NFL

No Huddle – Roger Goodell afirma que não há prazo para fim da investigação envolvendo Patriots

Roger Goodell, comissário da NFL

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Roger Goodell, comissário da National Football League, disse aos jornalistas nesta quarta-feira (11) que não há um prazo final para a finalização da investigação em relação à gravação de vídeo do New England Patriots na qual a lateral do campo do Cincinnati Bengals aparece.

O mandatário da liga conversou com os repórteres na conclusão do encontro de dois dias dos proprietários da liga no Texas.

“Está sob revisão. Nós vamos ser minuciosos. Vamos usar o nosso tempo e garantir que analisemos tudo o que é pertinente aqui e tomarmos uma decisão”, frisou Goodell.

Entre outros tópicos abordados por Goodell na coletiva, ele falou sobre:

  • A decisão de organização um teste para Colin Kaepernick no mês passado, em Atlanta, tratou-se de “criar uma oportunidade”. De acordo com o comissário, “foi uma oportunidade única, uma oportunidade incrível e ele escolheu não a receber. Eu compreendo isso e seguimos em frente”.
  • Goodell afirmou que a liga ainda não concluiu a investigação sobre as acusações de agressão sexual contra o wide receiver Antonio Brown.
  • O comissário da NFL abordou os problemas de arbitragem nesta temporada e se algo tem que melhorar: “consistência é a primeira coisa que sempre estamos tentando obter e nós todo ano estivemos engajados em mudanças para nos tornar mais consistentes e melhores”.

– Em meio a um primeiro ano tumultuado em relação às revisões de falta de pass interference, Rich McKay, presidente do comitê de competição da NFL e CEO/presidente do Atlanta Falcons, disse nesta quarta que a nova regra, que passou a permitir que interferência no passe seja uma falta passível de revisão pela primeira vez na história da liga, “definitivamente será um ponto de debate da perspectiva de todo mundo”. A declaração do executivo foi trazida por Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

– O running back David Johnson, do Arizona Cardinals, não está nada contente com sua carga de trabalho. O camisa 31 disputou 11 dos 13 jogos dos Cards nesta temporada 2019, mas atuou em apenas 48,3% dos snaps ofensivos do time.

O novo contratado Kenyan Drake assumiu o topo do grupo de RBs e novos nomes como Chase Edmonds também ganharam espaço neste ano. Johnson, por outro lado, carregou a bola apenas 12 vezes nos últimos quatro jogos disputados.

E ele não concorda com isso.

“Qualquer jogador da NFL, se você é um competidor, se não está em campo, obviamente vai ficar chateado com isso”, falou Johnson, segundo o site oficial da franquia de Glendale.

– O cornerback Janoris Jenkins, do New York Giants, tweetou um comentário rude em resposta a um torcedor que o criticou nesta quarta, enquanto o time estava no campo de treinamento.

Jenkins não estava treinando devido a uma lesão no tornozelo e estava defendendo suas atuações nesta temporada enquanto seus companheiros estavam treinando. E o cornerback não gostou quando um torcedor questionou por que as estatísticas que Jenkins estava usando para mostrar sua efetividade não estavam contribuindo para trazer vitórias aos Giants.

“Eu só posso fazer o meu trabalho… retardado”, tweetou Jenkins.

O técnico Pat Shurmur, ao ser questionado após o treino sobre a lesão de Jenkins e seu tweet, não ficou nada satisfeito com a atitude do jogador, dizendo que ele “não deveria estar tweetando durante o treino”.

Jenkins emitiu um pedido de desculpas mais tarde, escrevendo: “minhas desculpas pela palavra que usei mais cedo, realmente não quis machucar”.

– Uma investigação conjunta da NFL com a NFLPA, associação dos jogadores da liga, em relação aos eventos relacionados à concussão sofrida pelo wide receiver Sterling Shepard, do New York Giants, em setembro, não encontrou violação e apontou que o protocolo foi apropriadamente seguido pelo time de Nova York. A informação foi apurada por Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

Shepard sofreu uma concussão na semana 1 contra o Dallas Cowboys, mas finalizou o jogo e sua lesão foi anunciada no dia seguinte. A revisão é um procedimento padrão quando um atleta sofre uma concussão que foi diagnosticada após um jogo.

– Está chegando ao final mais uma temporada da NFL e, assim, as especulações sobre o futuro de Larry Fitzgerald. O wide receiver de 36 anos de idade segue sendo um Arizona Cardinal, franquia pela qual dedicou toda a sua carreira profissional.

O técnico Kliff Kingsbury disse que espera ter mais uma temporada comandando o lendário recebedor, dizendo que o wideout “definitivamente” pode ser um integrante produtivo dos Cards em 2020 caso ele deseje atuar no que seria sua 17ª temporada como profissional na liga.

“Eu vou fazer a minha tentativa com ele em algumas semanas”, falou Kingsbury, segundo Darren Urban, do site oficial do AZ Cardinals, referindo-se a tentar convencer o jogador a adiar sua aposentadoria.

Comments
To Top