NFL

No Huddle – Sebastian Janikowski anuncia sua aposentadoria após 19 temporadas

Sebastian Janikowski, kicker da NFL

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O kicker Sebastian Janikowski revelou ao jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana, neste domingo (28) que está se aposentando da National Football League após 19 temporadas. O chutador está com 41 anos de idade.

“Foi uma grande caminhada. Eu ainda penso no Super Bowl – ainda dói”, falou Janikowski, referindo-se à derrota do Oakland Raiders para o Tampa Bay Buccaneers por 48 a 21 no Super Bowl XXXVII, na temporada 2002.

Janikowski afirmou à ‘ESPN’ que seu corpo não pode suportar mais todo o desgaste de ser um kicker na NFL. Seabass, como ficou conhecido, faturou mais dinheiro em sua carreira do que qualquer outro kicker na história da liga. Segundo o site especializado ‘Spotrac’, o polonês ganhou US$ 53,29 milhões em sua trajetória na NFL.

O atleta assinou um contrato de um ano de duração, com valor de US$ 2,015 milhões, com o Seattle Seahawks no ano passado, depois de passar as primeiras 18 temporadas de sua carreira defendendo o Oakland Raiders.

Selecionado de maneira surpreendente com a 17ª escolha geral do draft de 2000, Janikowski deixou os Raiders como líder em pontos na história da NFL, com 1.799 no total.

Com sua aposentadoria, o quarterback Tom Brady, astro do New England Patriots, é o único jogador do draft de 2000 ainda em atividade.

– Um defensive back da Universidade de Washburn foi morto em uma troca de tiros na manhã deste domingo, em Topeka, Kansas. O incidente também deixou lesionado Corey Ballentine, seu companheiro de equipe na universidade e jogador selecionado pelo New York Giants neste sábado, último dia do draft de 2019 da NFL.

Jerry Farley, presidente de Washburn, confirmou que Dwane Simmons, de 23 anos de idade, foi morto em um tiroteio, em carta enviada à universidade neste domingo. Já Ballentine deve se recuperar completamente, segundo Farley.

– Depois do final de semana de draft, Duke Johnson segue como jogador do Cleveland Browns. E, ao que parece, a franquia de Ohio não parece mesmo propensa a trocar o running back, mesmo após os pedidos do atleta para ser negociado.

“Duke está sob contrato. Eu disse isso há mais de um mês agora, e não sei a partir de onde toda essa conversa de troca começou”, disse o técnico Freddie Kitchens, dos Browns, neste final de semana. “As pessoas simplesmente pensaram que a gente ia trocá-lo porque contratamos outro bom jogador de futebol americano. Eu, pessoalmente, gosto de bons jogadores e gosto de ter o máximo deles que pudermos. Duke Johnson está neste time de futebol americano, Duke Johnson terá um papel vital neste time e Duke Johnson vai nos ajudar a vencer jogos de futebol americano. Estou surpreso por ele ainda estar aqui? Não, nem um pouco. Eu nunca disse nada diferente disso”, completou o head coach.

– Dave Gettleman, general manager do New York Giants, insistiu que havia pelo menos dois times com intenção de escolher o quarterback Daniel Jones, de Duke, caso seu time tivesse optado por esperar até a 17ª escolha geral do draft de 2019 para tentar pegar o signal caller. Os Giants, que tinham a sexta, a 17ª e a 30ª escolhas na noite de quinta, surpreendentemente selecionaram Jones com a escolha número 6 e Gettleman foi muito criticado pela decisão.

“Eu posso dizer isso a vocês agora. Quando chegamos aqui na noite de quinta, a questão foi colocada: ‘por que vocês não esperaram até a 17?’. Bem, eu sei que havia dois times que o pegariam antes da 17. Eu sei disso”, explicou. “Então, é difícil. Realmente é. Não foi fácil para mim deixar passar Josh Allen. Para mim, com minha experiência, foi muito, muito difícil. Mas eu gosto demais de Daniel Jones e de seu futuro como quarterback da NFL”, completou Gettleman, referindo-se também ao linebacker Josh Allen, de Kentucky, que foi selecionado pelo Jacksonville Jaguars com a sétima escolha.

