao Philadelphia Eagles, tendo assinado um contrato de três anos até 2021. Jackson foi adquirido pelos Eagles em troca com o Tampa Bay Buccaneers e isso selou o retornou do wideout ao time onde ele começou sua carreira profissional. Philadelphia recebeu Jackson e uma escolha de sétima rodada do draft de 2020 e mandou uma escolha de sexta rodada do draft deste ano aos Bucs.

Em sua carreira, DeSean Jackson, atualmente com 32 anos de idade, soma 589 recepções para 10.261 jardas e 53 touchdowns.

Em outra notícia dos Eagles, o wide receiver Nelson Agholor anunciou que ele vai seguir no time em 2019. Agholor, que foi selecionado na primeira rodada do draft de 2015, deve faturar US$ 9,387 milhões sob a opção do quinto ano de seu contrato e não era garantido que ele fosse seguir em Philly.

– O New York Jets dispensou o running back Isaiah Crowell nesta quinta, decisão que era esperada depois da contratação de Le’Veon Bell para liderar o backfield ofensivo da organização de Nova York.

O corte se dá apenas um ano depois de o running back de 26 anos de idade assinar um contrato de três anos, com valor de US$ 12 milhões, com a equipe. Crowell faturou apenas US$ 4 milhões desse contrato em um ano nos Jets.

O corte de Crowell libera US$ 3 milhões no salary cap dos Jets, mas deixa US$ 2 milhões de dinheiro morto.

– O Pittsburgh Steelers está trazendo de volta o defensive tackle Dan McCullers sob contrato de dois anos, com valor de US$ 2,75 milhões. As informações são de Mike Garafolo, da ‘NFL Network’.

– O New England Patriots está fechando contrato de um ano com o wide receiver Bruce Ellington e um contrato de dois anos com o safety Terrence Brooks, segundo informações de Ian Rapoport, da ‘NFL Network’. Além de Ellington e Brooks, os Pats também estão trazendo o wide receiver Maurice Harris, ex-Washington Redskins, segundo Mike Garafolo, também da ‘NFL Network’.

– O Cincinnati Bengals trouxe o defensive back B.W. Webb sob contrato de três anos, com valor de US$ 13 milhões, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’. Os Bengals serão o sexto time na carreira de seis anos do defensor.

Comments
To Top