NFL

No Huddle – Yannick Ngakoue boicota minicamp do Jacksonville Jaguars

Yannick Ngakoue, defensive end do Jacksonville Jaguars

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O defensive end Yannick Ngakoue, do Jacksonville Jaguars, não vai comparecer ao minicamp obrigatório do time nesta semana porque deseja um novo contrato com a equipe.

“Eu não estarei comparecendo ao minicamp já que meu contrato não foi resolvido. Eu sigo comprometido com Jacksonville, os torcedores e meus companheiros de equipe. Minha esperança é permanecer em Jacksonville por muitos anos”, falou o pass rusher, em comunicado enviado ao jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Ngakoue perdeu partes do programa de condicionamento físico do time, sessões voluntárias de offseason, mas posteriormente ele disse que compareceria às OTAs (organized team activities) e ao minicamp. O defensive end também afirmou que estava disposto a atuar na temporada 2019 mesmo sem um novo acordo e com o risco de perder muito dinheiro caso se lesionasse.

Contudo, Ngakoue participou apenas da segunda OTA e não compareceu a mais nenhuma atividade dos Jags desde então.

– No Philadelphia Eagles, o safety Malcolm Jenkins se apresentou para o teste físico e estará presente no início do minicamp obrigatório da equipe, que começa nesta terça. A informação é do jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Atualmente com 31 anos de idade, Jenkins não esteve presente nos treinos voluntários de offseason e havia dúvidas em relação ao seu comparecimento para o minicamp obrigatório. Ele tem dois anos remanescentes em um contrato que vai pagar uma média de US$ 8,75 milhões por ano, o deixando apenas em nono entre safeties da NFL neste quesito.

– Nem o outside linebacker Jadeveon Clowney, do Houston Texans, e nem o kicker Robbie Gould, do San Francisco 49ers, assinaram as franchise tags com seus respectivos times. E ambos não vão comparecer ao minicamp obrigatório de três dias dos Texans e dos Niners, como noticiou o jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, nesta segunda.

Clowney deseja um contrato de longa duração com os Texans, enquanto que Gould pediu a San Francisco para ser trocado, mas os 49ers não parecem dispostos a atender o pedido.

– O quarterback Carson Wentz, do Philadelphia Eagles, falou com a imprensa pela primeira vez desde sua extensão de contrato de US$ 128 milhões e o signal caller disse que o acordo representa uma situação “ganha-ganha” tanto para ele quanto para o time.

A extensão de quatro anos, anunciada na quinta-feira passada, vai até a temporada 2024 da NFL e inclui US$ 107 milhões garantidos.

“É algo que ambas as partes queriam fazer. Eu sabia que queria que esta fosse a minha casa por um bom tempo e, desde que fui draftado, e sinto em casa. Então, assim que encontramos algo que era ganha-ganha, uma oportunidade realmente justa, eu me atirei, apenas porque eu amo este lugar e quero estar aqui por muito tempo, então achei que foi um bom momento”, falou Wentz, na coletiva de imprensa desta segunda.

– O wide receiver Julio Jones, além do defensive tackle Grady Jarrett, do pass rusher Vic Beasley e do linebacker Deion Jones, se apresentaram às instalações do Atlanta Falcons e vão participar do minicamp obrigatório de três dias de duração, que começa nesta terça.

Os quatro não participaram das OTAs, que são voluntárias, mas era esperado que todos comparecessem aos primeiros treinamentos obrigatórios da offseason. Agora, isso foi confirmado.

– O New England Patriots cancelou os últimos dois dias de OTAs que estavam marcados para esta segunda e terça, como apurou o jornalista Mike Giardi, da ‘NFL Network’. Os Pats concluíram o minicamp obrigatório na semana passada e o cancelamento das últimas duas sessões de OTAs indicam que o técnico Bill Belichick ficou satisfeito com o que viu até agora nos trabalhos de offseason.

Agora, os Patriots só voltam a campo no final de julho, quando começam os training camps ao redor da National Football League.

– Kellen Winslow Jr., ex-jogador da National Football League, foi considerado culpado de estuprar uma mulher sem teto de 58 anos de idade, em caso ocorrido no ano passado, no Condado de San Diego. Um júri emitiu o veredicto nesta segunda-feira, no Superior Tribunal de San Diego, mas continuava a deliberar sobre mais duas acusações de estupro envolvendo uma caronista e uma adolescente inconsciente.

O ex-atleta também foi condenado por duas acusações de conduta obscena envolvendo duas outras mulheres. Todas as cinco mulheres testemunharam no julgamento e Winslow, que jogou pelo Cleveland Browns, Tampa Bay Buccaneers, New England Patriots e New York Jets, deve pegar prisão perpétua.

– Gary Kubiak, head coach assistente e consultor ofensivo do Minnesota Vikings, disse ao jornalista Sid Hartman, do ‘Minneapolis Star-Tribune’, que o calouro Garrett Bradbury será o center titular do time.

“Oh, sim, é lá que ele vai estar, e tomara que ele permaneça lá por um bom tempo. Ele está indo bem. Para um calouro, ser colocado lá na posição de center desde o primeiro dia, é difícil para ele. Mas ele está fazendo um bom trabalho”, frisou Kubiak.

– No ano passado, quando ainda era membro do New York Giants, Landon Collins não tinha permissão para dar tackles em cima do running back Saquon Barkley, seu companheiro de equipe. Mas, agora no rival Washington Redskins, ele terá essa oportunidade.

“Eu estou pronto para tacklear Saquon. Esse é meu cara, no entanto. Todo amor para ele e ele está fazendo a parte dele, como todos sabemos. Mas quando eu conseguir encontrá-lo no buraco desta vez, eu vou com tudo para cima”, falou Collins no final de semana, em seu evento de softball beneficente, segundo Art Stapleton, do ‘NorthJersey.com’.

– Jim McMahon, quarterback responsável por liderar o memorável Chicago Bears de 1985 a um título de Super Bowl, deu uma dica simples para Mitchell Trubisky, atual signal caller da franquia de Illinois, durante o evento de celebração de 100 anos dos Bears.

“Tudo que ele tem que fazer é jogar duro aqui. Se ele jogar duro, as pessoas entendem isso. Eles são torcedores muito conscientes. Eles vão amá-lo se ele jogar duro”, falou McMahon, segundo o ‘Chicago Sun-Times’. “E se ele jogar duro e vencer, eles vão amá-lo para sempre”, completou o icônico QB.

Comments
To Top