NFL

No Huddle – Earl Thomas garante que Baltimore Ravens estará no Super Bowl

Earl Thomas, safety do Baltimore Ravens

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O safety Earl Thomas, do Baltimore Ravens, deu uma declaração contundente ao ser questionado se o jogo de domingo (1) contra o San Francisco 49ers será uma prévia do Super Bowl.

“Vocês acham que os 49ers vão para o Super Bowl? Pode ser. Vamos ver. (…) Quando o Super Bowl chegar, com quem quer que joguemos, eles estarão em apuros”, declarou Thomas nesta quarta-feira (27).

Essa foi a primeira vez que o defensive back fez uma previsão do time, mas o momento da declaração é interessante. Os Ravens, que estão com campanha 9-2, superaram o New England Patriots (10-1) como favoritos para vencerem o Super Bowl, segundo o Football Power Index, da ‘ESPN’.

John Harbaugh, técnico dos Ravens, preferiu elogiar os Niners nesta semana.

“Esses caras são o melhor time no futebol americano. Eles estão jogando no mais alto nível agora. Eu não sei. Ninguém é coroado, como eu disse. Eles são o melhor time de futebol americano no momento. Fevereiro é quando eles decidem isso ainda”, falou Harbaugh, após a vitória do seu time sobre o Los Angeles Rams, no último Monday Night Football.

– O quarterback Carson Wentz, do Philadelphia Eagles, admitiu que os torcedores têm motivos para estarem frustrados com seu desempenho, depois de um desempenho marcado por quatro turnovers na derrota de domingo para o Seattle Seahawks.

“Eles têm o direito de ficar frustrados. Eles pagam dinheiro para sentar nesses lugares. Eles pagam dinheiro para torcer por nós e são apaixonados por isso. E eu sou da mesma maneira. Então, quando eles estão frustrados, eu também fico frustrado”, falou Wentz.

O ataque marcou um total de 19 pontos em derrotas consecutivas para os Seahawks e o New England Patriots. E a luz amarela está acesa na Pensilvânia.

– Tom Coughlin, vice-presidente executivo do Jacksonville Jaguars, falou com a imprensa nesta quarta-feira e observou que ele não está oferecendo “nenhuma desculpa” para a campanha 4-7 do time até agora.

Além de uma longa declaração pedindo que os torcedores apoiem a equipe nos três jogos finais em casa, Coughlin não disse nada muito substancial para a torcida, que está bem insatisfeita.

Questionado se ele planeja permanecer no cargo em 2020 ou se o técnico Doug Marrone seguirá no comando do time na próxima temporada, Coughlin foi evasivo: “ainda faltam cinco jogos”.

Coughlin disse que quaisquer conversas noticiadas entre eles e Marrone a respeito do relacionamento deles permanecerão internas. O vice-presidente executivo, novamente pressionado sobre o futuro do head coach, deixou claro que vai deixar o restante do campeonato se desenrolar e não ofereceu um voto de confiança público a Marrone.

“Como sigo dizendo, temos cinco jogos pela frente e haverá avaliação de todos nós. De todos”, ressaltou.

– O guard David DeCastro, do Pittsburgh Steelers, disse que ele não recebeu explicação por parte da NFL após a multa que ele tomou após a derrota para o Cleveland Browns, há duas semanas.

O offensive lineman acredita, entretanto, que ele foi multado por ser um “pacificador” na briga entre os jogadores.

Ainda que não tenha sido incluído na lista inicial de multas derivadas do confronto, DeCastro revelou que foi multado em mais de US$ 14 mil.

“Eu mal posso esperar para ouvir a explicação por tentar acabar com uma briga. Mas acho que é alguma regra idiota da NFL em que você não pode ser um pacificador”, falou DeCastro nesta quarta.

– Lamar Jackson, quarterback astro do Baltimore Ravens, vai obter uma nota de 96 de velocidade do game Madden NFL 20 quando o jogo atualizar suas notas de jogadores mais adiante nesta semana. Esta é a maior marca por um QB na história, superando o recorde anterior de Michael Vick, que era de 95.

– O linebacker Thomas Davis, do Los Angeles Chargers, é um dos grandes líderes de elenco na história da NFL. E ele seguiu com seu discurso bem ao estilo de liderança nesta semana, sugerindo que a defesa dos Chargers é responsável pelas duas derrotas consecutivas que fizeram a equipe chegar a uma campanha 4-7 em 2019.

“Nossa campanha diz que não jogamos bem o suficiente. Essa é a coisa mais importante que determina como jogamos como defesa. O ataque colocou pontos suficientes para que possamos ter mais sucesso”, frisou.

Comments
To Top