– O draft de 2019 da NFL foi histórico, com 39 trocas realizadas no total, maior quantidade da história da era do draft comum, segundo o NFL Research. E o Los Angeles Rams e o New England Patriots foram os mais ativos entre si, com três trocas sendo realizadas entre os dois adversários do Super Bowl LIII.

– Clark Hunt, proprietário e presidente do Kansas City Chiefs, afirmou que o time vai tomar a “decisão certa… no momento certo” em relação ao wide receiver Tyreek Hill, que teve um áudio vazado no qual ele conversa com sua noiva Crystal Espinal e a mulher parece admitir que ele agrediu o filho do casal, que tem três anos de idade.

Hunt frisou que os Chiefs não estabeleceram um prazo para resolução e se disse muito impressionado: “nós ficamos profundamente perturbados com o áudio… e é por isso que ele não está com o time neste momento. (…) Há algumas investigações rolando em relação a Tyreek, e vamos ter que deixar esse processo se desenrolar”.

– Doug Baldwin provavelmente não voltará a jogar na National Football League. O general manager John Schneider, do Seattle Seahawks, disse aos repórteres neste final de semana de draft que o wide receiver de 30 anos de idade está considerando a aposentadoria.

“Nós sabemos que Doug terá um momento complicado. Há um processo pelo qual precisamos passar com (o escritório da liga e a NFLPA)”, afirmou o GM, segundo o ‘The News Tribune’.

O técnico Pete Carroll, dos Seahawks, também se manifestou: “ele tem sido uma parte extraordinária deste programa desde que estamos aqui. Ele nos deu tudo o que ele tinha. É um grande competidor, jogador e tudo mais. Nós acreditamos muitos nele e confiamos tanto nele que, onde quer que ele esteja, vamos apoiá-lo”.

Baldwin passou por várias cirurgias nesta offseason, no joelho, no ombro e, mais recentemente, para corrigia uma hérnia esportiva. E o wideout está saindo de uma temporada 2018 em que sua produção caiu para 50 recepções para 618 jardas e cinco touchdowns.

– O Miami Dolphins está esperando que o quarterback Josh Allen, adquirido em troca com o Arizona Cardinals, chegue altamente motivado ao novo time. Mas a franquia da Flórida não está garantindo que ele será titular.

Brian Flores, head coach dos Dolphins, deixou claro que Rosen não será tratado de maneira diferente em relação a qualquer outro atleta do elenco.

“Quando Josh chegar aqui, ele terá que competir por qualquer tipo de função que tiver aqui. Este é o caso para todos neste prédio. Os caras que produzem no campo de treinamento e que fazem todas as coisas que ajudam este time a vencer são os que vão jogar”, frisou Flores.

No último sábado, em um gesto legal, Rosen publicou um vídeo agradecendo aos Cardinals e dando os parabéns a Kyler Murray, jogador selecionado pelo time de Arizona com a primeira escolha geral do draft deste ano.

– O Dallas Cowboys acertou neste domingo a contratação do offensive lineman Larry Allen Jr., um free agent que não foi draftado. O ex-jogador de Harvard é filho de Larry Allen, um dos maiores ídolos dos Cowboys, que foi selecionado para dez Pro Bowl e foi seis vezes para o primeiro time All-Pro em sua trajetória de sucesso na franquia texana.

Larry Allen, que foi selecionado pelos Cowboys na segunda rodada do draft de 1994, entrou para o Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF) em 2013.

– O pass rusher Kahzin Daniels, que é cego do olho direito, fechou contrato com o Tampa Bay Buccaneers, com apurou o jornalista Mike Garafolo, da ‘NFL Network’. O jovem, que atuou por quatro temporadas na Universidade de Charleston, somou 34,5 sacks em sua carreira universitária. Agora, ele entra na NFL como free agent não draftado e tentará agarrar sua chance de fazer história.

– O quarterback Tyree Jackson, da Universidade de Buffalo, foi contratado pelo Buffalo Bills como free agent não draftado. Ele não foi selecionado no draft de 2019 e teve a chance de fechar um acordo que vai render US$ 75 mil, segundo o jornalista Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

Comments
To Top