NFL

No Huddle – Sammy Watkins reflete sobre futuro antes da temporada 2020 da NFL

Sammy Watkins, wide receiver do Kansas City Chiefs

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Prestes a jogar o Super Bowl LIV, Sammy Watkins está incerto sobre seu futuro na temporada 2020. O wide receiver do Kansas City Chiefs disse inclusive que uma de suas opções é ficar fora da próxima temporada da National Football League.

“Se isso combina comigo e com minha família e atende às minhas necessidades, com certeza”, afirmou o wideout nesta quinta, ao ser questionado sobre a possibilidade de renegociar seu contrato com os Chiefs. “Mas estou realmente em um espaço diferente agora. Não sei o que vou fazer. Se vencermos, talvez eu resolva relaxar. Posso ficar de fora um ano. Nunca se sabe” frisou.

Mas ele garantiu que não seria uma parada definitiva do futebol americano profissional.

“Não vou me aposentar, mas talvez eu queira descansar e relaxar. Não sei. Não quero dizer que vou fazer alguma coisa, mas você nunca sabe. Eu posso querer ir para outro lugar e criar outra equipe do Super Bowl. Então, tudo se trata de como estou me sentindo. Tenho que sentar com minha família, meus pais e avós e todo mundo e apenas ver o que quero fazer”, refletiu.

Watkins estaria entrando na terceira e última temporada de seu contrato com os Chiefs em 2020. Ele deve faturar US$ 14 milhões na próxima temporada, mas nenhuma porção deste valor é garantida. E Kansas City teria que arcar com um impacto de US$ 7 milhões no teto salarial se o WR for dispensado.

Em 28 jogos de temporadas regulares com a camisa dos Chiefs, ele fez 92 recepções para 1.192 jardas e seis touchdowns. Dois de seus melhores desempenhos foram em finais da Conferência Americana (AFC), com Watkins recebendo quatro passes para 114 jardas contra o New England Patriots, na temporada passada, e sete para 114 jardas e um touchdown contra o Tennessee Titans, nesta temporada.

– Nesta semana do Super Bowl LIV, é visível que um dos nomes mais queridos no Kansas City Chiefs é o técnico Andy Reid. O quarterback Patrick Mahomes, por exemplo, relembrou uma viagem para um banquete que ele fez no ano passado na companhia de seu head coach e o astro disse que ficou surpreso com o quanto os torcedores da região da Filadélfia amam Reid, ex-técnico dos Eagles.

“Ele é o favorito geralmente em todos os lugares que vamos. Onde quer que você vá, o jeito que ele trata as pessoas, você pode dizer que as pessoas o amam e se preocupam com ele”, frisou. “É a ética de trabalho dele, a maneira como ele trata as pessoas. Ele é um treinador que venceu muitos jogos. Ele teve uma carreira incrível. Obviamente, queremos que esse jogo, o grande Super Bowl, colocar isso em seu currículo. Ele é alguém que é obteve sucesso desde o primeiro dia e ele ainda tem sucesso agora”, ressaltou.

Reid, que treinou os Eagles por 14 temporadas e os Chiefs nos últimos sete, é o técnico mais bem-sucedido da NFL entre os que ainda não conquistaram o Super Bowl. Ele é o sétimo em jogos vencidos na carreira, mas só trabalhou em um Super Bowl (derrota dos Eagles em fevereiro de 2005 para o New England Patriots).

E, com todo esse carinho envolvido, Reid está contente.

“Estou lisonjeado com isso. Muito lisonjeado. Eu tenho ótimos caras aqui. Amigos da mesma forma em toda a liga. Tenho feito isso há muito tempo. Trata-se dessa equipe, os caras que trabalharam tanto para chegar onde estão. Os jogadores, os treinadores, a organização. É um esforço de equipe para chegar a essa posição. Não se trata de uma posição. No momento, meu foco total é garantir que nós, como treinadores, façamos um bom trabalho, e que os jogadores façam um bom trabalho no Super Bowl”, pontuou Reid.

– Sean Payton teve muita sorte em 2019 ao ter um grupo de quarterbacks muito completo, com Drew Brees, Teddy Bridgewater e Taysom Hill. Mas, ao que tudo indica, esse trio não vai continuar vestindo a mesma camisa em 2020.

“Ter todos esses três jogadores de volta provavelmente é muito improvável. Você realmente aprecia a temporada que teve quando teve os três”, falou o head coach dos Saints nesta quinta, no Super Bowl Live, da ‘NFL Network’.

Payton fez grande uso de seus três QBs em 2019. Brees continuou sendo o cara da franquia, Bridgewater substituiu Drew quando ele sofreu uma lesão no polegar, e Hill foi o ‘faz-tudo’ do ataque de New Orleans. E, com esse complemento dos três, a campanha dos Saints foi de 13-3 na temporada regular.

O técnico dos Saints elogiou as atuações de Bridgewater no lugar de Brees e frisou que ele acredita que Hill vai eventualmente “se encontrar como um quarterback titular na NFL”. Entretanto, vale ressaltar, nenhum dos três entra em 2020 com contrato com os Saints.

A primeira parte da resolução desse conflito passa por Brees definir seu futuro. O camisa 9 parece estar seriamente considerando aposentadoria, mas isso só será determinado nos próximos meses.

– O quarterback Dak Prescott, do Dallas Cowboys, disse em uma entrevista à ‘ESPN’ norte-americana que ele está confiante de que ele e a franquia texana serão capazes de fechar um novo contrato nesta offseason.

“Os Cowboys e Prescott têm conversado sobre um novo contrato desde o final da temporada 2018, mas as duas partes não foram capazes de chegar a um aperto de mãos. E Prescott deve se tornar um free agent quando o novo ano da liga começar no dia 18 de março.

“Estou confiante de que um novo contrato está chegando. Estou confiante no meu agente e na minha equipe e no Cowboys de que algo será feito”, falou o signal caller em entrevista à jornalista Sage Steele, da ‘ESPN’.

– Em 2019, Christian McCaffrey se juntou a Marshall Faulk e Roger Craig como únicos jogadores a somarem 1.000 jardas corridas e 1.000 jardas recebidas em uma única temporada da NFL. E Faulk, que é visto por muitos como o melhor RB ‘ameaça dupla’ na história da liga, acredita que o astro do Carolina Panthers tem a chance de ser ainda melhor do que ele.

“Ele é uma versão melhor de mim. (…) É o que acontece. Você começa a ser uma versão melhor”, frisou Faulk a Bill Voth, do site oficial dos Panthers.

E Faulk ainda vê a temporada histórica de McCaffrey em 2019 como ainda mais impressionante do que ele teve em sua temporada 1999 no St. Louis Rams que ficou conhecido e eternizado como ‘Greatest Show on Turf’.

“Ele teve que fazer mais com menos ajuda. Eu tive muita ajuda. E quantos quarterbacks eles (McCaffrey) teve?”, questionou.

O que Marshall está falando é que ele teve Kurt Warner e ponto final, enquanto que CMC teve um ataque dos Panthers liderado por Cam Newton, Kyle Allen e Will Grier em apenas uma temporada.

Comments
To Top