NFL

No Huddle – Houston Texans não vai contratar GM para a temporada 2019

Bill O'Brien, head coach do Houston Texans

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O Houston Texans não vai contratar um general manager para a temporada 2019 e, em vez disso, vai dividir as responsabilidades do cargo entre o head coach Bill O’Brien e membros existentes da diretoria, tais como Matt Barzigan, James Liipfert, Chris Olsen e Jack Easterby. A informação é do jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

A franquia texana está sem um GM desde o dia 7 de junho, quando os Texans demitiram Brian Gaine. Ele estava no cargo desde janeiro de 2018, depois de assinar um contrato de cinco anos com a organização.

No momento da demissão de Gaine, os Texans disseram que as operações de futebol americano da franquia seriam lideradas por Olsen, que é o vice-presidente sênior de administração do time, enquanto eles buscavam por um novo GM.

Um potencial candidato ao cargo em Houston era Nick Caserio, diretor de administração de elenco do New England Patriots. Contudo, quando os Texans tentaram entrevista-lo, os Pats entraram com uma acusação de aliciamento e, assim, a equipe do Texas desistiu de sua contratação no mês passado.

Ray Farmer, ex-general manager do Cleveland Browns, e Martin Mayhew, vice-presidente de administração de elenco do San Francisco 49ers, estiveram entre os entrevistados pelos Texans para o cargo de GM.

– O Arizona Cardinals selecionou o safety Jalen Thompson, da Universidade de Washington State, na quinta rodada do draft suplementar de 2018, realizado nesta quarta-feira (10). Ele foi o único atleta selecionado no draft suplementar deste ano.

Segundo as regras da NFL, os Cardinals vão abrir mão de sua escolha de quinta rodada do draft de 2020 por ter selecionado Thompson no processo seletivo suplementar.

Thompson somou 140 tackles e seis interceptações nas últimas duas temporadas do futebol americano universitário.

Foi a primeira vez desde 1987 que os Cardinals selecionam um jogador no draft suplementar, segundo o site oficial da franquia.

– O cornerback Ryan Smith, do Tampa Bay Buccaneers, foi suspenso pelos primeiros quatro jogos da temporada 2019 da National Football League devido a uma violação da política da liga de substâncias para melhoria de desempenho.

Smith, que está entrando em seu quarto ano na NFL, foi selecionado pelos Bucs na quarta rodada do draft de 2016.

Atualmente com 25 anos de idade, o cornerback disputou todos os jogos de Tampa Bay na temporada passada, sendo seis como titular. Ele somou 38 tackles, depois de terminar a temporada 2017 com 62 tackles, maior marca de sua carreira.

“Nós estamos decepcionados porque Ryan não estará disponível nos quatro primeiros jogos da temporada. Nós fazemos treinamento e educação extensivos para nossos jogadores em relação às políticas da liga, mas, no final das contas, cada indivíduo é responsável pelo que coloca em seu corpo”, falou Jason Licht, general manager dos Bucs, em nota oficial.

– A estação de rádio ‘KCSP-AM’, de Kansas City, revelou novos trechos de áudio nesta semana de uma conversa entre o wide receiver Tyreek Hill, dos Chiefs, e sua esposa Crystal Espinal. Mas os investigadores da NFL tiveram acesso ao áudio completo há meses, segundo informações de Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

O novo áudio mostra Hill e Espinal discutindo um incidente de 2014 que levou o atleta a se declarar culpado de uma acusação de violência doméstica. No áudio, Hill é ouvido negando seu papel na briga.

Hill se reuniu com Lisa Friel, vice-presidente sênior da NFL do Conselho Especial para Investigação, e outros oficiais da liga no dia 26 de junho para responder perguntas relacionadas ao caso de suposta agressão contra seu filho de 3 anos de idade.

O recebedor do Kansas City Chiefs segue sujeito a uma potencial suspensão sob a política de conduta pessoal da NFL e, por enquanto, não há prazo para uma decisão relacionada a isso.

– O kicker Robbie Gould segue com sua situação com o San Francisco 49ers indefinida para 2019, já que ele ainda não assinou sua franchise tag de US$ 4,97 milhões. E o jogador ainda não tem um plano relacionado ao assunto.

“Eu não vou me comprometer a tomar qualquer decisão agora. Eu realmente não tenho um plano agora”, disse Gould ao jornalista Cam Inman, do ‘The Mercury News’. “Obviamente, há um prazo e não tenho que tomar nenhuma decisão tão cedo. (…) O prazo para assinar um contrato de longa duração é segunda e o restante desse (possível boicote) depende de mim”, completou.

– Todd Gurley, running back do Los Angeles Rams, trouxe novidades sobre seu joelho lesionado em 2019. E o astro parece estar tranquilo em relação ao seu status.

“Está bom, cara. Eu estou tipo, ei, nós vamos descobrir no training camp, sabe? Uma vez que o training camp chegar, você tem a pré-temporada, mas você não tem muito na pré-temporada”, falou Gurley sobre seu joelho ao jornalista Omar Ruiz, da ‘NFL Network’.

– Chris Harris, cornerback do Denver Broncos, participou do programa Good Morning Football, da ‘NFL Network’, nesta quarta (10), e deixou claro que gosta do fato de muitos estarem ignorando seu time durante a offseason.

“Os Chiefs são o time a ser derrotado neste momento. Eles ganharam (a divisão AFC West), acho, nos últimos três anos, então até que alguém os derrube, eles são o time a ser batido. Estou lhe dizendo agora, eu gosto de ser a zebra neste momento. Equipes estão esquecendo de nós, então eu gosto de ter essa abordagem neste ano. Eles vão ter que acordar quanto batermos na boca deles”, afirmou o defensive back.

– Sony Michel, running back do New England Patriots, perdeu a maior parte do programa de offseason do time depois de passar por uma artroscopia no joelho. Mas será que ele estará disponível quando o training camp começar, no dia 24 de julho? Pelo menos esse é o plano dele.

“É um processo e é apenas algo que eu meio que estou trabalhando para. Esse é o objetivo, estar pronto para o training camp”, disse Michel ao jornalista Omar Ruiz, da ‘NFL Network’.

Comments
To Top